Banner Portal
Um olhar discursivo-desconstrutivo sobre representações na Carta Aberta “Contra o genocídio da população indígena”
PDF

Palavras-chave

Representação
Indígena
Carta aberta
Análise do discurso

Como Citar

GUERRA, Vania Maria Lescano; SANTOS, Graziele Ferreira dos. Um olhar discursivo-desconstrutivo sobre representações na Carta Aberta “Contra o genocídio da população indígena”. RUA, Campinas, SP, v. 26, n. 2, p. 631–652, 2020. DOI: 10.20396/rua.v26i2.8663427. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8663427. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

Nosso objetivo é problematizar as representações sobre os povos indígenas sul-mato-grossenses que atravessam o discurso da Carta Aberta ‒ Contra o genocídio da população indígena. A Carta Aberta é um recurso utilizado pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas, do Instituto Federal de São Paulo, para denunciar conflitos sofridos pelas etnias indígenas. O corpus desta pesquisa reúne representações sobre o indígena, do poder hierárquico, a partir de recortes discursivos do texto. Pautamos nosso olhar no arcabouço teórico da Análise do Discurso de origem francesa (ORLANDI, 2003; CORACINI, 2007), por meio do método arqueogenealógico (FOUCAULT, 2014; GREGOLIN, 2004) e da perspectiva discursivo-desconstrutiva (CORACINI, 2010). Os povos indígenas brasileiros passaram por muitos processos excludentes desde o período colonial, entretanto, essas marcas ainda são encontradas na sociedade atual.

https://doi.org/10.20396/rua.v26i2.8663427
PDF

Referências

BUTLER, Judith; SPIVAK, Gayatri C. Quem canta o Estado-nação? Língua, política, pertencimento. Trad. Vanderlei J. Zacchi e Sandra G. Almeida. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2018.

CANCLINI, Néstor G. Culturas híbridas: Estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa P. Cintrão; Ana R. Lessa. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

CORACINI, Maria J. A celebração do outro na constituição da identidade. In: Organon: Discurso, língua e memória, v. 17, n. 35, 2003, p. 202-220.

CORACINI, Maria J. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade: línguas (materna e estrangeira), plurilinguismo e tradução. Campinas: Mercado de Letras, 2007.

CORACINI, Maria J. Discurso e escrit(ur)a: entre a necessidade e a (im)possibilidade de ensinar. In: ECKERT-HOFF, Beatriz M.; CORACINI, Maria J. Escrit(ur)a de si e alteridade no espaço papel–tela: alfabetização, formação de professores, línguas materna e estrangeira. Campinas: Mercado de Letras, 2010, p. 17-50.

CORACINI, Maria J. Representações de professor: entre o passado e o presente. In: Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 23, n. 1, p. 132-161, 2015.

COURTINE, Jean-Jacques. Definição de orientações teóricas e construção de procedimentos em Análise do Discurso. Trad. Flávia Clemente de Souza e Márcio Lázaro Almeida da Silva. Policromias, ano I, p. 14-35, 2016.

DERRIDA, Jacques. Anne Dufourmantelle convida Jacques Derrida a falar da hospitalidade. Trad. Antonio Romane. São Paulo: Escuta, 2003.

DOSSIÊ NEABI. 2016. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B81yGKhIihI3QVlhazlVZ3RQTEE/view. Acesso em: 17.03.2019 às 19h.

FERREIRA, Maria C. L. O quadro atual da Análise de Discurso no Brasil: um breve preâmbulo. In: FERREIRA, Maria C. L; INDURSKY, Freda. (Org.). Michel Pêcheux e a Análise do Discurso: uma relação de nunca acabar. São Carlos: Claraluz, 2007. p. 39-46.

FOUCAULT, Michel. Os anormais. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FOUCAULT, Michel O Cuidado com a verdade. Ética, sexualidade, política. Trad. E. Monteiro; I. Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária. (Trabalho original publicado em 1984), 2004.

FOUCAULT, Michel Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Organização e seleção dos textos de Manoel B. da Motta. Trad. Elisa Monteiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. p. 82-118. (Coleção Ditos e escritos II).

FOUCAULT, Michel A arqueologia do saber. 8. ed. Trad. Luiz F. Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

GOMES, Mércio P. Os índios e o Brasil: passado, presente e futuro. São Paulo: Contexto, 2012. 304 p.

GREGOLIN, Maria do R. Foucault e Pêcheux na construção da análise do discurso: diálogos e duelos. São Carlos: Claraluz, 2004.

GRIGOLETTO, Marisa. A constituição do sentido em teorias de leitura e a perspectiva desconstrutivista. In: ARROJO, Rosemary (Org.). O Signo desconstruído: implicações para a tradução, a leitura e o ensino. 2. edição. Campinas: Pontes, 2003. p. 93-97.

GUERRA, Vânia M. L. O indígena de Mato Grosso do Sul: práticas identitárias e culturais. São Carlos: Pedro & João, 2010.

GUERRA, Vânia M. L. Indígenas e identidade: um olhar discursivo sobre a luta pela terra. In: ROSA, Andréa M.; MARQUES, Cíntia N.; SOUZA, Claudete C.; DURIGAN, Marlene (Orgs.). Povos indígenas: reflexões interdisciplinares. São Carlos: Pedro & João, 2012. p. 43-68.

LEITE, Ana M. de C. Cadeias referenciais em textos do gênero carta aberta: um projeto didático para a educação de jovens e adultos. 2014. 168 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) ‒ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

LUCIANO, Gersem dos S. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006.

NEVES, Maria H. de M. Gramática de usos de português. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

ORLANDI, Eni P. Recortar ou segmentar? In ORLANDI, Eni P. Linguística: Questões e Controvérsias. Série Estudos. Uberaba: Faculdades Integradas de Uberaba, 1984. p. 09-26

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas: Pontes, 2003.

ORLANDI, Eni P. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6 ed. Campinas: Unicamp, 2007.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tra. Eni Orlandi, Lourenço Chacon, Manoel Corrêa e Silvana Serrani. Campinas: Editora da Unicamp, 2009. [Trad. Les verites de La Palice, 1975].

PORTFÓLIO DE FORMADORES: Relações étnico-raciais. 2017. Disponível em: https://ifsp.edu.br/acoes-e-programas/9-reitoria/310-nucleo-de-estudos-afro-brasileiros-e-indigenas-neabi. Acesso em: 17.03.2019 às 19h04min.

SAWAIA, Bader. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

SKLIAR, Carlos. Sobre a anormalidade e o anormal – notas para um julgamento (voraz) da normalidade. In: Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Trad. Giane Lessa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p. 151-193.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 RUA

Downloads

Não há dados estatísticos.