Banner Portal
“Fora haole” e “no bike”
pdf

Palavras-chave

Esporte
Skate
Notas etnográficas

Como Citar

ROJO, J. R. .; RIBEIRO, C. H. de V. .; PEREIRA, E. G. . “Fora haole” e “no bike”: notas etnográficas de uma pista pública de Skate no ano de 2020. RUA, Campinas, SP, v. 27, n. 1, p. 131–148, 2021. DOI: 10.20396/rua.v27iI.8666042. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8666042. Acesso em: 4 mar. 2024.

Resumo

Cidades são os melhores exemplos de nossa complexa humanidade. Unir estudos sobre a cidade e a etnografia tem sido objeto de reflexão sobre como nossa sociedade se reconhece, planeja e circula através dos diferentes equipamentos públicos. O objetivo dessa pesquisa é compreender os mecanismos de socialização de praticantes de Skate em uma pista pública. Ao fazermos isso, queremos contribuir com a área dos estudos etnográficos que tratam como investigação o cotidiano de lazer das grandes cidades e do seu processo de urbanização. Como resultado apresentamos as categorias de análise que estão relacionadas à legitimidade de circulação através da capacidade do skatista em realizar manobras nesse ambiente, dos relacionamentos interpessoais que constituem a possibilidade de terem seus feitos registrados e das estratégias para a melhor utilização do ambiente e da busca de conforto ambiental.

https://doi.org/10.20396/rua.v27iI.8666042
pdf

Referências

BITENCOURT, V.; AMORIM, S. Atlas do esporte no Brasil. Atlas do Esporte, Educação física e atividades físicas de saúde e lazer no Brasil. Organização de Lamartine Dacosta. Rio de Janeiro: Shape, 2005.

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BRANDÃO, Leonardo. Corpos deslizantes, corpos desviantes: a prática do Skate e suas representações no espaço urbano (1972-1989). 2007. 139 f. Dissertação (Mestrado) –Faculdade de Ciências Humanas, Universidade da Grande Dourados, Dourados, 2007.

BRANDÃO, Leonardo. Esportes de ação: notas para uma pesquisa acadêmica. Rev. Bras. Cienc. Esporte, Campinas, v. 32, n. 1, p. 59-73, setembro 2010.

BRANDÃO, Leonardo. “Entre a marginalização e a esportivização: elementos para uma história da juventude skatista no Brasil”. Recorde: Revista de História de Esporte, v.1, n° 2, dezembro de 2008.

CÁSSARO, Elizandro Ricardo. Percepção dos praticantes de Skate quanto ao processo de reurbanização de um equipamento específico de lazer e suas relações com a modalidade. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) – Centro Universitário em Maringá, Maringá, 2005.

COSTA, Maria Regina de Menezes. Aventura e risco no Skateboard – street: um estudo do imaginário social de jovens skatistas. 2004. 124 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 2004.

DAMATTA, Roberto. Fé em Deus e pé na tábua: ou como e por que o trânsito enlouquece no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco. 2010. 191 p.

DAMO, Arlei Sander. Monopólio estético e diversidade configuracional no futebol brasileiro. Movimento, Porto Alegre, v. 9, n. 2, p. 129-156, 2003.

HOBSBAWM, Eric. Tempos fraturados: cultura e sociedade no século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

LAURO, Flávio Antônio Ascânio. Skate de vilão à mocinho. In: V CONGRESSO BRASILEIRO DE ATIVIDADES DE AVENTURA (CBAA). Anais... Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo. São Paulo: Lexia, 2010.

MACHADO, Giancarlo Marques Carraro. Skate na cidade, imagens da cidade. Ponto Urbe [Online], 10 | 2012. Disponível em: http://journals.openedition.org/pontourbe/305. DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.305.

MACHADO, Giancarlo Marques Carraro; SPAGGIARI, Enrico. Agenciamentos políticos e práticas esportivas em São Paulo: notas etnográficas. PontoUrbe [Online],14 | 2014, Disponível em: http://journals.openedition.org/pontourbe/1625; DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.1625.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 17, no 49, 2002.

MYSKIW, Mauro; MARIANTE NETO, Flávio Py Mariante, STIGGER, Marco Paulo. Jogando com as violências no esporte: notas etnográficas sobre o ‘guri’ e o ‘nego véio da várzea’. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 4., p. 889-902, out./dez. de 2015.

ALVES NETO, Celso Sena. O Pico dos surfistas e os surfistas do Pico. Sociabilidade, territorialidade e surfe na Vila dos Peixes. 2011. 125f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Curso de Ciências Sociais, UFSC, Florianópolis, 2011.

NEVES, Thiago Zanoni; FERREIRA, Israel Manta; PINHEIRO, Ana Carolina de Lima; PINHEIRO, William Gomes da Silva. Prevalência de lesões em skatistas profissionais da modalidade Street Skate. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) – Faculdades Integradas de Ciências Humanas Saúde e Educação de Guarulhos, Guarulhos, 2008.

OLIVEIRA, Rogério Massarotto de; PIMENTEL, Giuliano Gomes de Assis. Fatores associados à prática do Skate. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte – v. 14, n. 2, 2015, p. 110-119.

OLIVEIRA, Rogério Cruz de DAÓLIO, Jocimar. Pesquisa etnográfica em Educação Física: um (re)leitura possível. Revista Brasileira Ciência e Movimento, [s.l], v. 15, n. 1, p. 137-143, 2007.

PACHECO, Ariane Corrêa; SILVEIRA, Raquel da; STIGGER, Marco Paulo. Etnografias: notas sobre percursos teóricos-metodológicos de produção de conhecimento na Educação Física. Motrivivência, Florianópolis, v. 32, n. 61, p. 01-15, janeiro/março, 2020.

POCIELLO, Christian. Os desafios da leveza: as práticas corporais em mutação. In SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. (Org.). Políticas do corpo: elementos para uma história das práticas corporais. São Paulo: Editora Estação Liberdade: p. 115 – 120, 1995

Prefeitura da Cidade de Niterói. Empresa de Turismo S/A. Disponível em: http://www.visit.niteroi.br/Skate-park-sao-francisco/. Acesso em: 05 de outubro de 2020.

RIGO, Luiz Carlos. Memórias de um futebol de fronteira. Pelotas: Editora Universitária UFPel, 2004.

STIGGER, Marco Paulo. Esporte, lazer e estilos de vida: um estudo etnográfico. Campinas: Autores Associados, 2002.

UVINHA, Ricardo Ricci. Juventude, lazer e esportes radicais. São Paulo: Manole. 2001.

VIGARELLO, G. Treinar. In: CORBAIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges (Coord.). História do corpo: as mutações do olhar: o século XX. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 197-250.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Jeferson Roberto Rojo, Carlos Henrique de Vasconcellos Ribeiro, Erik Giuseppe Pereira

Downloads

Não há dados estatísticos.