Banner Portal
Discurso urbano e enigmas no Rio de Janeiro: pichações, grafites, decalques
PDF

Palavras-chave

Discurso urbano. Subjetividade. Arte. Resistência

Como Citar

MARIANI, Bethania; MEDEIROS, Vanise. Discurso urbano e enigmas no Rio de Janeiro: pichações, grafites, decalques. RUA, Campinas, SP, v. 20, p. 127–142, 2015. DOI: 10.20396/rua.v20i0.8638261. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638261. Acesso em: 18 maio. 2024.

Resumo

Neste artigo são retomadas reflexões de Freud e Lacan para, no campo teórico, nas fronteiras pontilhadas entre a Análise do Discurso e a Psicanálise, compreender o funcionamento de certas formas de pichação, grafite e decalque presentes no Rio de Janeiro. Nossa pergunta incide sobre os modos de inscrição de seus habitantes contemporaneamente: o que pichações, grafites e decalques dão a ler? Ou ainda, não teríamos nos muros com decalques, pichações e grafites tentativas de inscrição do sujeito em sua errância pelo espaço urbano? Retomamos ainda uma das questões que ficou em trabalho anterior (Mariani e Medeiros, 2013), qual seja, a que diz respeito a arte como resistência.

https://doi.org/10.20396/rua.v20i0.8638261
PDF

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. Ces mots qui ne sont pas de soi: boucles réflexives et non-coincidences du dire. Paris: Larousse, 1995.

CALVINO, I. Cidades Invisíveis, Cia das Letras, 1993.

LACAN, J. Da estrutura como intromistura de um pre-requisito de alteridade e um sujeito qualquer. in: MACKSEY, R. E DONATO, E. (orgs) A controvérsia estruturalista. SP, Cultrix, 1966, pg 198 a 212.

LAURENT, É. A sociedade do sintoma. A psicanálise, hoje. Rio de Janeiro, Contra Capa, 2007.

MARIANI, B. e Medeiros, V. “E quando a pichação é da prefeitura? Pichar, proscrever, dessubjetivar”, in: Revista Rua, no. 29, junho de 2013, LABEURB, UNICAMP.

ORLANDI, E P. “La ville comme espace politique-symbolique: des paroles désorganisées au récit urbain’., Langage et société, no. 96, 2001.

ORLANDI, E P. “Un corps textual”, 2012, in : BRANCA-ROSOFF, Sonia; OPPERMANN-MRSAUX, Evelyne; PETILLON, Sabine; SITRI, Frédérique (orgs.) L’hétérogène à l’oeuvre dans la langue et les discours, Paris: Ed. Lambert-Lucas.

PÊCHEUX, O discurso: estrutura ou acontecimento, SP: Pontes. 1990.

RANCIERE, J. Le spectateur emancipé. Paris: Ed. La Fabrique, 2013

DOCUMENTÁRIO PIXO: https://www.youtube.com/watch?v=JjS0653Gsn8.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.