Banner Portal
Big data e as pegadas do monstro: o digital na leitura da análise do discurso
PDF

Palavras-chave

Interpretação. Análise do discurso. Digital. Big data

Como Citar

ALVES, Mariana Garcia de Castro. Big data e as pegadas do monstro: o digital na leitura da análise do discurso. RUA, Campinas, SP, v. 22, p. 352–375, 2016. DOI: 10.20396/rua.v22i2.8647448. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8647448. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

Este artigo analisa dois textos de Michel Pêcheux, escritos sob o pseudônimo de Thomas Herbert, na década de 1960. O objetivo é entender como podemos ler esses textos, ao levar em conta o big data como forma material do conhecimento atualmente. Discutiremos se os "fatos" minam a "interpretação" na utilização do big data no discurso das ciências sociais. Além disso, analisaremos três corpora para compreensão dos discursos de big data na gestão do espaço urbano.
https://doi.org/10.20396/rua.v22i2.8647448
PDF

Referências

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Trad. Eni Puccinelli Orlandi. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

BOLLIER, David. The Promise and Peril of Big Data. Washington, DC: The Aspen Institute, , 2010.

CAPELAS, B.; MANS, M. Redes sociais formam ‘bolhas políticas’. Estadão. Disponível em: http://link.estadao.com.br/noticias/geral,redes-sociais-formam-bolhaspoliticas,10000023302 Acesso em: 10.jun.2016.

BOYD, D. & CRAWFORD, K. Critical Questions for Big Data. In: Information, Communication & Society Vol. 15, No. 5, June 2012, pp. 662–679. ISSN 1369-118X print/ISSN 1468-4462. DOI: 10.1080/1369118X.2012.678878.

DIAS, C. P. Sujeito, sociedade e tecnologia: a discursividade da rede (de sentidos). São Paulo: Hucitec, 2012.

E-SCIENCE UNICAMP. Física estudada no computador. Disponível em: http://rj.iqm.unicamp.br/-/fisica-estudada-no-computador?redirect=http%3A%2F%2Frj.iqm.unicamp.br%2Fhome%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_w6IFWjkYOieb%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3D

column-3%26p_p_col_pos%3D1%26p_p_col_count%3D2 Acesso em 18.mai.2016.

FUCHS, C.; PÊCHEUX, M. A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas (1975). In: GADET, F.; HAK, T. Por uma análise automática do discurso. 4ª edição. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

GRIMMER, J. We Are All Social Scientists Now: How Big Data, Machine Learning, and Causal Inference Work Together. In: Political Science and Politics 48(01), p. 80-83. Jan. 2015

GUIMARÃES, E. Produzindo o sentido de um nome. In: RUA [online]. 2014, Edição Especial - ISSN 1413-2109. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade. http://www.labeurb.unicamp.br/rua/ Acesso em 09. jun.2016.

HENRY, P. Os fundamentos teóricos da “análise automática do discurso” de Michel

Pêcheux (1969). In: GADET, F.; HAK, T. (orgs.) Por uma análise automática do discurso. 4ª edição. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

IBPAD, Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados. Etnografia em Mídias Sociais: Marcas e Consumo (Avançado). Disponível em: http://www.ibpad.com.br/services/comunicacao-digital/etnografia-para-midias-sociais-marcas-e-consumo-avancado-21horas/?utm_medium=redesads&utm_source=fb&utm_campaign=etnospav1&utm_content=185 Acesso em: 28. mai. 2016.

LATOUR, B. O todo é sempre menor que as partes: um teste digital acerca das mônadas de Gabriel Tarde. In: Parágrafo. JUL/DEZ.2015, V. 2, N. 3 (2015) ISSN: 2317- 4919 Tradução: Flávia Gonsales e Beatriz Redko do texto “The Whole is Always Smaller

Than Its Parts”- How Digital Navigation May Modify Social Theory” publicado no British Journal of Sociology, v. 63, n. 4, p. 591-615, 2012.

MANOVICH , L. A Ciência da Cultura? Computação Social, Humanidades Digitais e Analítica Cultural. In: MATRIZes. V.9 - Nº 2 jul./dez. 2015 DOI:http://dx.doi.org/10.11.606/issn.1982-8160.v9.i2p.67-83 São Paulo, SP. p. 67-83.

OECD. New Data for Understanding the Human Condition: International Perspectives. OECD. Global Science Forum Report on Data and Research Infrastructure for the Social Sciences. Fevereiro de 2013. Disponível em: http://www.oecd.org/sti/scitech/new-data-for-understanding-the-human-condition.htm. Acesso em: 10.jun.2016.

ORLANDI, E. Ler Michel Pêcheux Hoje. In: PÊCHEUX, M. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. Textos selecionados por: Eni Puccinelli Orlandi. 4ª edição. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014.

ORWELL, G. 1984. Trad: Alexandre Hubner, Heloísa Jahn. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PÊCHEUX, M. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. Textos selecionados por: Eni Puccinelli Orlandi. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014.

PÊCHEUX, M. (Thomas Herbert). Observações para uma teoria geral das ideologias. In: Rua, 1, Campinas : Unicamp, 1995, p. 63-89.

TAYLOR, F. Caquard, S. Cybercartography: Maps and Mapping in the Information Era. In: Cartographica. Volume 41, issue 1, p.1-5. University of Toronto Press, Spring 2006.

WIRED. The end of theory: the data deluge makes the scientific method obsolete. Disponível em: http://www.wired.com/2008/06/pb-theory. Acesso em 19.mai.2016.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.