Família, educação e vulnerabilidade social: uma análise da Região Metropolitana de Campinas.

Autores

  • Sergio Stoco Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v20i1.8638001

Palavras-chave:

Família. Educação. Sociedade. Vulnerabilidade social. Estratificação social

Resumo

As relações sociais, e as desigualdades delas decorrentes, inclusive as educacionais, produzem o espaço social, o território. Não há como dissociar a sociedade do espaço. Este trabalho irá recuperar os processos sociais, em uma abordagem materialista (capitais), que caracterizam os mecanismos sociais mobilizados pelas famílias na sua função educacional (ativos) considerando sua posição social, seu lugar no espaço habitado e suas relações (estrutura de oportunidades). Estes mecanismos foram analisados a partir do conceito de vulnerabilidade social aplicado em pesquisa na RMC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio Stoco, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Educação pela Unicamp, pesquisador e bolsista CNPq de pós-doutorado do Núcleo de Estudos de População – NEPO / UNICAMP, Campinas – SP.

Referências

ARCARY, Valerio. 2010. Um Brasil menos desigual? Mobilidade social baixa e evolução lenta da escolaridade média. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n.1, p. 09-17, jan./jul.

AZEVEDO, Simone Jose Sardinha de. 2009. Segregação e oportunidades de acesso aos serviços basicos de saude em Campinas: vulnerabilidades sociodemograficas no espaço intra-urbano. 210 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas,

Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=000466041. Acesso em: 25 maio 2011.

BECKER, Gary Stanley. 1993. Human capital: a theoretical and empirical analysis with special reference to education. 3. ed. Chicago: Univ. of Chicago.

BOURDIEU, Pierre. 1986. The Forms of Capital. In: RICHARSON, J.G. (ed.), Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education. New York: Greenwood Press.

BOURDIEU, Pierre. 2004. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de educação. 6.ed. Petrópolis: Vozes, p. 73-79.

CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de. 2004. Escola como extensão da família ou família como extensão da escola? O dever de casa e as relações família-escola. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 25, Apr.

CASTEL, Robert. 2008. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 7. ed. Petrópolis: Vozes.

COLEMAN, James Samuel. 1988. Social Capital in the Creation of Human Capital. The American Journal of Sociology, Vol. 94, Supplement: Organizations and Institutions: Sociological and Economic Approaches to the Analysis of Social Structure.

CUNHA, José Marcos Pinto da et al. 2009. Social segregation and academic achievement in state-run elementary schools in the municipality of Campinas, Brazil. Geoforum, v. 40, p. 873-883.

FAORO, Raymundo. 2000. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 10.ed. São Paulo: Globo.

FERNANDES, Florestan. 1979. Circuito fechado: quatro ensaios sobre o poder institucional. 2. ed. São Paulo: HUCITEC.

GRANOVETTER, Mark S. 1973. The Strength of Weak Ties. The American Journal of Sociology, Vol. 78, No. 6, May.

KAZTMAN, Ruben e FILGUEIRA, Fernando. 2006. As normas como bem público e privado: reflexões na fronteira do enfoque “ativos, vulnerabilidade e estrutura de oportunidades” (Aveo). In: José Marcos Pinto da Cunha. (Org.). Novas Metrópoles Paulistas: população, vulnerabilidade e segregação. Campinas: NEPO/UNICAMP, p. 67-94.

LEFEBVRE, Henri. 1991. O direito a cidade. São Paulo: Moraes.

NEVES, Izabella Maria Zanaga de Camargo e CUNHA, José Marcos Pinto da. 2010. Urbanismo, demografia e as formas de morar na metrópole: um estudo de caso da Região Metropolitana de Campinas. Cad. Metrop. São Paulo, v. 12, n. 23, pp. 211-237, jan/jun.

PORTES, Alejandro. 1998. Social Capital: its origins and e applications in modern sociology. Annual Review of Sociology, New Jersey, v. 24.

PUTNAM, Robert. 1996. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas.

Downloads

Publicado

2015-07-03

Como Citar

STOCO, S. Família, educação e vulnerabilidade social: uma análise da Região Metropolitana de Campinas. RUA, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 184–209, 2015. DOI: 10.20396/rua.v20i1.8638001. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638001. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Estudos