Para além do “sempre igual”: cotidiano e encenação urbana no repertório de Chico Buarque

Autores

  • Flávia de Souza Fontineles Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v16i2.8638819

Palavras-chave:

Cidade. Cotidiano. Música. Chico Buarque

Resumo

Este ensaio apresenta reflexões a respeito do cotidiano urbano, a partir da leitura do par “cidade e expressão musical”, numa tentativa de identificar e compreender elementos das cenas urbanas que aparecem e se articulam como cenário, tema e inspiração para canções que compõem o repertório de um dos mais conhecidos compositores brasileiros: Chico Buarque de Holanda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia de Souza Fontineles, Universidade de Brasília

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília, filiada à Área de Concentração Educação e Comunicação. Atua como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Lattes/CNPq “Educação Hipertextual nas produções culturais e práticas sociais”

Referências

BRESCIANI, M. Stella. Cultura e História, uma aproximação possível. In: PAIVA, M.; MOREIRA. M. E. (orgs.). Cultura. Substantivo Plural. Rio de Janeiro: Ed. 34. 1996. pp.35-53.

BOLLE, Willi. Fisiognomia da Metrópole Moderna. Representação da História em Walter Benjamin. São Paulo: EDUSP. 1994.

CHARTIER, Roger. A História Cultural – entre práticas e representações. Lisboa: Difel. 1990.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis/RJ: Vozes. 1994.

LEFEBVRE, H.Introducción a la psicosociologia de la vida cotidiana. In: La vida cotidiana en el mundo moderno. Madri: Editorial S/A. 1972. p. 85-102.

NEGRÃO DE MELLO, Maria T. Cascariguindum – cotidiano, cidadania e imaginário na obra de Adoniran Barbosa. In: MENEZES, Albene M. (org.). História em movimento(temas e pergu ntas). Brasília: Thesaurus. 1997. p. 147-160.

NEGRÃO DE MELLO, Maria T. Porteiro suba e diga àquela ingrata – tango argentino, imaginário e cotidiano. In: ALMEIDA, Jaime de. Caminhos de história da América no Brasil – tendências e contornos de um campo historiográfico. Brasília: Anphlac. 1998. p. 191-202.

NEGRÃO DE MELLO, Maria T. Santa Maria, Pinta e Nina: A redescoberta dos Caribes em espaços discursivos brasileiros. In: ALMEIDA, Jaime de; CABRERA, Olga; ZAVALA, Maria T. (orgs.). Cenários Caribenhos. Brasília: Paralelo 15. 2003. p.13-31.

ORLANDI, Eni. Cidade dos sentidos. Campinas/SP: Pontes. 2004.

ROUANET, S. Paulo; PEIXOTO, N. Brissac. É a cidade que habita os homens ou eles que moram nela? In: Revista USP. Dossiê Walter Benjamin. 1992. p. 50-75.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In: GUILHERME VELHO, O. O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar. 1976.

SOHIET, Rachel. A subversão pelo riso; estudos sobre o carnaval carioca da Belle Époque ao tempo de Vargas. São Paulo: FGV. 1998.

TEIXEIRA, M. Cecília Sanchez. Socio-antropologia do cotidiano: a abordagem de Michel Maffesoli. In: Antropologia, cotidiano e educação. Rio de Janeiro, Imago. 1990. p. 97-151.

ZACCUR, Edwiges. Metodologias abertas a iterâncias, interações e errâncias cotidianas. In: GARCIA, Regina Leite (org.). Método: pesquisa com o cotidiano. Rio de Janeiro: DF&A. 2003. p. 177-198.

Downloads

Publicado

2015-07-17

Como Citar

FONTINELES, F. de S. Para além do “sempre igual”: cotidiano e encenação urbana no repertório de Chico Buarque. RUA, Campinas, SP, v. 16, n. 2, p. 65–79, 2015. DOI: 10.20396/rua.v16i2.8638819. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638819. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos