Museu, para quê?

compreensões sobre o Museu do Homem Americano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v26i2.8663441

Palavras-chave:

Museu homem americano, Parque nacional serra da capivara, Prática de significação

Resumo

Neste artigo, toma-se como objeto o Museu do Homem Americano, enquanto instituição ligada à circulação de saberes sobre sujeitos que (se) significam a (na) povoação nas/das Américas, em sua relação com o Parque Nacional Serra da Capivara. A análise que se apresenta tem como base as sequências discursivas presentes no site da Fumdham (Fundação Museu do Homem Americano) sobre o Museu e as anotações de campo efetuadas pela analista durante as visitas feitas ao local, entre os anos de 2010 e 2019. A partir da perspectiva da Análise de Discurso Materialista, compreende-se o Museu enquanto prática de significação (ORLANDI, 2014), em sua relação com a história, a memória, o sujeito e os sentidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maraisa Lopes, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Professora Associada da Universidade Federal do Piauí.

Referências

BASTOS, S. O Paraíso é no Piauí: a descoberta da arqueóloga Niède Guidon. Teresópolis, RJ: Família Bastos Editora, 2010.

BRASIL. Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11904.htm. Acesso em: 01. set. 2020.

BRASIL. Lei nº9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9985.htm. Acesso em: 01. set. 2020.

BUENO, W. da C. Jornalismo científico: conceitos e funções. In: Ciência e Cultura, n. 37, v. 9, p.1420-1428, set. 1985.

CARVALHO JUNIOR, D. A. de; BITENCOURT, A. J. S. Serra da Capivara: um pouco de história, num destino turístico de muita pré-história. 2013. Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364758478_ARQUIVO_SERRADACAPIVARAanpuh.pdf. Acesso em: 01.set.2020.

COSTA, G. C. da. Denominação: um percurso de sentidos entre espaços e sujeitos. In: RUA [online]. Campinas, n.18, vol.1, p.133-147, 2012.

DESCARTES, R. Discurso do método. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

DIAS, C.; COSTA, G. C. Corpo-presença: um outro discurso. 2017. Disponível em: file:///C:/Users/Mara%C3%ADsa/AppData/Local/Temp/589-1341-1-PB-2.pdf .Acesso em: 01. set. 2020.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 11.ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

FUNDAÇÃO MUSEU DO HOMEM AMERICANO (FUMDHAM). Museu do Homem Americano. s.d. Disponível em: http://fumdham.org.br/museus/. Acesso em: 01. set. 2020.

GAUDÊNCIO, J. Niède Guidon: a cientista brasileira responsável pelo tesouro arqueológico nacional. In: História da Ciência e Ensino: construindo interfaces. v.18 (esp.), p.76-87, 2018.

GOERGEN, P. Ciência, sociedade e universidade. In: Educação & Sociedade. Campinas/Centro de Estudos Educação e Sociedade – Cedes, vol.19, n.63, p.53-79, 1998.

GUIMARÃES, E. Cidade. In: Enciclopédia Discursiva da Cidade (ENDICI). 2013. Disponível em: https://www.labeurb.unicamp.br/endici/index.php?r=verbete%2Fview&id=102. Acesso em: 01. set. 2020.

HASHIGUTI, S.T. Corpo de Memória. Tese de Doutorado em Linguística. Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas-SP, 2008.

ICMBIO. Grupo de proteção integral. 2020. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/categorias. Acesso em: 01. set. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Museus em Números. vol.1. Brasília: Instituto Brasileiro de Museus, 2011.

LAGAZZI, S. O Recorte e o Entremeio: condições para a Materialidade Significante. In: RODRIGUES, E. A.; SANTOS, G. L.; BRANCO, L.C. (Orgs.). Análise de Discurso no Brasil: pensando o impensado sempre. Uma homenagem a Eni Orlandi. Campinas, SP: RG Editores, 2011.

LEIBNIZ, W. Novos ensaios sobre o entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

LOCKE, J. Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

LORAUX, Nicole. De l’amnistie et de son contraire. In: YERUSHALMI, Yosef. H. et al. Usages de l’Oubli. Paris: Éditions Du Seuil, 1998.

LOURENÇO, A. S. G. A. Vida após a morte: um estudo sobre os enterramentos pré-históricos no Estado do Paraná para identificação, gestão e valorização do patrimônio arqueológico. Dissertação de Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, 2015.

MARIANI, B. S. C. O PCB e a Imprensa: os Comunistas no Imaginário dos Jornais. Rio de Janeiro: Revan; Campinas, SP: UNICAMP, 1998.

MASSMANN, D. Versões controversas na leitura de arquivos: o Museu Penitenciário Paulista. RUA, Campinas, SP, v. 24, n. 2, 2018. DOI: 10.20396/rua.v24i2.8653946. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/ 8653946.

MATOS, J. C. M. A questão da razão como critério distintivo entre homem e animal. In: Filosofia Unisinos, 12(1), p.48-55, jan. abr.2011.

MUNHOZ, J. M. L.; PETRI, V.; BRANCO, N. L. História, Memória e gestos de Interpretação: uma experiência linguística e discursiva no interior do Museu de Cádiz. In:

VENTURINI, M. C. (Org.). Museus, arquivos e produção de conhecimento em (dis)curso. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

NUNES, J. H. Museu da Língua Portuguesa: instituição e discurso didático. In: Letras, Santa Maria, v. 23, n. 46, p. 203-224, jan.jun. 2013

ORLANDI, E. P. A Casa e a Rua: uma relação política e social. In: Educ. Real., Porto Alegre, v. 36, n. 3, p. 693-703, set./dez. 2011.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso. In: LAGAZZI-RODRIGUES, S.; ORLANDI, E. P. (Orgs.). Introdução às Ciências da Linguagem – Discurso e Textualidade. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 5.ed. Campinas, SP: Pontes, 2003.

ORLANDI, E. P. Discurso e Argumentação: um observatório do político. In: Fórum Linguístico, Florianopólis, n.1, p.73-81, jul.dez.1998.

ORLANDI, E. P. Discursos e Museus: da memória e do esquecimento. In: Entremeios: revista de estudos do discurso. v.9, jul.2014.

ORLANDI, E. P. Divulgação Científica e efeito leitor: uma política social urbana. In: GUIMARÃES, E. (Org.). Produção e circulação do conhecimento: Estado, mídia e sociedade. vol.1. Campinas, SP: Pontes Editores, 2001.

ORLANDI, E. P. O Sujeito Discursivo Contemporâneo: um exemplo. 2005. Disponível em: http://anaisdosead.com.br/2SEAD/CONFERENCIA/EniOrlandi.pdf. Acesso em: 01. set. 2020.

ORLANDI, E. P. Recortar ou segmentar? In: Linguística: Questões e Controvérsias. Série Estudos. Uberaba: Faculdades Integradas de Uberaba, p. 09-26, 1984.

ORLANDI, E. P. Discurso em análise. Campinas: Pontes Editores, 2012.

ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Ed. Brasiliense, 2006.

PÊCHEUX, M. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. P (Org.). Gestos de Leitura. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1994.

PÊCHEUX, M. O Discurso: Estrutura ou Acontecimento. 3. ed. Campinas, SP: Pontes, 2002.

PÊCHEUX, M. Papel da Memória. In: ACHARD, P. et al. Papel da Memória. Campinas, SP: Pontes, 2007.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma Crítica à Afirmação do Óbvio. 3.ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1997.

SANTOS FILHO, J. C. dos S.; ALMEIDA, M. de L. P. de. Revista Internacional de Educação Superior [RIESUP] Bilíngue: publicação na língua franca da ciência. 2018. Disponível em: http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/ppec/article/download/9144/458. Acesso em: 01. set. 2020.

TEIXEIRA, M. C. A memória e a história a partir de museus e da constituição de arquivos em torno do espaço urbano. In: Estudos Linguísticos, São Paulo, 46 (3), p. 932-943, 2017.

UNESCO. Serra da Capivara National Park. 2020. Disponível em: https://whc.unesco.org/en/list/606/. Acesso em: 01. set. 2020.

VENTURINI, M. C. Imaginário urbano: espaço de rememoração/comemoração. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2009.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Como Citar

LOPES, M. . Museu, para quê? : compreensões sobre o Museu do Homem Americano. RUA, Campinas, SP, v. 26, n. 2, p. 591–614, 2020. DOI: 10.20396/rua.v26i2.8663441. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8663441. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê