Entre o eterno e o efêmero: o uso do SIG – Histórico para uma análise da transformação da paisagem

Autores

  • Bárbara Lustoza da Silva Borba Universidade de São Paulo
  • João Rodrigo Vedovato Martins Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v19i2.8638006

Palavras-chave:

SIG-Histórico. Geografia histórica. Intervenção espaço/paisagem

Resumo

O presente trabalho visa associar a geografia histórica com o uso dos Sistemas de Informações Geográficas mediante a abordagem do SIG-Histórico. Para tanto, selecionamos como recortes amostrais o atual Parque da Juventude, na cidade de São Paulo (SP) - a antiga Casa de Detenção do Estado, o Carandiru e a Estação da Luz e seu entorno, com ênfase na região da chamada Cracolândia. O objetivo compreende, portanto, a problematização do uso da ferramenta digital em geografia histórica incluindo abordagens sociológicas, com o recorte de espaço delimitado de modo a ilustrar as possibilidades operacionais do uso do SIG-Histórico por meio do Google Earth, com suas abordagens e pertinências teóricas e práticas. Pretendemos ainda realizar debates acerca da importância do espaço e seus elementos na qualidade de objetos de análise dos processos e transformações da paisagem, bem como para o entendimento dos processos políticos e sociais engendrados nos conflitos de interesse e relações de poder vinculados ao uso, história e memória de tais espaços e regiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Lustoza da Silva Borba, Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo. Endereço: Rua Jeroaquara, 51. São Paulo-SP CEP 05047-0106.

João Rodrigo Vedovato Martins, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas. Endereço: Avenida Santa Isabel,1125. Campinas-SP CEP 13084-643.

Referências

AREND, Silvia Maria Fávero e MACEDO, Fábio. 2009. Sobre a história do tempo presente: Entrevista com o historiador Henry Rousso. Tempo e Argumento – Revista do Programa de Pós-Graduação em História – Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, v.1, n. 1 p. 201-216, jan/jun.

BOURDIEU, Pierre. 1996. Espíritos de Estado: Gênese e Estrutura do Campo Burocrático. In: Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus.

BRAUDEL, Fernand. 1986. A longa duração (1958). In: História e Ciências Sociais. 5a Edição. Lisboa: Editorial Presença.

CASTELLS, Manuel. 2003. A sociedade em rede. Tradução: Roneide Venâncio Majer; atualização para 6a edição: Jussara Simões. São Paulo: Paz e Terra.

FRUGÓLI, Heitor Junior. 2000. Centralidade em São Paulo. Trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Edusp.

FRÚGOLI, Heitor Junior; SKLAIR, Jessica. 2009. O Bairro da Luz em São Paulo: questões antropológicas sobre o fenômeno da gentrification. Cuadernos de Antropología Social n° 30, PP. 119-136. FFYL – UBA – ISSN: 0327-3776.

GREGORY, Ian. 2002. A place in History: a guide to using GIS in Historical Research . Disponível em: http://hds.essex.ac.uk/g2gp/gis/index.asp

HUXLEY, Aldous. 1974. Admirável mundo novo. São Paulo: Abril Cultural.

LE GOFF, Jacques. 2003. História e Memória. 5a ed. Campinas: Editora Unicamp.

LEITE, Rogério Proença. 2002. Contra usos e Espaço Público: Notas sobre a construção social dos lugares na Manguetown. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Fevereiro, Vol. 17 Num. 49

O'BRIEN, Kevin J., STREITFELD, David. Google invade vida privada com Street View. O Estado de São Paulo, 24 de Maio de 2012, Caderno Negócios, P. B20.

REBELATTO, Martha; FREITAS, Frederico. Desafios e possibilidades ao uso de Sistemas de Informação Geográfica na história. In: 5o Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, de 11 a 13 de maio de 2011, UFRGS, Porto Alegre.

ROLLAND, Denis. 1985. Internet e história do tempo presente: estratégias de memória e mitologias políticas. Revista Tempo, Rio de Janeiro, no 16 pp.59-92

SANTOS, Milton. Espaço e Método. São Paulo: Nobel.

Downloads

Publicado

2015-07-06

Como Citar

BORBA, B. L. da S.; MARTINS, J. R. V. Entre o eterno e o efêmero: o uso do SIG – Histórico para uma análise da transformação da paisagem. RUA, Campinas, SP, v. 19, n. 2, p. 42–58, 2015. DOI: 10.20396/rua.v19i2.8638006. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638006. Acesso em: 19 abr. 2021.

Edição

Seção

Estudos