Banner Portal
Sentidos do/no corpo interpelado pelo câncer de mama
PDF

Palavras-chave

Mulher. Mastectomia. Corpo

Como Citar

SAÇO, L. F.; FERREIRA, E. L. Sentidos do/no corpo interpelado pelo câncer de mama. RUA, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 95–106, 2015. DOI: 10.20396/rua.v19i1.8638236. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638236. Acesso em: 5 mar. 2024.

Resumo

A presente pesquisa teve como objeto o discurso de mulheres acometidas pelo câncer de mama e objetivou compreender de que maneira o ser mulher interpelado pelo câncer de mama se significa e/ou é significado corporalmente. Foi desenvolvida através da perspectiva teórica da Análise de Discurso em sua vertente francesa e apresentou seu Corpus constituído por 27 entrevistadas que passaram pela cirurgia da mama para a retirada do tumor. Observamos que as discursividades sobre o corpo expresso pela mulher interpelada pelo câncer de mama mostram um discurso social, evidenciando as marcas dos limites, das ambiguidades e das contradições presentes no desenvolvimento da doença e na feminilidade do ser mulher. A passagem pela doença produz novas formas de significação, novas organizações do dizer, novos processos de identificação, outras modalidades de subjetivação. 

https://doi.org/10.20396/rua.v19i1.8638236
PDF

Referências

ASCOMCER. Histórico Hospital Ascomcer (2011). Disponível em: http://www.ascomcer.com.br/frmExibirConteudo.aspx?id=3. Acesso em: 18 dez. 2011.

AURELIANO, W. A. 2007. Vênus Revisitada: negociações sobre o corpo na experiência do câncer de mama. Barbarói, São Caetano do Sul, v. 27, p. 107-129, jul./dez.

CARDOSO, F. S. 2009. Entre silêncios, sussurros e gritos: o corpo feminino atravessado pelo câncer de mama. 2009. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Juiz de Fora , Juiz de Fora.

CONCEIÇÃO, L. L.; LOPES, R. L. M. 2008. O cotidiano de mulheres mastectomizadas: do diagnóstico à quimioterapia. Revista de Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 26-31.

FABBRO, M.R.C; MONTRONE, A.V.G; SANTOS, S. dos. 2010. Percepções, conhecimentos e vivências de mulheres com câncer de mama. Revista Enfermagem, UERJ, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, p. 532-537, out./dez. 2008. Disponível em: http://lildbi.bireme.br/lildbi/docsonline/lilacs/20090500/370_v16n4a13.pdf. Acesso em: 20 dez.

FERREIRA, E. L. 2003. Corpo-movimento-deficiência: as formas dos discursos da/na dança em cadeira de rodas e seus processos de significação. 2003. 268 f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas..

FERREIRA, E. L. Corpo-Movimento-Deficiência: as formas dos discursos da/na dança em cadeira de rodas e seus processos de significação.2005. Juiz de Fora: CBDCR, 2005.

FERREIRA, E. L.; ORLANDI, E.P. 2001. O discurso corporal atravessado pela dança em cadeira de rodas. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas: Pontes, v. 1, p. 1-190.

FREITAS, S. R. Qualidade de vida, satisfação com a cirurgia e morbidade no ombro e braço de mulheres com câncer de mama submetidas à quadrantectomia ou à mastectomia com reconstrução imediata. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Rio de Janeiro, v. 32, n. 2, p. 99-108, fev. 2010.

JURBERG, C.; GOUVEIA, M.E.; BELISÁRIO, C. Na mira do câncer: o papel da mídia brasileira. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 52, n. 2, p. 139-146, abr./jun. 2006.

MICELI, A.V.P. Laços e nós: a comunicação na relação médico-paciente com câncer e dor crônica. 2009. 127 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Instituto de Medicina Social/UERJ, Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.tesesims.uerj.br/lildbi/docsonline/pdf/miceli_ana.pdf. Acesso em: 20 jul. 2010.

ORLANDI, E. P. 2001. A desorganização cotidiana. In: Escritos no 1: percursos sociais e sentidos nas cidades. Labeurb/Nudecri, Unicamp. p. 3-10.

ORLANDI, E. P. 2001. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas, SP: Pontes.

ORLANDI, E. P. 2007. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes.

PAIVA, L. L.; GOELLNER, S. V. Reinventando a vida: um estudo qualitativo sobre os significados culturais atribuídos à reconstrução corporal de amputados mediante a protetização. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, v. 12, n. 26, p. 485-497, jul./set. 2008.

PARK, L. C.; ZLATEVA, L.; BLANK, O. T. Self-identity After Cancer: “Survivor”, “Victim”, “Patient”, and “Person with Cancer”. Journal of General International Medicine, Heidelberg, v. 24, n. 2, p. 430-435, Nov. 2009.

SEIXAS, R. J.; KESSLER, A.; FRISON, V.B. Atividade física e qualidade de vida em pacientes oncológicos durante o período de tratamento quimioterápico. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 56, n. 3, p. 321-330, jul./set., 2010.

SHAMLEY, D.R. et al. Changes in shoulder muscle size and activity following treatment for breast cancer. Breast Cancer Research Treatment, Boston,v. 106, p. 19-27, Apr. 2007.

SILVA, L. C. Câncer de mama e sofrimento psicológico: aspectos relacionados ao feminino. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 231-237, abr./jun. 2008.

VIEIRA, C.P.; QUEIROZ, M.S. Representações sociais sobre o câncer feminino: vivência e contexto institucional. Psicologia e Sociedade, Porto Alegre, v. 18, p. 63-70, jan./abr. 2006.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.