Tensões, dores e incertezas em meio ao genocídio

resenha do livro discursos da pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8669013

Palavras-chave:

Discursos da pandemia, Disputas de sentido, Gestos de interpretação, Processos de discursivização

Resumo

A pandemia de Covid-19 produz incertezas que reverberam gestos de interpretação, colocando em circulação expressões, nomes, imagens e silêncios cujos sentidos entram em disputa na significação do nunca antes vivido por uma geração que desconhecia os impactos de um colapso sanitário mundial. Apresentamos, neste texto, uma resenha do livro Discursos da pandemia: entre dores e incertezas, organizado por Angela Baalbaki (UERJ) e Luís Felipe Andrade Silva (UFBA), publicado em 2020 pela Editora Pontes. A obra analisa a pandemia no nível simbólico a partir da Análise de Discurso e conta com 9 textos que compreendem como processos de nomeação, ilustração etc., estão dando sentidos à pandemia e organizando, nas condições de produção brasileiras, este acontecimento como um fato histórico do séc. XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa da Silva Fontana, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Licenciada em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste.

 

 

Thaís de Araujo da Costa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Pós-doutoranda em História das Ideias Linguísticas no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem pelaUniversidade Federal Fluminense. Pesquisadora colaboradora na Universidade Estadual de Campinas (PPGL-IEL). Professora Adjunta de Língua Portuguesa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). 

Referências

ALTHUSSER, Louis (1982). A corrente subterrânea do materialismo do encontro. Trad. Mónica G. Zoppi Fontana. Crítica marxista, Rio de Janeiro, n. 20, Editora Revan, 2005, p. 9-48.

BAALBAKI, Angela; SILVA, Luiz Felipe Andrade (Org.). Discursos da Pandemia: Entre dores e incertezas. 1. ed. Campinas: Pontes Editores, 2020. 208 p.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (Org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

CAMUS, A. La peste. Paris: Editions Gallimard, 1947.

KRIEG-PLANQUE, Alice. A noção de “fórmula” em análise do discurso: quadro teórico e metodológico. Trad. L. S. Salgado e S. Possenti. São Paulo: Parábola, 2010.

MODESTO, Rogério. Interpelação ideológica e tensão racial: efeitos de um grito. Littera online, [S. l.], v. 9, p. 124-145, 2018b.

MODESTO, Rogério. Os discursos racializados. Revista da ABRALIN, v. 20, n. 2, p. 1-19, 20 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.25189/rabralin.v20i2.1851

PÊCHEUX, Michel (1982). Delimitações, inversões, deslocamentos. In: Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 19. Campinas: IEL/Unicamp, p. 08-24. 1990.

PÊCHEUX, Michel (1983). O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi. 5 ed. Campinas: Pontes Editores, 2008.

Downloads

Publicado

2022-04-18

Como Citar

FONTANA, L. da S. .; COSTA, T. de A. da. Tensões, dores e incertezas em meio ao genocídio: resenha do livro discursos da pandemia . RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 321–335, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8669013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8669013. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Resenhas