Do digital às digitais no Sitio de Memoria (Córdoba, Argentina): (re) interpretações da história política na cidade em movimento

  • Angela de Aguiar Araújo Universidade Estadual de Campinas
  • Luciana Leão Brasil Universidade do Vale do Sapucaí
Palavras-chave: Huellas. Narratividade urbana. Efeitos de sentido

Resumo

Para esta análise, são destacadas as “huellas” (representações gráficas de digitais presentes na fachada do museu Sitio de Memoria, em Córdoba, Argentina) que relembram pessoas desaparecidas durante os governos militares, no século XX. Mostrando para os pedestres fatos da história política da cidade, essas intervenções têm efeitos na narrativa urbana fazendo irromper o “corpo significante” da “cidade em movimento” em suas relações com os processos de identificação do sujeito urbano (ORLANDI, 2004).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela de Aguiar Araújo, Universidade Estadual de Campinas
Graduada em Comunicação Social / Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO e doutoranda em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.
Luciana Leão Brasil, Universidade do Vale do Sapucaí
Mestre em Ciências da Linguagem pela Universidade do Vale do Sapucaí – UNIVÁS. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

Referências

ARAUJO, A. 2011. CPLP e o acordo ortográfico: o político no lingu[ü]ístico. Ado[p]tando uma unidade pacífica da língua portuguesa para além da fronteira do nacional. In: Língua Portuguesa, descrição e ensino: diálogos – Anais do X Fórum de Estudos Linguísticos da UERJ (2009). Rio de Janeiro: Dialogarts, pp. 367-376.

ARAÚJO, A.; FERREIRA, C. 2012. Entre sem bater: onde mora a beleza? In: Anais do III Seminário Nacional Literatura e Cinema de Resistência e III Mostra Latino-Americana de Cinema de Resistência. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, pp. 70-83.

AUTHIER-REVUZ, J. 1998. Entre a transparência e a opacidade. Um estudo enunciativo do sentido: Palavras incertas. As não coincidências do dizer. Campinas: Unicamp.

Comisión y Archivo Provincial de la Memoria. (2011, Novembro). http://www.apm.gov.ar

GAGNEBIN, J. M. 2006. Lembrar escrever esquecer. Rio de Janeiro: Editora 34.

GUIMARÃES, E. 2002. Semântica do Acontecimento: Um Estudo Enunciativo da Designação. Campinas: Pontes.

HENRY, P. A. 1994. Ferramenta Imperfeita. Campinas: Pontes.

INDURSKY, F. 2011. O enlace entre o pictórico, o político e o textual. Enelin 2011 (pp. 1-10). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

KEHL, M. BUCCI, E. 2004. Videologias. São Paulo: Boitempo.

MARIANI, B. 1996. O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

NORA, P. 1993, Dezembro. Entre a memória e a história: a problemática dos lugares. Projeto História, 10. São Paulo: PUC.

ORLANDI, E. P. 1994. Segmentar ou Recortar? Linguística: questões e controvérsias: Série Estudos 10. Uberaba: Fiube.

ORLANDI, E. P. 2004. A Cidade dos Sentidos. Campinas: Pontes.

ORLANDI, E. P. 2007. As formas de silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Editora da Unicamp.

ORLANDI, E. P. 2008. Terra à Vista: Discurso do Confronto: Velho e Novo Mundo. Campinas: Unicamp.

PAYER, M. 2005, Março. Linguagem e Sociedade Contemporânea: Sujeito, Mídia e Mercado. Revista Rua, v. 11, Campinas, pp. 9-26.

PÊCHEUX, M. 1998. Semântica e discurso. Uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp.

PEIXOTO, N. B. 1999. Intervenções Urbanas. Revista Rua, Número Especial, Campinas: Unicamp, pp. 81-88.

SILVA, H. "Rememoração"/comemoração: as utilizações sociais da memória.2002. Rev. Bras. Hist. vol.22 no.44, São Paulo.

SOUSA, E. L. A. 2000, Abril. Caligrafias de uma subtração. C. da APPOA, v. 78, Porto Alegre, pp. 20-23.

TESSLER, E. 2000, Abril. A instalação enquanto lugar e o lugar do espectador. C. da APPOA, v. 78, Porto Alegre, pp. 33-36.

THIBAUD, J. P. 2008. A ambiência, trilhando caminho - em direção a uma perspectiva internacional. Revista Rua, v.14.1, Campinas.

VASCONCELOS, D. M. 2008, Dezembro. Violência Política e Direitos Humanos: As Lutas por Verdade, Justiça e Memória na Argentina. Teoria & Sociedade,16, pp.208-243.

VASCONCELOS, D. M. 2009, Outubro. Memória política, democracia e accountability: algumas reflexões teóricas. Oficina do CES,300.

Publicado
2015-07-07
Como Citar
Araújo, A. de A., & Brasil, L. L. (2015). Do digital às digitais no Sitio de Memoria (Córdoba, Argentina): (re) interpretações da história política na cidade em movimento. RUA, 19(1), 109-130. https://doi.org/10.20396/rua.v19i1.8638237
Seção
Estudos