Banner Portal
Divulgação monstra: pulsações por entre vida, caos e política
PDF

Palavras-chave

Divulgação científica. Biotecnologias. Vida. Política.

Como Citar

DIAS, Susana Oliveira. Divulgação monstra: pulsações por entre vida, caos e política. RUA, Campinas, SP, v. 15, n. 2, p. 30–46, 2015. DOI: 10.20396/rua.v15i2.8638855. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638855. Acesso em: 23 jul. 2024.

Resumo

A maquinaria biotecnológica – laboratórios, pesquisas, pesquisadores, DNAs, modelos, sons, conceitos, palavras, filmes, imagens, notícias etc. – se efetua e expressa intensamente sob os signos da organicidade e do julgamento moral (bem ou mal). O que poderia a divulgação científica em meio a essa paisagemcorpo-pensamento? Que pulsares em forças-escritas-pesquisas poderiam ser potencializados ao pensarmos em uma divulgação científica como de-formações, multiplicações, proliferações e dispersões das biotecnologias? Apostas políticas que querem fazer da escrita-pesquisa possibilidades de fuga da vida, do humano, do futuro.

https://doi.org/10.20396/rua.v15i2.8638855
PDF

Referências

ANDRADE, E. de A. et al. CyBlogs: divagam divulgam bio-tecno-logias? 7#ART – 7o. Encontro internacional de Arte e Tecnologia. Anais. Brasília, out. 2008. Disponível em: http://arte.unb.br/7art/textos/eleniseall.pdf Acesso em: out. 2008.

ANDRADE, E. de A. O dado prega uma peça na divulgação científica. Congresso internacional em artes, novas tecnologias e comunicação Ciantec: ontem, hoje e amanhã: pluralidade de olhares num percurso comum. Anais. São Paulo, set. 2008, p. 207-213. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/6306383/CIANTEC-2008#document_metadata Acesso em: out. 2008.

ANDRADE, E. C. P.; MACEDO, S. C. S.; DIAS, S. O. Vidas Ventanas: janelar entre tão divulg(divag)ação. Artefactum – Revista de Estudos em Linguagem e Tecnologia, ano II, n. 3, julho de 2009.

ANDRADE, E.; DIAS, S. Entre currículos, cortes, mortes: imagens-cérebros ex-põem divulgações-divagações... Anais. 60a. Anped, Caxambu, 2009.

ANDRADE, E. C. P. de. Monstros/as? Mostras? Meninas/os? ComCiência, Campinas, n.92,2007. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=29&id=336 Acesso em mai. de 2009.

AMORIM, A. C. R. de. Traços de singularidade. ComCiência. Campinas, n. 92, 2007. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=29&id=334&tipo=1 Acesso em: mai. de 2009.

AMORIM, A. C. R. de. O invisível e não enunciável: cinema brasileiro e amnésia de identidades. Educ. Soc. Campinas, vol. 27, n. 97, p. 1367-1372, set./dez. 2006. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: mar. de 2009.

DIAS, S. O. Papelar o pedagógico... escrita, tempo e vida por entre imprensas e ciências. Tese (Doutorado). 2008. Campinas-SP: Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

DIAS, S. O. et al.. Fotoquaselances: potências trans na divulgação científica. Anais. II Seminário Nacional de Cultura Visual, Universidade Federal de Goiás, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Que é a filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992. (Coleção TRANS).

FLAXMAN, G. (2008). Gilles Deleuze, filósofo do futuro. Educação Temática Digital (ETD).Campinas, v.9, n. esp., p.1-14, out. FONSECA, C. A certeza que pariu a dúvida: paternidade e DNA. Estudos Feministas. Florianópolis, 12(2): 264, mai.-ago. 2004.

HARAWAY, D. A cyborg manifesto: science, technology, and socialist-feminism in the late Twentieth Century. In: Simians, cyborgs and women: the reinvention of nature. NewYork: Routledge, 1991. p.149-181. Disponível em: http://www.stanford.edu/dept/HPS/Haraway/CyborgManifesto.html . Acesso em: mai. de 2009.

KAFKA, F. A metamorfose e Um artista da fome. Trad. Torrieri Guimarães. Rio de Janeiro: Ediouro; São Paulo: Publifolha, 1998. (Biblioteca Folha. Clássicos da Literatura Universal).

LA TORRE, T. ; AMORIM, A. C. R. Novas mídias para um sujeito ativo e inconsciente na divulgação científica. ComCiência. Dossiê TICs, n. 110, 10/08/2009. Disponível em:http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=48&id=603 .Acesso em: ago. 2009.

LAYMERT. Tecnologia e seleção. In: LINS, D.; PELBART, P. P. (org.). Nietzsche e Deleuze – bárbaros e civilizados. São Paulo: Annablume, 2004, p. 103-117.

RIPOLL, D. Corpo e biotecnologias na contemporaneidade: lições midiáticas. III Seminário Corpo, Gênero e Sexualidade: discutindo práticas educativas. Anais. UFRGS: Porto Alegre-RS, 2007.

RIPOLL, D. Você tem medo de quê? A pedagogização midiática do risco. ComCiência, Campinas, n. 104, 2008. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/index.php?section=8&edicao=41&id=494. Acesso em: mai. de 2009.

URBANO, J.; MENEZES, M. de; COSTA, P. A. A desesteticização do vivo: decepção e improdutividade – entrevista a Oron Catts. Nada. Lisboa, Portugal: Instituto Português do Livro e das Bibliotecas/Ministério da Cultura, n. 7, mar. de 2006.

VOGT, C. et al.. Biotecnologias de rua. In: ALBORNOZ, M.; VOGT, C.; ALFARAZ, C. Indicadores de ciencia y tecnologia em Iberoamerica. Agenda 2008. Buenos Aires, Argentina: Ricyt, 2008, p. 285-298.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.