Casa da Mãe Santana

a construção de um lugar por meio de um jogo colaborativo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v25i1.8655723

Palavras-chave:

Intervenção temporária, Placemaking, Construção coletiva, Jogo, Campo de Santana, Rio de Janeiro.

Resumo

O propósito deste artigo é apresentar uma ação interdisciplinar de extensão, voltada à ativação de um espaço público subutilizado por meio de um jogo colaborativo. A II Oficina de Intervenção Temporária foi realizada através de uma parceria entre instituições ligadas aos campos da arquitetura, urbanismo, design e arte/educação e foi composta por aulas expositivas, imersões urbanas, atividades de co-criação e discussões coletivas. Reunindo estudantes de diversos níveis, cursos e universidades, a oficina concebeu, produziu e realizou coletivamente a intervenção temporária Casa da Mãe Santana, ação lúdica de placemaking votada à ativação, no período de um dia, do Campo de Santana, parque de importância histórica e cultural para a cidade que se encontra pouco apropriado pela população

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Sansão Fontes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Adjunta do Programa de Pós-graduação em Urbanismo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Joy Helena Worms Till, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Professora Adjunta da Graduação do Departamento de Artes & Design, Pontifícia Universidade Católica
do Rio de Janeiro.

Gabrielle Rocha, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre em Urbanismo pelo Programa de Pós-graduação em Urbanismo, Faculdade de Arquitetura e
Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

AIZENCANG, Noemi. Jugar, aprender y enseñar. Buenos Aires: Ediciones Mananti, 2005.

BROWN, Tim. Design thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Voz, 1999.

CROSS, Nigel. Design thinking: understanding how designers think and wor. New York: Berg, 2011.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro, Contraponto: 1997 (1967).

DEBORD, Guy. Relatório sobre a construção de situações e sobre as condições organização e de ação da tendência situacionista internacional (1957). In: JACQUES, Paola Berenstein (org.). Apologia da deriva: escritos situacionistas sobre a cidade. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRAS (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Porto Alegre: Gráfica da UFRGS. Vol. 7. 2012. (Coleção Extensão Universitária)

FUNDAÇÃO CASA RUI BARBOSA. Campo de Santana. In: Glaziou, O paisagista do Império. Disponível em: http://www.casaruibarbosa.gov.br/glaziou/projetos3.htm. Acesso em: 27 ago. 2018.

FUNDAÇÃO PARQUES E JARDINS. Campo de Santana. 2013. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/fpj/exibeconteudo?id=4203019. Acesso em: 27 ago. 2018.

FUNDAÇÃO PARQUES E JARDINS. Item 2 2. Campo de Santana (Centro). 2017. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/fpj/parques-urbanos. Acesso em: 27 ago. 2018.

HARVEY, David. Cidades Rebeldes. Do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Perspectiva: São Paulo, 1999 (1938).

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

KRONENBURG, Robert. Arquitectura subversiva. In: Post-it city. Ciudades ocasionales. Barcelona: CCCB, 2008.

LabIT-PROURB – Laboratório de Intervenções Temporárias e Urbanismo Tático. Casa da Mãe Santana, 2017. Disponível em: https://youtu.be/-AKSc2RfRE8. Acesso em: 21 ago. 2018.

LERNER, Jaime. Acupuntura urbana. Rio de Janeiro: Record, São Paulo, 2011.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

LIMA, Oliveira. Dom João VI no Brasil. 4ª ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 2006. p. 605-622.

LYDON, Mike; GARCIA, Anthony. Tactical urbanism: short-term action for longterm change. New York: Island Press, 2015.

OSWALT, Philipp; OVERMEYER, Klaus; MISSELWITZ, Philipp. Urban catalyst. The power of temporary use. Berlin: DOM Publishers, 2013.

PROJECT FOR PUBLIC SPACES (PPS). Placemaking: what if we built our cities around places? Disponível em: https://www.pps.org/article/what-is-placemaking. Acesso em: 21 ago. 2018.

RIOTUR. Um pedaço da nossa história no centro do Rio. Disponível em: http://visit.rio/que_fazer/campodesantana/. Acesso em: 28 ago. 2018.

SANSÃO FONTES, Adriana. Intervenções temporárias, marcas permanentes. Apropriações, arte e festa na cidade contemporânea. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013.

SANSÃO FONTES, Adriana; TILL, Joy; ROCHA, Gabrielle. Casa da Mãe Santana: acción táctica de activación de un espacio subutilizado en Rio de Janeiro. In: III Foro Internacional de Intervenciones Urbanas. Lima, 2018.

SANSÃO FONTES, Adriana et al. Táticas cidadãs para ativação de áreas subutilizadas: o caso das hortas comunitárias do Rio de Janeiro. Revista arq.urb no. 23, 2018, p. 147-169.

STAVRIDES, Stavros. Empowering the commons. In: FERGUSON, Francesca. Make_shift city. Renegotiating the urban commons. Berlim: Jovis Verlag, 2014. p. 83-85.

Downloads

Publicado

2019-06-26

Como Citar

FONTES, A. S.; TILL, J. H. W.; ROCHA, G. . Casa da Mãe Santana: a construção de um lugar por meio de um jogo colaborativo. RUA, Campinas, SP, v. 25, n. 1, 2019. DOI: 10.20396/rua.v25i1.8655723. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8655723. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)