Soluções para as cidades e impacto das TIC’s

tensionamentos das/nas cidades inteligentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v26i1.8659939

Palavras-chave:

Cultura digital, Tic's, Cidades inteligentes

Resumo

Com o desenvolvimento da técnica, permitindo a criação de artefatos de captação de dados e soluções de gerenciamento em tempo real, por exemplo, as administrações das cidades recorrem, cada vez mais, a intervenções que utilizam tecnologias da informação e comunicação, denotando as cidades inteligentes. Este artigo tem a intenção de discutir a noção acerca das smart cities e evidenciar algumas das suas problemáticas. De abordagem dedutiva, a partir de pesquisa exploratória e revisão de literatura, o artigo aponta para a emergência de soluções que viabilizem as cidades em diversos aspectos, indicando, entretanto, tensionamentos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carina Ochi Flexor, Universidade de Brasília

Doutora em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiás. Professora da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e pesquisadora do Laboratório de Análise de Visualidades, Narrativas e Tecnologia, LAVINT - Universidade Federal de Sergipe.

Guilherme Ricardo Oliveira Alves, Universidade Federal de Sergipe

Mestre pelo em Comunicação da Universidade Federal de Sergipe. Pesquisador do Laboratório de Análise de Visualidades, Narrativas e Tecnologia, LAVINT - Universidade Federal de Sergipe.

Referências

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

CURY, M. J. F.; MARQUES, J. A. L. F. A cidade inteligente: uma territorialização. Redes - Santa Cruz do Sul. Universidade de Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 1, jan./abr., 2017.

GOMES, F. M.; AGUIAR, A. O.; CAMPOS, V. N. O. Songdo: inteligente e sustentável? críticas e perspectivas. In: I simpósio brasileiro online. Gestão urbana, 2017. Disponível em: https://www.amigosdanatureza.org.br/eventos/data/inscricoes/1793/form9776406.pdf

GONZÁLEZ, M. F. La smart city como imaginario socio-tecnológico la construción de la utopía urbana digital, 2015. Tese (Doutorado) - Departamento de Sociología y Trabajo Social, Universidad del País Vasco, 2015. Disponível em: https://addi.ehu.es/bitstream/handle/10810/19301/Tesis%20La%20smart%20city%20como%20imaginario%20Manu%20Fernandez.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

HOLLANDS, R. G. Will the real smart city please stand up?, City, v. 12, n. 3, pp 303-320, 2008. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.1080/13604810802479126

https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13604810802479126.

JACOBS, J. Morte e vidas das grandes cidades. Tradução: Carlos S. Mendes Rosa. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

KITCHIN, R. The promise and peril of smart cities. Journal of the UK Society of Computers and Law, 2015. Disponível em: http://www.scl.org/site.aspx?i=ed42789.

KITCHIN, R. Making sense of smart cities: addressing present shortcomings. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, p. 131-136, 2014. DOI: https://doi.org/10.1093/cjres/rsu027

KITCHIN, R. The real-time city? Big data and smart urbanism. In: Smart urbanism: utopian vision of false dawn, University of Durham, Irlanda, jun., 2013. DOI: https://doi.org/10.2139/ssrn.2289141

KOMNINOS, N. Cidades inteligentes: sistemas de inovação e tecnologias da informação ao serviço do desenvolvimento das cidades, 2008. Disponível em: http://www.urenio.org/wp-content/uploads/2008/11/cidades-inteligentes.pdf.

KOMNINOS, N. Intelligent cities: Variable geometries of spatial intelligence. Journal of Intelligent Building International, v. 3, p. 1-17. 2011. Disponível em: https://www.academia.edu/4952076/Intelligent_cities_Variable_geometries_of_spatial_intelligence. DOI: https://doi.org/10.1080/17508975.2011.579339

LEMOS, A. Cidade e mobilidade. Telefones celulares, funções pós-massivas e territórios informacionais. Matrizes, USP, ano 1, n.1, São Paulo, pp.121-137, 2007. Disponível em: https://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/Media1AndreLemos.pdf.

LEMOS, A. A cidade-ciborgue. Galaxia: Revista Transdisciplinar de Comunicação, Semiótica, Cultura. n. 8, out., 2004. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/1385.

MANOVICH, L. The Language of New Media. Cambridge: MIT Press, 2001.

MASDAR. Masdar City Facts Sheet, [2008?].

MUMFORD, L. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. Tradução de Neil R. da Silva. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

RENNÓ, R. Smart cities e big data: o cidadão produtor de dados. URBS Revista de Estudios Urbanos y Ciencias Sociales, v. 6, n. 2, p. 13-24, 2016. Disponível em: http://www2.ual.es/urbs/index.php/urbs/article/view/renno/307.

SANTAELLA, L. Comunicação Ubíqua: Repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus, 2013.

SANTAELLA, L. Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do póshumano. Revista FAMECOS, Porto Alegre, dez., 2003.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. 2. reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

Downloads

Publicado

2020-06-05

Como Citar

FLEXOR, C. O. .; ALVES, G. R. O. . Soluções para as cidades e impacto das TIC’s: tensionamentos das/nas cidades inteligentes . RUA, Campinas, SP, v. 26, n. 1, 2020. DOI: 10.20396/rua.v26i1.8659939. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8659939. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos