O discurso do estado na subjetivação de sujeitos em situação de rua

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8670295

Palavras-chave:

Análise de discurso, Política pública, Estado

Resumo

A partir da Análise de Discurso, este trabalho objetiva compreender as discursividades que sustentam o texto da campanha “Não dê esmola, mostre o caminho”, que faz parte de uma política pública da cidade de Pouso Alegre-MG. Discursivamente, compreendemos que uma política pública é produtora de consensos e funciona pelo apagamento de sentidos outros. Duas discursividades sustentam o enunciado da campanha: a capitalista e a religiosa cristã. Discursividades que visam constituir os sujeitos em trabalhadores e contribuintes úteis à sociedade. Concluímos que as políticas públicas precisam conversar com aqueles que elas visam atender. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Ernesto Jonas Franco, Centro de Línguas de Jundiaí

Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor do Centro de Línguas de Jundiaí.

Referências

ADORNO, G. OS VLOGS E A IDENTIFICAÇÃO PARADOXAL DOS CRIADORES DE DISCURSO. Línguas e Instrumentos Linguísticos – Nº 37 – jan-jun 2016, P. 257 – 292.

ALTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidades enunciativas. Caderno de Estudos Linguísticos, Campinas, (19), p. 25 – 42, jul/dez. 1990.

ALTHUSSER, L. (1971). Aparelhos Ideológicos de Estado: Notas sobre os aparelhos ideológicos do Estado. 10 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

AZEVEDO, J. M. de L. A Educação como Política Pública. 3 edição. Campinas: Autores Associados. 2004.

CORACINI, M. J. Transdisciplinaridade e análise de discurso: migrantes em situação de rua. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 11 (1), p. 91 – 102, 2010. DOI: https://doi.org/10.26512/les.v11i1.9758

CORACINI, M. J.Histórias de vida e pobreza: por uma (intro)dução. In: (Org.) Identidades Silenciadas e (In)visíveis: entre a inclusão e a exclusão: (identidade, mídia, pobreza, situação de rua, mudança social, formação de professores). Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. p. 17 – 28.

CORACINI, M. J. A mídia jornalística e os chamados moradores de rua: a construção de identidades esfaceladas. In: Mídia, exclusão e ensino: dilemas e desafios na contemporaneidade. CARMAGNANI, A. M. G. ; CORACINI, M. J. (Orgs). Campinas, SP: Pontes Editores, 2014. P. 99 – 118.

FOUCAULT, M. Segurança, Território, População: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GOVERNO FEDERAL. Política Nacional para Inclusão da população em Situação de Rua. Governo Federal, Brasília, maio de 2008. 25p. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/cao_civel/acoes_afirmativas/inclusaooutros/aa_diversos/Pol.Nacional-Morad.Rua.pdf. Acesso em novembro de 2019.

GUIMARÃES, E. R. J. Análise de texto. Procedimentos, análises, ensino. Campinas: RG Editora, 2011.

HAROCHE, C. Fazer Dizer Querer Dizer. Hucitec, São Paulo, 1975.

NUNES, J. H. Silêncios do político no espaço público. In: RODRIGUES, E. A.; SANTOS, G. L. dos ; BRANCO, L. K. A. C. (Orgs.). Análise de discurso no Brasil: pensando o impensado sempre. Uma homenagem a Eni Orlandi. Campinas, Editora RG, 2011. P. 37 – 67.

ORLANDI, E. P. Identidade linguística escolar. In: SIGNORINI, I. (Org.). Língua(gem) e identidade. São Paulo: Mercado de Letras, 1998. p. 203 – 211.

ORLANDI, E. P. Cidade dos Sentidos. Campinas, SP: Pontes, 2004.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2005.

ORLANDI, E. P. História das ideias x história de vida: entrevista com Eni Orlandi. Fragmentum, nº 7. Laboratório Corpus: UFSM, 2006. p. 11 – 51.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Unicamp, 2007. DOI: https://doi.org/10.7476/9788526814707

ORLANDI, E. P. Análise do Discurso: princípios e procedimentos. São Paulo: Pontes, 2010a.

ORLANDI, E. P. (Org.). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas, SP: Editora RG, 2010b.

ORLANDI, E. P. A Linguagem e o seu funcionamento: As Formas do Discurso. 6ª ed. Campinas, SP: Pontes, 2011.

ORLANDI, E. P. Formação ou capacitação? Duas formas de ligar sociedade e conhecimento. In: ORLANDI, E. P.; FERREIRA, E. L. (Orgs.). Discursos sobre a inclusão. Niterói: intertexto, 2014. p. 141 – 183.

PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso. In: Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, p.61-161, 1969.

PÊCHEUX, M. [1975] Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 4ª ed. Campinas: Unicamp, 2009.

PFEIFFER, C. C. Políticas Públicas: Educação e Linguagem. Cad. Est. Ling., Campinas, 53(2): p. 149-155, Jul./Dez. 2011 DOI: https://doi.org/10.20396/cel.v53i2.8636984

RANCIÈRE, J. A Partilha do Sensível. São Paulo: Editora 34, 2009.

SILVA, D. E. G. da. Prefácio. In: CORACINI, M. J. R. F. (Org.) Identidades Silenciadas e (In)visíveis: entre a inclusão e a exclusão: (identidade, mídia, pobreza, situação de rua, mudança social, formação de professores). Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. p. 13 – 16.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

FRANCO, W. E. J. . O discurso do estado na subjetivação de sujeitos em situação de rua. RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 69–89, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8670295. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670295. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)