Documentário, língua e o museu no/pelo olhar discursivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v24i2.8653699

Palavras-chave:

Língua. História. Memória. Discurso. Museu.

Resumo

Nossa proposta, com esse texto, é discutir a história e a memória em relação ao museu e a língua no/do museu e da vida. A delimitação constitutiva dos dispositivos analíticos é o documentário “A chama da língua” em que vozes aparentemente desencontradas falam de língua e de museu. Dentre essas vozes há uma que discute, analisa e organiza as ‘vozes’ de pesquisadores que colocam em suspenso a língua no museu, destacando que a ‘língua que nos une é a língua que nos diferencia’. Diante dessa “voz” perguntamos: Como a língua sempre em movimento e em transformação pode estar no museu e como se naturaliza e se legitima a língua no museu? As discussões que sustentam as análises incidem sobre documentário, museu e língua e atendem aos pressupostos teóricos da Análise de Discurso, centrada em Pêcheux e em campos disciplinares que contribuem para o entendimento dos museus e das temporalidades em funcionamento nesse lugar institucional, como lugar de memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cleci Venturini, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná

Professora associada da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná, vinculada ao Departamento de Letras e ao Programa de Pós-graduação em Letras. Realiza Estágio Sênior sob a supervisão do Profº Dr. Fernando Catroga, na Universidade de Coimbra (fevereiro de 2017 a janeiro de 2018) com bolsa Capes, processo BEX 0460/16-3, acordo Araucária/Capes, edital 017/2015.

Suhaila Mehannan Schon, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná

Mestranda em Letras, Programa de Pós-graduação em Letras, da UNICENTRO, Campus Santa Cruz. Professora da Rede Pública Estadual do Paraná.

Referências

BAUDRILLARD, J. Simulacros e simulação. Trad. Maria João da Costa Pereira. Lisboa: Ed. Relógio D´Água, 1991.

CATROGA, Fernando. O céu da memória: Cemitério Romântico e Culto Cívico dos Mortos em Portugal (1756-1911). Coimbra: Livraria Minerva Editora, 1999.

CATROGA, Fernando. Memória e História. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy (Org.). Porto Alegre: Ed. Da UFRGS, 2001.

CATROGA, Fernando. Memória, História e historiografia. Coimbra: Editora Quarteto, 2001a.

CATROGA, Fernando. Nação, mito, rito: Religião Civil e comemoracionismo (EUA, França, Portugal). Fortaleza: Edições NUDOC-UFC, Museu do Ceará, 2005.

CATROGA, Fernando. Os passos do homem como restolho do Tempo. Memória e fim do fim da História. Coimbra, Edições Almedina, 2009.

CERVO, Larissa Montagner. Língua Patrimônio Nosso. Tese de Doutorado sob a orientação de Amanda Scherer, pelo Programa de Pós-graduação em Letras, da UFSM, 2012.

COURTINE, Jean-Jacques. Analyse du discours politique (le discourse communiste adressé aux chrétiens). Langage, Paris, n. 62, juin, 1981.

DE CERTEAU, Michel. Invenção do cotidiano. Artes de fazer. trad. De Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis/EJ: Vozes, 1994.

GADET, Françoise, PÊCHEUX, Michel. A língua inatingível: o discurso na história da Linguística. Trad. Bethânia Mariani e Maria Elizabeth Chaves de Mello. Campinas/SP: Pontes Editora, 2004.

GUIMARÃES, Eunice Pereira. Os documentários na constituição imaginária de sujeitos e identificações. Dissertação de Mestrado, sob a orientação de Maria Cleci Venturini, Programa de Pós-graduação em Letras, UNICENTRO, Guarapuava, 2013, 111 p.

MILNER, Jean-Claude. O amor da língua. Trad. Ângela Cristina Genuíno. Porto Alegre, Artes Médicas, 1987.

NORA, Pierre. Entre mémoire et historie. La problématique des lieux. In: NORA, Pierre. Les lieux de mémoire, Paris: Gallimard, 1984, v. I.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 1999.

ORLANDI, Eni. Língua e conhecimento linguístico. São Paulo: Cortez, 2002.

ORLANDI, Eni. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas, SP: Pontes, 2004.

ORLANDI, Eni. Documentário: acontecimento discursivo, memória e interpretação. In: Leituras do Político. ZANDWAIS Ana [e] ROMÃO, Lucília Maria Souza. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011.

ORLANDI, Eni. Gestos de leitura. Da história no discurso. Homenagem a Denise Maldidier. 2 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014.

ORLANDI, Eni. Eu, tu, ele – discurso e real da História. Campinas/SP: Pontes Editores, 2017.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas/SP: Editora da UNICAMP. 1997.

PÊCHEUX, Michel. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, Eni (Org.). et al. Gestos de leitura. Da história no discurso. Homenagem a Denise Maldidier. 2. ed. Campinas, SP:Editora da Unicamp, 1997a.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. De Eni Orlandi. 3 ed. Campinas, SP: Pontes, 2002.

SILVA SOBRINHO, José Simão. A língua que nos une: língua, sujeito e Estado no museu da Língua Portuguesa. Tese de doutorado sob a orientação de Eni Orlandi, Campinas, IEL, 2011.

SOUSA, Lucília Maria. Exposição do Museu de Língua Portuguesa: arquivo e acontecimento e(m) discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

VENTURINI, Maria Cleci. Imaginário urbano: espaço de rememoração/comemoração. 1a.ed. Passo Fundo: UPF Editora, 2009.

VENTURINI, Maria Cleci. Museus e espaços públicos no encontro/desencontro da memória histórica e do corpo-memória/corpo documento. In VENTURINI, Maria Cleci Museus, arquivos e produção do conhecimento em (dis)curso. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

VENTURINI, M. C.; SCHON, S. M. Documentário, língua e o museu no/pelo olhar discursivo. RUA, Campinas, SP, v. 24, n. 2, 2018. DOI: 10.20396/rua.v24i2.8653699. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8653699. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)