Empresas-aplicativo de delivery e sujeitos-entregadores

relações de trabalho e mobilidade na cidade pandêmica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v27i2.8667609

Palavras-chave:

Discurso das empresas-aplicativo de delivery, Sujeitos-entregadores, Relações de trabalho, Mobilidade, Cidade pandêmica

Resumo

A pandemia de Covid-19 instaura uma das piores crises sanitárias do Brasil, intensificando problemas como o desemprego, de forma que os sujeitos que utilizam aplicativos de entrega ou de transporte de passageiros como fonte de renda são 15% de todos os brasileiros em ofícios informais. Nessas condições de produção, nos perguntamos como o discurso das empresas-aplicativo de delivery significa as relações de trabalho e mobilidade na cidade pandêmica. Pelo dispositivo teórico-metodológico da Análise de Discurso, analisamos materiais das empresas Ifood, 99Food e UberEats, construindo o corpus pelas formulações “#ViverÉUmaEntrega”, “parceiros de entrega” e “Tenha poder de escolha”. Além disso, nos debruçamos sobre as noções de mobilidade densa e rarefeita e de sujeito de dados para refletir a respeito dos (des)vínculos trabalhistas entre empresas de delivery e sujeitos-entregadores nesta conjuntura afetada por um sistema digital que não somente nos atravessa, mas nos constitui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deborah Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas.

Vinicius Brito, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ABÍLIO, Ludmila C. Uberização do trabalho: subsunção real da viração. Boitempo, 22 fev. 2017. Disponível em: https://www.blogdaboitempo.com.br/2017/02/22/uberizacao-do-trabalho-subsuncao-real-da-viracao/amp/. Acesso em: 12 jul. 2021.

AGAMBEN, Giorgio. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010

ALTHUSSER, Louis. Sobre a reprodução. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis: Vozes, 1999. Disponível em: https://estudossindicais.files.wordpress.com/2016/11/louis-althusser-sobre-a-reproduc3a7c3a3o-editora-vozes-1999.pdf. Acesso em: 13 jul. 2021.

ALVES, Amauri Cesar; BAGNO, Lorena Isabella Marques; GONÇALVES, Nicolle. Entregas mediadas por aplicativos e o mito do empreendedor de si mesmo na pandemia do coronavírus. In: Revista Direito UnB, v. 04, n. 02, maio - agosto, 2020. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/revistadedireitounb/article/view/32329/27455. Acesso em: 09 jul. 2021.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Tradução Sérgio Tadeu de Niemayer Lamarão e Arnaldo Marques da Cunha. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 3a Edição. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

COURTINE, Jean J. Análise de discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. Trad. Cristina de Campos Velho Birck et al. São Carlos: EdUFScar, 2009 [1981].

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo - Ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo Editorial. Disponível em: http://www.afoiceeomartelo.com.br/posfsa/Autores/Dardot,%20Pierre/A%20nova%20razao%20do%20mundo%20-%20Dardot,%20Pierre.pdf. Acesso em: 09 jul. 2021.

DIAS, Cristiane. A materialidade digital da mobilidade urbana: espaço, tecnologia e discurso. In: Línguas e Instrumentos Linguísticos, n. 37, jan-jun 2016. Disponível em: http://www.revistalinguas.com/edicao37/artigo7.pdf. Acesso em: 19 jul. 2021.

GARCIA, Dantielli; Sousa, Lucília. “Não pense em crise, trabalhe”: o jogo da história na trama da língua. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 2891-2902, jan./mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2018v15n1p2891/36252. Acesso em: 25 jul. 2020.

GUILHAUMOU, Jacques; MALDIDIER, Desnise. Efeitos do arquivo. A Análise do Discurso no lado da história. In: ORLANDI, E. (Org.). Gestos de Leitura: da história no discurso, 2010.

HAROCHE, Claudine. Fazer dizer, querer dizer. São Paulo: Hucitec, 1992.

IFOOD chega a 39 milhões de pedidos por mês durante a pandemia. O Estado de São Paulo, Link, 12 ago. 2020. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/inovacao,ifood-chega-a-39-milhoes-de-pedidos-por-mes-durante-pandemia,70003397024. Acesso em: 16 jul. 2021.

LAGAZZI, Suzy Maria. Paráfrases da imagem e cenas prototípicas: em torno da memória e do equívoco. In: FLORES, Giovanna; NECKEL, Nádia; GALLO, Solange. (Orgs.). Análise de Discurso em Rede: Cultura e Mídia. Campinas: Pontes, 2015, v. 1, p. 177-189.

LIMA, Paulo Galo. Precarização e rebeldia na garupa de uma moto. Outras Palavras, 20 abr. 2021. Trabalho e Precariado. Disponível em: https://outraspalavras.net/trabalhoeprecariado/precarizacao-e-rebeldia-na-garupa-de-uma-moto/. Acesso em: 13 jul. 2021.

LOCOMOTIVA Pesquisa e Estratégia. Economia e consumo na era da pandemia. 2020. Disponível em: https://0ca2d2b9-e33b-402b-b217-591d514593c7.filesusr.com/ugd/eaab21_c99e70218f694e40aeff442b2e73f22f.pdf. Acesso em: 16 jul. 2021.

MARCHESINI, Lucas. O Assunto mais falado do twitter por 5h rende 37 mil posts. Metrópolis, 03 jul. 2020. Disponível em: https://www.metropoles.com/brasil/brequedosapps-o-assunto-mais-falado-do-twitter-por-5h-rende-37-mil-posts. Acesso em: 20 jul. 2021.

NOGUEIRA, Luciana. Discurso, sujeito e relações de trabalho: a posição discursiva da Petrobras. 2015. 314 p. Tese (doutorado) - UNICAMP, Campinas, SP.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A desorganização cotidiana. Escritos. V. 1. Campinas: Labeurb/Unicamp, 1999. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/portal/pages/pdf/escritos/Escritos1.pdf. Acesso em: 19 jul. 2021.

ORLANDI, Eni P. As Formas do Silêncio: no movimento dos sentidos. 5ª ed., Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

ORLANDI, Eni P. Cidade dos sentidos. Campinas: Pontes Editores, 2004.

ORLANDI, Eni P. Educação em Direitos Humanos: um discurso. In: SILVEIRA, R. M. G., et al. Educação em Direitos Humanos: Fundamentos Teórico Metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007(c). p. 295-311

ORLANDI, Eni P. Eu, Tu, Ele: Discurso e real da história. Campinas: Pontes Editores, 2017.

ORLANDI, Eni P. Discurso e Texto: Formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes Editores, 2008.

ORLANDI, Eni P. Formas de individuação do sujeito feminino e sociedade contemporânea: o caso da delinquência. In: ORLANDI, Eni P. (Org.). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas: RG Editora, 2006.

ORLANDI, Eni P. Interpretação; autoria, leitura e efeito do trabalho simbólico. Petrópolis: Editora Vozes, 1996.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 1999

ORLANDI, Eni P. Volatilidade da interpretação: política, imaginário e fantasia. 2020. (1h55m08s). Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=MjCsJxfiXtg. Acesso em: 19 jul. 2021.

PAVEAU, Marie-Anne. L’analyse du Discours Numérique: dictionnaire des formes e des pratiques. Paris: Hermann Éditeurs, 2017.

PÊCHEUX, Michel. Ler o Arquivo Hoje. In: ORLANDI, E. (Org.). Gestos de Leitura: da história no discurso, 2010.

PÊCHEUX, Michel. Materialidades Discursivas. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

PÊCHEUX, Michel. O Discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução de Eni P. Orlandi, 7a edição, Campinas: Pontes Editores, 2015.

PÊCHEUX, Michel. O papel da memória. In: ACHARD, P. et al. (Org.). Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni Puccinelli Orlandi et al., 3a edição. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

PEREIRA, Deborah D. da S. Funcionamento discursivo das hashtags: um olhar para a #somostodos. Dissertação de Mestrado. Unicamp/IEL. Campinas, SP. [s.n.], 2018

PEREIRA, Deborah; ANANIAS, Fernando. “Vamo ficar vivo! Por que olhar pra trás?”: Memória e Luto na ditadura e na pandemia. In: FLORES, Giovanna; GALLO, Solange (Org.). Discurso, Cultura e Mídia: pesquisas em rede. Campinas: Pontes, 2021.

PNAD Contínua: taxa de desocupação é de 14,7% e taxa de subutilização é de 29,7% no trimestre encerrado em abril. Agência IBGE Notícias, Estatísticas Sociais, 06 jul. 2021. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/31049-pnad-continua-taxa-de-desocupacao-e-de-14-7-e-taxa-de-subutilizacao-e-de-29-7-no-trimestre-encerrado-em-abril. Acesso em: 16 jul. 2021.

POCHMANN, Marcio. O movimento sindical e a precarização do trabalho no Brasil. 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1lUhAC2d8AM. Acesso em: 01 ago. 2021.

SARAIVA, Jacilio. Novos hábitos fazem gastos com entregas crescerem 149% em 2020. Valor, Suplementos, 29 jul. 2021. Disponível em: https://valor.globo.com/publicacoes/suplementos/noticia/2021/06/29/novos-habitos-fazem-gastos-com-entregas-crescerem-149-em-2020.ghtml. Acesso em: 19 jul. 2021.

SARTI, Milena; CHIARETTI, Paula. O lugar da paráfrase no trabalho do analista do discurso. Revista Investigações, Recife, Vol. 29, nº 2, p. 70-89, jul. 2016

SCHNEIDERS, Carolina. Do retorno ao arquivo à constituição do corpus e dos gestos de interpretação. Revista Conexão Letras, Bento Gonçalves, v. 9, n. 11, p. 99-109, jul. 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/conexaoletras/article/view/55144/33537. Acesso em: 25 jul. 2021.

TVUOL. "Não fale em crise, trabalhe. Queria espalhar essa frase", diz Temer. 2016. Disponível em: https://tvuol.uol.com.br/video/nao-fale-em-crise-trabalhe-queria-espalhar-essa-frase-diz-temer-04024E9B3060D8C15326?cmpid=fb-uolnol. Acesso em: 21 mai. 2021.

ZUAZO, Natalia. Los dueños de internet: cómo nos dominan los gigantes de la tecnología y qué hacer para cambiarlo. Buenos Aires: Debate. 2018. Disponível em: https://perio.unlp.edu.ar/catedras/mcdcat2/wp-content/uploads/sites/22/2020/03/Zuazo.-Los-dueños-de-internet-capitulo-1.pdf. Acesso em: 09 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

PEREIRA, D.; BRITO, V. Empresas-aplicativo de delivery e sujeitos-entregadores: relações de trabalho e mobilidade na cidade pandêmica. RUA, Campinas, SP, v. 27, n. 2, p. 265–293, 2021. DOI: 10.20396/rua.v27i2.8667609. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8667609. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos