Dialetos/Línguas do Brasil na desciclopédia

Autores

  • Ana Cláudia Fernandes Ferreira Universidade do Vale do Sapucaí
  • Joelma Pereira de Faria Universidade do Vale do Sapucaí

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v22i2.8647951

Palavras-chave:

Dialetos/Línguas do Brasil. Termos. Nomes. Definições. Descrições. Desciclopédia

Resumo

Este trabalho objetiva analisar os modos como alguns dialetos/línguas do Brasil são significados em três artigos da Desciclopédia: Paulistanês, Mineirês e Disschionario Aurélo da Língua Carioca. De uma perspectiva discursiva da história das ideias linguísticas no Brasil em articulação com a semântica da enunciação e com estudos sobre saber urbano e linguagem, propomos desenvolver nossas análises buscando responder a questões como: O que se constrói como coisas-asaber (Pêcheux, 1983) sobre dialetos e línguas nesses artigos? Que memórias da história contraditória da gramatização brasileira do português (Orlandi e Guimarães, 2001) vão sendo aí mobilizadas? De que maneiras essas memórias se mantêm no espaço do dizível que advêm de outras enciclopédias, bem como da gramática e da linguística? Em que medida a Desciclopédia promove uma abertura para a constituição de outros espaços de dizer sobre os dialetos/línguas do Brasil? Como os nomes, termos, títulos, definições, classificações e descrições presentes nesses artigos da Desciclopédia, em que o humor é parte constitutiva e fundamental, produzem efeitos sobre os modos de significação dos dialetos e línguas aí envolvidos?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cláudia Fernandes Ferreira, Universidade do Vale do Sapucaí

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem – PPGCL da Universidade do Vale do Sapucaí

Joelma Pereira de Faria, Universidade do Vale do Sapucaí

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem – PPGCL da Universidade do Vale do Sapucaí

Referências

AUROUX, Sylvain. A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

AUROUX, Sylvain. A Filosofia da Linguagem. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

DESCICLOPÉDIA. Desciclopédia. Disponível em:

http://desciclopedia.org/wiki/Desciclopédia. Acesso: 20 jun. 2016.

DESCICLOPÉDIA. Disschionario Aurélo da Língua Carioca. Disponível em: http://desciclopedia.org/wiki/Carioquês. Acesso em: 20 jun. 2016.

DESCICLOPÉDIA. Mineirês. Disponível em: http://desciclopedia.org/wiki/Minerês. Acesso em: 20 jun. 2016.

DESCICLOPÉDIA. Paulistanês. Disponível em: http://desciclopedia.org/wiki/Paulistês. Acesso em: 20 jun. 2016.

DIAS, L. F. Os sentidos do idioma nacional. Campinas: Pontes, 1996.

DIAS, L. F. Formações nominais designativas da língua do Brasil: uma abordagemenunciativa. Letras. Santa Maria, v. 23, n. 46, p. 11-22. jan./jun. 2013. Disponível em: http://periodicos.ufsm.br/letras/article/view/11723. Acesso em: 20 jun. 2016.

DIAS, L. F. Língua e nacionalidade no Brasil na primeira metade do século XX. Polifonia. Cuiabá, MT, v. 22, n. 31, p. 11-31, janeiro-junho, 2015. Disponível em:

http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/3120/2155. Acesso em: 20 jun. 2016.

FERREIRA, A. C. F. As coisas-a-saber sobre uma cidade na Wikipédia e na Desciclopédia: Pouso Alegre entre edifícios e buracos. Revista RUA, n. 18, v.2. Campinas: Labeurb/Unicamp, 2012. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/rua/pages/home/lerArtigo.ruapdf=1&id=133. Acesso em: 18 abr. 2016.

FERREIRA, A. C. F.. Discursos sobre Cidades na Enciclopédia “Tradicional”, na Wikipédia e na Desciclopédia: percursos de sujeitos, saberes e línguas. Em: Cristiane Dias (Org.) Formas de Mobilidade no Espaço E-Urbano: Sentido e Materialidade Digital. Série

e-urbano. Vol. 2, 2013, pp. 20-46. Campinas: Labeurb/Nudecri/Unicamp. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/livroEurbano/volumeII/arquivos/pdf/eurbanoVol2_AnaFerreira.pdf. Acesso em: 18 abr. 2016.

FERREIRA, A. C. F.. O papel e o poder fundador da linguagem na reflexão sobre conhecimento e tecnologia. Entremeios: revista de estudos do discurso, v. 11, jul-dez. Pouso Alegre: PPGCL/Univás, 2015. Disponível em: http://www.entremeios.inf.br/published/300.pdf.

Acesso em: 18 abr. 2016.

FREITAG, R. M. K. Uma hipótese de gramaticalização do pronome reflexivo se na fala de Florianópolis. Working Papers em Linguística, v. 7, n. 1. Florianópolis: UFSC, 2003. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/workingpapers/article/view/

/5722. Acesso em: 12 mai. 2016.

FORTES, H. P. A língua que falamos. Rio de Janeiro: Edições G.R.D., 1957a.

FORTES, H. P. A questão da língua brasileira. Rio de Janeiro: Edições G.R.D.; 1957b.

GUIMARÃES, E. Língua de Civilização e Línguas de Cultura: a Língua Nacional no Brasil. In: BARROS, D. P. de. Os Discursos do Descobrimento. São Paulo: Fapesp/Edusp, 2000.

GUIMARÃES, E. Semântica do Acontecimento. Um Estudo Enunciativo da Designação.Campinas: Pontes, 2002.

GUIMARÃES, E. História da Semântica. Sujeito, Sentido e Gramática no Brasil. Campinas: Pontes, 2004.

HENGE, G. S. Sujeitos e Saberes: Redes Discursivas em uma Enciclopédia Online.Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Letras/UFRGS, 2009.

MELO, G. C. (1946) A língua do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 1971.

MELO, G. C. (1948) Alencar e a “língua brasileira” (seguida de Alencar, cultor e artífice da língua). Departamento de Imprensa Nacional, Conselho Federal de Cultura, 1972, 3. ed.

NASCENTES, A. O linguajar carioca em 1922. Rio de Janeiro: Livraria scientífica brasileira, 1922.

NASCENTES, A. O linguajar carioca. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1953, 2. ed.

NUNES, J. H. Para uma História do Discurso Enciclopédico no Brasil. Resumo Expandido apresentado na XXVII ENANPOLL. Niterói: Instituto de Letras/UFF, 2012a. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/anpoll/resumos/josehorta.pdf.

Acesso em: 17 abr. 2016.

NUNES, J. H. A Enciclopédia Discursiva da Cidade (ENDICI). In: Ana Cláudia Fernandes Ferreira e Ronaldo Teixeira Martins. (Orgs.). Linguagem e Tecnologia. 1ed.Campinas:RG, 2012b, v. 1, p. 159-175.

NUNES, J. H. A cidade enquanto objeto do discurso enciclopédico. Revista RUA (UNICAMP), v. 20, 2014, p. 1-20. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/rua20anos/web/rua2/PDF/Revistas/1/revistaRua_1_5.pdf. Acesso em: 20 jun. 2016.

ORLANDI, E. Língua fluida e língua imaginária. Seminário. IEL/Unicamp, 1985.

ORLANDI, E. Teatro da identidade: a paródia como traço de mistura linguística (italiano/português). Língua e conhecimento linguístico. Para uma história das ideias no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

ORLANDI, E. Língua brasileira e outras histórias: discurso sobre a língua e ensino no Brasil. Campinas: RG, 2009.

ORLANDI, E. Ciência da Linguagem e Política: Anotações ao Pé das Letras. Campinas: Pontes, 2014.

ORLANDI, E.; GUIMARÃES, E. Formação de um Espaço de Produção Linguística: A Gramática no Brasil In: ORLANDI, E. (Orgs.). História das Ideias Linguísticas: Construção do Saber Metalinguístico e Constituição da Língua Nacional. Campinas/Cáceres:Pontes/Unemat, 2001.

ORLANDI, E.; SOUZA, T. A língua imaginária e a língua fluida: dois métodos de trabalho com a linguagem. In: Eni Orlandi (Org.) Política Linguística na América Latina. Campinas: Pontes, 1988.

PFEIFFER, C. Bem dizer e retórica: um lugar para o sujeito. Tese de Doutorado. Campinas: IEL/Unicamp, 2000. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000276982. Acesso em: 20 abr. 2016.

PÊCHEUX, M. [1983] O Discurso. Estrutura ou Acontecimento. Campinas: Pontes, 2002, 3ed.

RIBEIRO, J. A língua nacional. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1933.

SANCHES, E. Língua brasileira. São Paulo: Editora Nacional, 1940. (Coleção brasiliana, 179). Disponível em: http://www.brasiliana.com.br/obras/lingua-brasileira. Acesso em: 20 abr. 2016.

SCOTTA, L. Da Enciclopédia Enquanto um Círculo que se Fecha à Wikipédia Enquanto uma Rede que se Abre: um gesto interpretativo. Dissertação de Mestrado. Santa Maria: Programa de Pós-Graduação em Letras/UFSM, 2008.

WIKIPEDIA. Desciclopédia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/ Desciclopédia. Acesso em: 14 jun. 2016.

WIKIPEDIA. Uncyclopedia. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Uncyclopedia. Acesso em: 14 jun. 2016.

Downloads

Publicado

2016-12-15

Como Citar

FERREIRA, A. C. F.; FARIA, J. P. de. Dialetos/Línguas do Brasil na desciclopédia. RUA, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 593–613, 2016. DOI: 10.20396/rua.v22i2.8647951. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8647951. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos