Banner Portal
Dissidentes, violentos e violentáveis: LGBTs nas narrativas de violência da Amazônia Paraense
PDF

Palavras-chave

Homossexualidade. Transexualidade. Narrativa midiática. Violência. Amazônia Paraense

Como Citar

FERREIRA JUNIOR, Sergio do Espirito Santo; COSTA, Alda Cristina. Dissidentes, violentos e violentáveis: LGBTs nas narrativas de violência da Amazônia Paraense. RUA, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 525–551, 2016. DOI: 10.20396/rua.v22i2.8647948. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8647948. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender o processo de construção da narrativa midiática e de conformação do acontecimento nos casos da cobertura midiática sobre violência envolvendo LGBTs, sobretudo homossexuais e transexuais, no contexto paraense. Recorremos a noções de enquadramento, narrativa, acontecimento e campo problemático para dar conta do ambiente complexo em que essas violências se inserem e dos operadores simbólicos usados pela mídia na Amazônia Paraense para conformar os acontecimentos por meio dessas narrativas. Dentre os principais operadores simbólicos destacados, há o enquadramento de marcas identitárias como marcas negativas, a narrativização relacionada à normalização da violência e o reforço das ideologias heterossexista e heteronormativa, constituindo-se também como repercussão simbólica e consequência do processo de narração do acontecimento.
https://doi.org/10.20396/rua.v22i2.8647948
PDF

Referências

ADORNO, Sérgio. Exclusão socioeconômica e violência urbana. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 84-135, jul./dez. 2002.

ARQUEMBOURG, Jocelyne. Entre facto e sentido: contar o acontecimento. Trajectos, Lisboa, n. 6, p. 109-112, primavera. 2005.

BECKER, Bertha K. Amazônia. São Paulo: Ática, 1990.

BRASIL. Relatório de violência homofóbica no Brasil: ano de 2012. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, 2013.

BRASIL. Relatório sobre Violência Homofóbica no Brasil: ano de 2011. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, 2012.

CARRARA, Sérgio; VIANA, Adriana R. B. “As vítimas do desejo”: os tribunais cariocas e a homossexualidade. In: PISCITELLI, Adriana;

GREGORI, Maria Filomena; CARRARA, Sérgio (Org.). Sexualidade e Saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro: Garamond Universitária, 2004. p. 365-383.

CASTRO, Fábio. Comunicação, poder e democracia. Belém: Labor Edições, 2012.

CORREIA, João Carlos. Teoria e crítica do discurso noticioso: notas sobre jornalismo e representações sociais. Covilhã: Livros LabCom, 2009.

EDWARDS, Anne. Male violence in feminist theory: an analysis of the changing conceptions of sex/gender violence and male violence. In: HANMER, Jalna; MAYNARD, Mary (Ed.). Women, violence and social control. Atlantic Highlands: Humanities Press Internacional, 1987. p. 13-29.

FERREIRA JUNIOR, Sergio. Narrativas imagéticas da violência: dramatização da morte na mídia impressa da Amazônia Paraense. Revista Cambiassu, São Luís, v.15, n.17, p. 211-229, jul./dez. 2015.

FERREIRA JUNIOR, Sergio; COSTA, Alda Cristina. Enquadramentos e representações sociais da violência urbana na imprensa da Amazônia Paraense. Revista Estudos de Jornalismo, Porto, n. 5, v. 2, p. 99-114, abr. 2016

FERREIRA JUNIOR, Sergio; MENEZES, Alana. Individualização do acontecimento e mortes violentas: as narrativas policiais da mídia impressa paraense. Temática, João Pessoa, ano 10, n.11, p. 55-70, nov. 2014.

FERREIRA JUNIOR, Sergio; LOUREIRO, João; COSTA, Alda Cristina. A violência e as suas representações no Twitter: o caso da #ChacinaEmBelem. Mediação, Belo Horizonte, v. 18, n. 22, p. 153-172, jan./jun. 2016.

FRANÇA, Vera. O crime e o trabalho de individuação do acontecimento no espaço midiático. Caleidoscópio, Lisboa, n. 10, p. 59-72, 1º semestre. 2011.

GOFFMAN, Erving. Quadros de experiência social: uma perspectiva de análise. Petrópolis: Vozes, 2012.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In:

JODELET, Denise. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2001. p. 17-44.

LACERDA, Paula. O drama encenado: assassinato de gays e travestis na imprensa carioca. 2006. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Instituto de Medicina Social, Rio de Janeiro, 2006.

LEAL, Bruno Souza; CARVALHO, Carlos Alberto de. Jornalismo e homofobia no Brasil: mapeamentos e reflexões. São Paulo: Intermeios, 2012.

LOURO, Guacira Lopes. Heteronormatividade e homofobia. In:

JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009. p. 85-93.

MEDITSCH, Eduardo. Journalism as a form of knowledge. Brazilian Journalism Research, v. 1, n. 2, p. 121-136, 2005.

MICHAUD, Yves. A violência. São Paulo: Editora Ática, 1989.

MOUILLAUD, Maurice. A crítica do acontecimento ou o fato em questão. In: MOUILLAUD, Maurice; PORTO, Sérgio Dayrrel (Org.). O jornal: da forma ao sentido. 2. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2002. p. 48-83.

NARDI, Henrique Caetano. Educação, heterossexismo e homofobia. In: POCAHY, Fernando. (Org.). Políticas de enfrentamento ao heterossexismo: corpo e prazer. Porto Alegre: NUANCES, 2010. p. 151-169.

PARÁ. Balanço das Ocorrências Policiais com Registro no Sistema Integrado de Segurança. Belém: Secretaria de Estado de Segurança Pública, 2012.

PEELO, Moira; SOTHILL, Keith. The place of public narratives in reproducing social order. Theoretical Criminology, London, v. 4, n. 2, p. 131-148. 2000.

PERALVA, Angelina. Violência e democracia: o paradoxo brasileiro. São Paulo: Paz e Terra, 2000

PINTO, José Madureira, Comunicação/In-comunicação. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 1, p. 91-99, jun. 1978.

QUÉRÉ, Louis. A individualização dos acontecimentos no quadro da experiência pública. Caleidoscópio, Lisboa, n. 10, p. 13-37, 1º semestre. 2011.

QUÉRÉ, Louis. Entre facto e sentido: a dualidade do acontecimento. Trajectos, Lisboa, n. 6, p. 59-75, primavera. 2005.

RODRIGUES, Adriano Duarte. O campo dos media. Lisboa: A Regra do Jogo, 1984.

SAMUEL, Kristopher-Jon; COSTA, Alda Cristina. O popular como construção narrativa nos programas da televisão paraense: uma análise do programa Balanço GeralPA. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 38, 2015. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 2015.

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis: Vozes, 1998.

TUCHMAN, Gaye. As notícias como uma realidade construída. In: ESTEVES, João Pissarra (Org.). Comunicação e sociedade: os efeitos sociais dos meios de comunicação de massa. Lisboa: Livros Horizonte, 2002. p. 91-104.

VELOSO, Maria do Socorro Furtado. Imprensa e contra-hegemonia: 20 anos de Jornal Pessoal (1987-2007). Belém: Paka-Tatu, 2014.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2015: mortes matadas por arma de fogo. Brasília: Secretaria Geral da Presidência da República; Secretaria Nacional de Juventude; Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, 2015.

WEEKS, Jeffrey. Questions of identity. In: CAPLAN, Pat (Ed.). The cultural construction of sexuality. London: Routledge, 1995. p. 31-51.

ZALUAR, Alba. Integração perversa: pobreza e tráfico de drogas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

Jornais consultados

BOMBEIRO diz que “levou o limpa” de travestis. Diário do Pará, Belém, ano 30, n. 10.156, 01 maio 2012. p. 6.

CORPO de travesti é enterrado. Homofobia provocou 23 mortes em 16 meses. O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.736, 30 out. 2012. p. 1.

HOMOFOBISMO pode ter feito mais uma vítima. Diário do Pará, Belém, ano 30, n. 10.337, 29 out. 2012. p. 3.

HOMOSSEXUAL é morto a facadas dentro de casa. Diário do Pará, Belém, ano 30, n. 10.262, 15 ago. 2012a. p. 7.

HOMOSSEXUAL é morto com pauladas na cabeça. Diário do Pará, Belém, ano 30, n.10.121, 27 mar. 2012b. p. 6.

HOMOSSEXUAL garante que matou companheiro. Diário do Pará, Belém, ano 30, n. 10.268, 21 ago. 2012c. p. 8.

HOMOSSEXUAL confessa crime, mas polícia não localiza cadáver. O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.666, 21 ago. 2012d. p. 1.

POLÍCIA Civil passa a aceitar nome social O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.725, 19 out. 2012. p. 5.

TRAVESTI comandava tráfico humano. Diário do Pará, Belém, ano 30, n. 10.159, 04 maio 2012a. p. 4

TRAVESTI morta a tiros teve os pés amarrados. O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.735, 29 out. 2012b. p. 3.

TRAVESTI suspeito de tráfico de pessoas chega a Belém. O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.557, 04 maio 2012c. p. 4.

TRAVESTIS festejam nova ‘carteira social’. O Liberal, Belém, ano 66, n. 33.726, 20 out. 2012. p. 2.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.