A fábula da origem

Autores

  • Renato Salgado de Melo Oliveira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v17i1.8638318

Palavras-chave:

História. Origem. Fábulas. Divulgação científica

Resumo

Esperamos da origem um sentido para tudo. E da história, uma conservação: identidades, patrimônios, causas e consequências. Este texto aposta – entre encontros e desencontros com o filme Narradores de Javé (2003) – pensar a fábula como um desassossego da própria origem: “era uma vez”, tempo sem começo de onde se dispersa nossa pretensão à continuidade. Tempo que faz da origem um lugar sem raízes, e um movimento tanto para o passado quanto para o futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Salgado de Melo Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Mestre em Divulgação Científica e Cultural (DCC), programa de pós-graduação do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) e Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Referências

BARROS, Manoel de. (2008). Memórias inventadas. As Infâncias de Manoel de Barros. São Paulo, Editora Planeta do Brasil.

FOUCAULT, Michel. (2006). Microfísica do poder. Rio de Janeiro, Edições Graal.

Downloads

Publicado

2015-07-17

Como Citar

OLIVEIRA, R. S. de M. A fábula da origem. RUA, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 106–120, 2015. DOI: 10.20396/rua.v17i1.8638318. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638318. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)