Banner Portal
A demanda de Marcovaldo: apropriando-se do banco-cama na cidade
PDF

Palavras-chave

Geografia humanista cultural. Experiência geográfica. Ontologia. Fenomenologia. Território.

Como Citar

PAULA, Fernanda Cristina de; MARANDOLA JUNIOR, Eduardo. A demanda de Marcovaldo: apropriando-se do banco-cama na cidade. RUA, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 63–76, 2017. DOI: 10.20396/rua.v23i1.8649798. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8649798. Acesso em: 25 abr. 2024.

Resumo

Esse artigo discorre sobre apropriação do espaço a partir de um conto do livro “Marcovaldo ou as estações na cidade”, de Italo Calvino. Mediante uma postura de escavação dos sentidos, acompanhamos Marcovaldo e sua principal demanda: encontrar a “natureza pura” no interior da cidade industrial. Discutimos essa demanda ao perscrutar os sentidos: da necessidade de Marcovaldo de escapar do espaço de desconforto, do seu desejo pelo espaço da tranquilidade, de suas estratégias (frustradas) de tornar um banco da praça em cama. Essas desventuras de Marcovaldo denotam a experiência de ser-no-mundo e como a apropriação está presente nela, levando-nos a refletir sobre como a apropriação do espaço participa da ontologia humana. 
https://doi.org/10.20396/rua.v23i1.8649798
PDF

Referências

BESSE, Jean-Marc. Ver a Terra: seis ensaios sobre a paisagem e a geografia (trad. Vladimir Bartalini). São Paulo: Perspectiva, 2006.

BOLLNOW, Otto F. O homem e o espaço. (trad. Aloísio L. Schmid) Curitiba: Ed. UFPR, 2008.

CALVINO, Italo. Marcovaldo ou as estações na cidade(trad. Nilson Moulin). São Paulo: Cia das Letras, 2008. 130p.

CASEY, Edward S. Getting back into place: toward a renewed understanding of the place-world studies in continental thought). Indiana: Indiana University Press, 1993.

DARDEL, Eric. O homem e a terra. (trad. Werther Holzer). Perspectiva: São Paulo, 2011.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

HEIDEGGER, Martin. Construir, habitar, pensar. In: Ensaios e conferências. (trad. Emamanuel C. Leão) Petrópolis: Vozes, 2001.

HEIDEGGER, Martin. Introdução à filosofia. (trad. Marco Antonio Casanova). 2ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. (trad. Fausto Castilho). Campinas; Rio de Janeiro: Editora da Unicamp;Vozes, 2012.

HOLZER, Werther. A geografia fenomenológica de Eric Dardel. In: DARDEL, Eric. OHomem e a Terra: natureza da realidade geográfica. 1ed.São Paulo: Perspectiva, 2011, p. 141-153.

HUSSERL, Edmund. Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica. 3ed. (trad. Márcio Suzuki) Aparecida: Ideias & Letras, 2006.

LEFEBVRE, Henri. La production de l'espace. 4ed. Paris : Anthropos, 2000.

MALPAS, Jeff. Heidegger’s topology: being, place, world. Cambridge: The MIT Press, 2008.

MARANDOLA, Janaina. O realismo mágico de Italo Calvino e a cidade. In: MARANDOLA JR., Eduardo; GRATÃO, Lúcia H. B. (orgs.) Geografia e literatura: ensaios sobre geograficidade, poética e imaginação. Londrina: Eduel, 2010. p.257-295.

MARANDOLA JR., Eduardo. Heidegger e o pensamento fenomenológico em Geografia: sobre os modos geográficos de existência. Geografia, Rio Claro, v. 37, p. 81-94, 2012.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1971.

ROUSSEAUX, Francis. Parcours chorégraphique dans l’espace a-touristique de la baie de Tunis. L’Espace Géographique, n.3, p. 267-276, 2005.

SACK, Robert. D. Homo geographicus: a framework for action, awareness, and moral concern. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1997.

SARAMAGO, Ligia T. A topologia do ser: lugar, espaço e linguagem no pensamento de Martin Heidegger. Rio de Janeiro: Loyola, 2008.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. 3ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2010.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.