Do passado ao futuro glorioso

discursividade em propagandas ditatoriais no Brasil e em Portugal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8670294

Palavras-chave:

Propaganda, Ditadura varguista, Estado novo português, Ditadura militar brasileira, Análise de discurso

Resumo

Filiado ao quadro teórico-metodológico da Análise do Discurso materialista desenvolvida por Michel Pêcheux, o presente artigo tem como objetivo apresentar uma análise das formas como o futuro e o passado são mobilizados na propaganda de regimes ditatoriais, em uma tensão entre um passado considerado glorioso e um futuro tido como promissor. Para isso, é feita uma análise de peças de propaganda da Era Vargas (1930-1945), da ditadura militar brasileira (1964-1985) e do Estado Novo português (1933-1974). O artigo discute também as condições de produção que autorizam a formulação de determinados dizeres sobre o futuro pelas ditaduras brasileiras e sobre o passado pelo regime português, ao mesmo tempo em que interditam a mobilização do futuro na propaganda portuguesa e do passado na brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa de Magalhães e Guimarães, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas.

Michel Marques de Faria, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ACHARD, Pierre. Memória e produção discursiva do sentido. In.: ACHARD, Pierre et al. (Org.). Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999. p. 11-21.

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1987.

CAMINHA, Pero Vaz de. Carta de Pero Vaz de Caminha ao rei dom Manuel I. In: TUFANO, Douglas. A carta de Pero Vaz de Caminha: comentada e ilustrada. São Paulo: Moderna, 1999. pp. 25-62.

CAMÕES, Luíz Vaz de. Os Lusíadas. Porto Alegre: L&PM, 2013.

COURTINE, Jean-Jacques. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: UFScar, 2009.

DINES, Alberto. A morte no paraíso: a tragédia de Stefan Zweig. Rio de Janeiro: Rocco, 2012.

GADET, Françoise; PÊCHEUX, Michel. A Língua Inatingível: o discurso na história da linguística. Campinas: RG Editora, 2010.

HOUAISS, Antônio. Minidicionário Houaiss da língua portuguesa. 4ª edição. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

LAGAZZI, Suzy. Trajetos do sujeito na composição fílmica. In: FLORES, Giovana; NECKEL, Nádia; GALLO, Solange (Org.). Análise do discurso em rede: cultura e mídia – vol. 3. Campinas: Pontes, 2017. p. 23-39

LAGAZZI, Suzy. Paráfrases da imagem e cenas prototípicas: em torno da memória e do equívoco. In: FLORES, Giovana; NECKEL, Nádia; GALLO, Solange (Org.). Análise de discurso em rede: cultura e mídia. Campinas: Pontes, 2015. p. 177-189

LAGAZZI, Suzy. O recorte e o entremeio: condições para a materialidade significante. In: RODRIGUES, Eduardo Alves et al. (Org.). Análise de discurso no Brasil: pensando o impensado sempre: uma homenagem a Eni Orlandi. Campinas: RG, 2011. p. 401-410

MARIANI, Bethania; MOURA, Tatiana Freire de; MEDEIROS, Vanise Gomes de. Habitar uma teoria. In: RODRIGUES, Eduardo Alves et al. (Org.). Análise de discurso no Brasil : Pensando o impensado sempre. Uma homenagem a Eni Orlandi. Campinas : Editora RG, 2011.

MOISÉS, Carlos Felipe. Introdução à edição de bolso. In: PESSOA, Fernando. Mensagem. Rio de Janeiro: BestBolso, 2011.

OLIVEIRA, Raphael. A propaganda e a publicidade no governo Médici: muito além do ufanismo. Anais do XV Encontro Regional de História da ANPUH-Rio, Rio de Janeiro, 2012. s.p. Disponível em: http://www.encontro2012.rj.anpuh.org/resources/anais/15/1332983067_ARQUIVO_APropagandaeaPublicidadenoGovernoMedici_1_.pdf. Acesso em: 21 abr. 2022

ORLANDI, Eni. Discurso em análise: sujeito, sentido, ideologia. Campinas: Pontes, 2017.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: Princípios e Procedimentos, SP Campinas: Pontes, 2013.

ORLANDI, Eni. Língua brasileira e outras histórias: discurso sobre a língua e o ensino no Brasil. Campinas: RG, 2009.

ORLANDI, Eni. Terra à vista: discursos do confronto: Velho e Novo Mundo. Campinas: Unicamp, 2008.

ORLANDI, Eni. Prefácio. In: ORLANDI, E.P. (Org.). Discurso fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes, 2003a. p. 7-9

ORLANDI, Eni. Vão surgindo sentidos. In: ORLANDI, E.P. (Org.). Discurso fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes, 2003b. p. 11-25

ORLANDI, Eni. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2001.

ORLANDI, Eni. Efeitos do verbal sobre o não-verbal. Rua, Campinas, n.1, vol. 1, 1995. p. 35-47. DOI: https://doi.org/10.20396/rua.v1i1.8638914

PÊCHEUX, Michel. Análise automática do discurso. Campinas: Pontes, 2019.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 2015.

PÊCHEUX, Michel. Foi “propaganda” mesmo que você disse?. In: ORLANDI, Eni. (Org.). Análise de discurso: Michel Pêcheux, textos escolhidos por Eni Puccinelli Orlandi. Campinas: Pontes, 2011.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 1995.

PESSOA, Fernando. Mensagem. Rio de Janeiro: BestBolso, 2011.

PETRI, Verli. O funcionamento do movimento pendular próprio às análises discursivas na construção do “dispositivo experimental” da análise de discurso. In: PETRI, Verli; DIAS, Cristiane (Org.). Análise do discurso em perspectiva: teoria, método e análise. Santa Maria: UFSM, 2013.

SUVIN, Darko. Metamorphoses of science fiction: on the poetics and history of a literary genre. New Haven: Yale University Press, 1979.

SZACKI, Jerzi. As utopias ou a felicidade imaginada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1972.

VARGAS, Rejane Maria Arce. Dizeres que não voltam mais??? Questionamentos sobre a questão da filiação dos sentidos. Letras, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 185–200, jul./dez. 2008

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

GUIMARÃES, E. de M. e .; FARIA, M. M. de . Do passado ao futuro glorioso: discursividade em propagandas ditatoriais no Brasil e em Portugal. RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 27–51, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8670294. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670294. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos