Divulgação monstra: pulsações por entre vida, caos e política

Autores

  • Susana Oliveira Dias Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v15i2.8638855

Palavras-chave:

Divulgação científica. Biotecnologias. Vida. Política.

Resumo

A maquinaria biotecnológica – laboratórios, pesquisas, pesquisadores, DNAs, modelos, sons, conceitos, palavras, filmes, imagens, notícias etc. – se efetua e expressa intensamente sob os signos da organicidade e do julgamento moral (bem ou mal). O que poderia a divulgação científica em meio a essa paisagemcorpo-pensamento? Que pulsares em forças-escritas-pesquisas poderiam ser potencializados ao pensarmos em uma divulgação científica como de-formações, multiplicações, proliferações e dispersões das biotecnologias? Apostas políticas que querem fazer da escrita-pesquisa possibilidades de fuga da vida, do humano, do futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susana Oliveira Dias, Universidade Estadual de Campinas

Especialista em Jornalismo Científico pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Unicamp. Doutora pela Faculdade de Educação da Unicamp. Pesquisadora (Pq C) do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp, professora e coordenadora do curso de Mestrado em Divulgação Científica e Cultural (MDCC) do Labjor. É editora da revista de jornalismo científico ComCiência.

Referências

ANDRADE, E. de A. et al. CyBlogs: divagam divulgam bio-tecno-logias? 7#ART – 7o. Encontro internacional de Arte e Tecnologia. Anais. Brasília, out. 2008. Disponível em: http://arte.unb.br/7art/textos/eleniseall.pdf Acesso em: out. 2008.

ANDRADE, E. de A. O dado prega uma peça na divulgação científica. Congresso internacional em artes, novas tecnologias e comunicação Ciantec: ontem, hoje e amanhã: pluralidade de olhares num percurso comum. Anais. São Paulo, set. 2008, p. 207-213. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/6306383/CIANTEC-2008#document_metadata Acesso em: out. 2008.

ANDRADE, E. C. P.; MACEDO, S. C. S.; DIAS, S. O. Vidas Ventanas: janelar entre tão divulg(divag)ação. Artefactum – Revista de Estudos em Linguagem e Tecnologia, ano II, n. 3, julho de 2009.

ANDRADE, E.; DIAS, S. Entre currículos, cortes, mortes: imagens-cérebros ex-põem divulgações-divagações... Anais. 60a. Anped, Caxambu, 2009.

ANDRADE, E. C. P. de. Monstros/as? Mostras? Meninas/os? ComCiência, Campinas, n.92,2007. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=29&id=336 Acesso em mai. de 2009.

AMORIM, A. C. R. de. Traços de singularidade. ComCiência. Campinas, n. 92, 2007. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=29&id=334&tipo=1 Acesso em: mai. de 2009.

AMORIM, A. C. R. de. O invisível e não enunciável: cinema brasileiro e amnésia de identidades. Educ. Soc. Campinas, vol. 27, n. 97, p. 1367-1372, set./dez. 2006. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: mar. de 2009.

DIAS, S. O. Papelar o pedagógico... escrita, tempo e vida por entre imprensas e ciências. Tese (Doutorado). 2008. Campinas-SP: Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

DIAS, S. O. et al.. Fotoquaselances: potências trans na divulgação científica. Anais. II Seminário Nacional de Cultura Visual, Universidade Federal de Goiás, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Que é a filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992. (Coleção TRANS).

FLAXMAN, G. (2008). Gilles Deleuze, filósofo do futuro. Educação Temática Digital (ETD).Campinas, v.9, n. esp., p.1-14, out. FONSECA, C. A certeza que pariu a dúvida: paternidade e DNA. Estudos Feministas. Florianópolis, 12(2): 264, mai.-ago. 2004.

HARAWAY, D. A cyborg manifesto: science, technology, and socialist-feminism in the late Twentieth Century. In: Simians, cyborgs and women: the reinvention of nature. NewYork: Routledge, 1991. p.149-181. Disponível em: http://www.stanford.edu/dept/HPS/Haraway/CyborgManifesto.html . Acesso em: mai. de 2009.

KAFKA, F. A metamorfose e Um artista da fome. Trad. Torrieri Guimarães. Rio de Janeiro: Ediouro; São Paulo: Publifolha, 1998. (Biblioteca Folha. Clássicos da Literatura Universal).

LA TORRE, T. ; AMORIM, A. C. R. Novas mídias para um sujeito ativo e inconsciente na divulgação científica. ComCiência. Dossiê TICs, n. 110, 10/08/2009. Disponível em:http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=48&id=603 .Acesso em: ago. 2009.

LAYMERT. Tecnologia e seleção. In: LINS, D.; PELBART, P. P. (org.). Nietzsche e Deleuze – bárbaros e civilizados. São Paulo: Annablume, 2004, p. 103-117.

RIPOLL, D. Corpo e biotecnologias na contemporaneidade: lições midiáticas. III Seminário Corpo, Gênero e Sexualidade: discutindo práticas educativas. Anais. UFRGS: Porto Alegre-RS, 2007.

RIPOLL, D. Você tem medo de quê? A pedagogização midiática do risco. ComCiência, Campinas, n. 104, 2008. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/index.php?section=8&edicao=41&id=494. Acesso em: mai. de 2009.

URBANO, J.; MENEZES, M. de; COSTA, P. A. A desesteticização do vivo: decepção e improdutividade – entrevista a Oron Catts. Nada. Lisboa, Portugal: Instituto Português do Livro e das Bibliotecas/Ministério da Cultura, n. 7, mar. de 2006.

VOGT, C. et al.. Biotecnologias de rua. In: ALBORNOZ, M.; VOGT, C.; ALFARAZ, C. Indicadores de ciencia y tecnologia em Iberoamerica. Agenda 2008. Buenos Aires, Argentina: Ricyt, 2008, p. 285-298.

Downloads

Publicado

2015-07-21

Como Citar

DIAS, S. O. Divulgação monstra: pulsações por entre vida, caos e política. RUA, Campinas, SP, v. 15, n. 2, p. 30–46, 2015. DOI: 10.20396/rua.v15i2.8638855. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638855. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)