Escutando a adolescência nas grandes cidades através do grafite

Autores

  • Rodrigo Lages e Silva Faculdade Cenecista de Osório

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v10i1.8640766

Palavras-chave:

Grafitagem. Cidades. Processo de exclusão. Sociedade de consumo

Resumo

Este trabalho faz uma apreciação do fenômeno do grafite nas grandes cidades, contextualizando o protagonismo adolescente na atividade da grafitagem como uma forma de resistência aos processos de exclusão que são postos em prática no capitalismo. 

O desencolvimento aborda os efeitos físicos e subjetivo da sociedade de consumo no contexto da cidade, assim como seu atravessamento nos processos de identificação implicados na adolescência e que culminam na produção do grafite como fenômeno de linguagem peculiar à cidade moderna.

No seu decurso, descobrimos o grafite como uma ação de cidadania na qual os adolescentes, na contramão do estilo de vida que vem sendo produzido pela modernidade, conseguem engajar-se.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Lages e Silva, Faculdade Cenecista de Osório

Psicólogo formado pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003), com mestrado em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense (2012). Atualmente sou professor em tempo parcial na Faculdade Cenecista de Osório e Psicólogo Clínico em consultório particular.

Downloads

Publicado

2015-10-07

Como Citar

SILVA, R. L. e. Escutando a adolescência nas grandes cidades através do grafite. RUA, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 65–85, 2015. DOI: 10.20396/rua.v10i1.8640766. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8640766. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos