Banner Portal
Um bairro é um bairro só?
PDF

Palavras-chave

Bairro. Urbano. Cidade. Aterrado. São Geraldo. Pouso Alegre.

Como Citar

BARBOSA, André Silva. Um bairro é um bairro só?. RUA, Campinas, SP, v. 24, n. 1, p. 103–127, 2018. DOI: 10.20396/rua.v24i1.8652440. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8652440. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

Nosso primeiro objetivo é sobre os nomes informal e oficial de um bairro da cidade de Pouso Alegre–MG: Aterrado/São Geraldo. Buscamos analisar o funcionamento discursivo dessas nomeações, visando compreender como cada uma é constituída em sua relação com a memória discursiva e significa (diferentemente) o bairro. Em seguida, objetivamos fazer um trabalho teórico do conceito de “bairro”, apreendendo-o não apenas de acordo o “território”, mas ainda segundo a categoria de “territorialidade”. Assim, chegamos a uma compreensão na qual “bairro” não é uma área delimitada apenas por uma projeção sobre um espaço institucionalizado com contornos expostos em um mapa, mas, sobretudo, por uma “cartografia” de sentidos, traçada por um “gesto de interpretação” de uma “territorialidade”.
https://doi.org/10.20396/rua.v24i1.8652440
PDF

Referências

BARBOSA, André Silva. São Geraldo: (A)Terrado de Sentidos.Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem). Pouso Alegre: UNIVAS, 2015.

COSTA, Greciely Cristina da. Denominação: um percurso de sentidos entre espaços e sujeitos. In: Revista RUA (online). 2012, no. 18. Volume 1 – ISSN 1413-2109. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade: http://www.labeurb.unicamp.br/rua/

FARIA, Rivaldo Mauro. Território urbano e o processo saúde-doença. Perfil territorial da saúde no São Geraldo, em Pouso Alegre (MG). Dissertação (Mestrado em Geografia) – UNICAMP. Campinas, 2008.

GOUVÊA, Octávio Miranda. A História de Pouso Alegre.Pouso Alegre: Gráfica Amaral, 2004.

ORLANDI, Eni Puccinelli.Análise do discurso: princípios e procedimentos. 8ª ed. Campinas: Pontes Editores, 2009.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A palavra dança e o mundo roda: Polícia! In: GUIMARÃES, Eduardo (org.). Cidade, Linguagem e Tecnologia: 20 Anos de História. Campinas: LABEURB, 2013

ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6ª ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso em Análise: Sujeito, Sentido e Ideologia.Campinas, SP: Pontes, 2012b.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e Texto: formulação e circulação dos sentidos.3ª ed. Campinas: Pontes Editores, 2008.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Interpretação, autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 6ª ed. Campinas: Pontes Editores, 2012c.

ORLANDI, Eni Puccinelli. N/O Limar da Cidade. In: Revista RUA.Número especial. Campinas, 1999.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Os sentidos de uma estátua: Fernão Dias, individuação e identidade pousoalegrense. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. (org.) Discurso, Espaço, Memória – Caminhos da identidade no sul de Minas.Campinas, SP: Editora RG, 2011.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Sentidos em fuga: efeitos da polissemia e do silêncio. In: CARROZA, Guilherme; SANTOS, Míran dos; SILVA, Telma Domingues da. (orgs.). Sujeito, Sociedade, Sentidos.Campinas: Editora RG, 2012a.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Tralhas e troços: o flagrante urbano. In: ORLANDI, Eni. (org.) Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço. Campinas: Pontes Editores, 2001.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 4ª ed. Campinas: Editora Unicamp, 2009.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1983.

O periódico RUA utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.