Radiodifusão, produção fonográfica e espaço urbano: formação e adensamento do fenômeno esquizofônico em Campinas-SP (... 1990)

Autores

  • Cristiano Nunes Alves Universidade Estadual de Campinas.

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v16i2.8638818

Palavras-chave:

Uso do território. Comunicação. Informação. Música. Urbanização. Campinas

Resumo

Este artigo busca analisar as dinâmicas socioterritoriais na cidade ao longo do tempo. Para tanto, problematizamos o fenômeno da esquizofonia – rompimento entre o som e sua origem – entrada para o exame da conformação e da espessura dos circuitos de rádio FM e produção fonográfica em Campinas. A cidade, desde o início das manifestações esquizofônicas, conta com uma densidade técnica informacional favorável à difusão do fenômeno. O processo de urbanização aqui embutido demonstra a ligação direta entre o espraiamento da urbe, o adensamento do circuito de rádio difusor de um repertório médio e um circuito de produção fonográfica intimamente ligado à produção de fonogramas publicitários. Trata-se, pois, de um estudo de Campinas enquanto um lugar que abriga densidades técnica, informacional e comunicacional. Problematizamos as condições geográficas contemporâneas de vida nesta cidade, indagando sobre o componente comunicacional no uso do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Nunes Alves, Universidade Estadual de Campinas.

Professor, mestre em Geografia. Instituto de Geociências, Departamento de Geografia, Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ALVES, Cristiano Nunes. O circuito sonoro: radiodifusão FM e produção fonográfica em Campinas-SP. 2008. 177p. Dissertação (mestre) em Geografia - Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2008.

ANTONGIOVANNI, Lídia. O meio técnico-cientifico-informacional brasileiro: a publicidade como um vetor das modernizações. 1999. 116p. Dissertação (mestre) em Geografia - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo. 1999.

BIANCO, Nélia R. Del (1999). Tendências da programação radiofônica nos anos 90 sob o impacto das inovações tecnológicas. In BIANCO, Nélia R. Del; MOREIRA, Sônia Virginia (org). Rádio no Brasil: tendências e perspectivas. Rio de Janeiro/Distrito Federal, UERJ/UNB (pp. 185-204).

CALDAS, Waldenir (1995). Luz néon: canção e cultura na cidade. São Paulo, SESC.

CANO, Wilson; BRANDÃO, Carlos (2002). A região Metropolitana de Campinas: urbanização, economia, finanças e meio ambiente. Campinas-SP, Editora Unicamp, Vols. 1 e 2.

CÓDIGO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES. Lei 4.117 de 27 de agosto de 1962.

CORRÊA, Tupã Gomes. Mercado de Música: disco e alienação. São Paulo, Expert. 1987.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro, Contraponto. 1997 [1967].

FERRARETO, Luiz Artur. Rádio: o veículo, a história e a técnica. Porto Alegre, Sagra Luzzatto. 2001.

FRIEDMANN, Georges. Sete estudos sobre o homem e a técnica. São Paulo, Difel. 1968.

GEIGER, Pedro Pinchas. Evolução da rede urbana brasileira. Rio de Janeiro, INEP. 1963.

GOMES, Cilene. Telecomunicações, informática e informação e a remodelação do território brasileiro. In SANTOS, Milton; SILVEIRA, María Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro, Record. 2005. p. 345-356

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo-SP: Edições Loyola. 1992.

HEITOR, Luis. Música e catequese. In Cultura Política, No 40, 1945. p. 140-148.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Texto sem imprensa. 2002. 8 páginas.

LIMA, Marco Aurélio de. 2000. A banda e seus desafios: levantamento e análise de táticas que a mantêm em cena. 213p. Dissertação (mestre) em Música - Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas. Campinas. 2000.

LOPES, Vera Maria de Oliveira Nusdeo. O direito à informação e as concessões de rádio e televisão. São Paulo, Editora Revista dos Tribunais. 1997

MAGNONI, Antônio, et. alli. O rádio digital avança no interior de São Paulo. In BIANCO, Nélia R. Del; MOREIRA, Sônia Virginia. Rádio no Brasil: tendências e perspectivas. Rio de Janeiro/Distrito Federal, UERJ/UNB, 1999. p. 41-60.

MARIANO, Júlio. História da imprensa em Campinas. Campinas, Massaioli. 1972.

MATTELART, Armand. As multinacionais da cultura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira. 1976.

MAZZOLA, Gustavo Osmar. Uma grande antena, uma tela de cantos arredondados, “fantasmas” era a televisão chegando a Campinas. In Revista do CCLA, N° 70, Campinas, 2007.

MOREIRA, Sônia Virginia. O rádio no Brasil. Rio de Janeiro, Rio Fundo. 1991.

MORELLI, Rita de Cássia Lahoz. 1988. Indústria fonográfica: relações sociais de produção e concepções acerca da natureza do trabalho artístico. 226p. Dissertação (mestre) - Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas,

Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1988.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo, Brasiliense. 1989

ORTIZ, Renato. Um outro território: ensaios sobre a mundialização. São Paulo, Editora Olho d'água. 2001.

ORTRIWANO, Gisela Swetlana. A informação no rádio: os grupos de poder e a determinação dos conteúdos. São Paulo, Summus. 1985.

PÁTEO, Maria Luisa de Freitas Duarte. 1997. Bandas de música e cotidiano urbano. 208p. Dissertação (mestre) - Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1997.

PRED, Alan. Sistemas de cidades: economia adiantada, crescimento passado, processos presentes e opções de desenvolvimento futuro. Rio de Janeiro, Zahar. 1979.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Matéria e espírito: o poder (des)organizador dos meios de comunicação. In PIQUET, Rosélia; RIBEIRO, Ana Clara Torres. Brasil, Território da desigualdade. Rio de Janeiro: Zahar, 1991. p. 45-56.

ROLDÃO, Ivete Cardoso do Carmo. CBN Campinas e Nova Brasil – as emissoras em rede de Campinas. In: XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO. 2007, Santos. 15 páginas.

SALGADO, Álvaro. Radiodifusão fator social. In Revista Cultura Política. Rio de Janeiro. 1941. p. 79-93.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec. 1994

SANTOS, Milton. Técnica, espaço e tempo. São Paulo-SP: Hucitec. 1996

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo-SP: Hucitec. 2004 [1996]

SANTOS, Milton; SILVEIRA, María Laura (2005 [2001]). O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record.

SCHAFER. R. Murray. A afinação do mundo - uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. São Paulo: Unesp. 1997 [1977].

SILVA, Júlia Lúcia de Oliveira Albano. Rádio oralidade mediatizada: o spot e os elementos da linguagem radiofônica. São Paulo: Annablume. 1999.

SMITH, Neil. Desenvolvimento desigual: natureza, capital e a produção do espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1988 [1984].

TINHORÃO, José Ramos. Música popular: do gramofone ao rádio e TV. São Paulo: Ática. 1981.

VICENTE, Eduardo. 1996. A música popular e as novas tecnologias de produção musicais: uma análise do impacto das tecnologias digitais no campo da produção da canção popular de massas. 154p. Dissertação (mestre) - Departamento Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas. 1996.

VICENTE, Eduardo. 2001. Música e disco no Brasil: a trajetória da indústria nas décadas de 80 e 90. 333p. Tese (doutorado) - Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo. São Paulo. 2001.

Downloads

Publicado

2015-07-17

Como Citar

ALVES, C. N. Radiodifusão, produção fonográfica e espaço urbano: formação e adensamento do fenômeno esquizofônico em Campinas-SP (... 1990). RUA, Campinas, SP, v. 16, n. 2, p. 38–62, 2015. DOI: 10.20396/rua.v16i2.8638818. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638818. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos