Um olhar transdisciplinar de pesquisa e a constituição da subjetividade fronteiriza

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rua.v28i1.8670324

Palavras-chave:

Identidades, Discursos, Povos indígenas

Resumo

Ao lançar olhares oblíquos sob materialidades linguísticas que têm (re)circulado em nossa sociedade a respeito da mulher, é possível dizer o quanto suas espessuras trazem enunciados atravessados por (inter)discursos e o quanto a emergência destes tornam-se um testemunho que possibilita (trans)formar perfis identitários, bem como (des)legitimar as representações (históricas) dos sujeitos em uma determinada cultura. Partindo desse pressuposto, tem-se por objetivo problematizar, mediante recortes discursivos, possíveis efeitos de sentidos em relação à representação da mulher, de etnia indígena, e a constituição de uma subjetividade fronteriza, a partir do texto da obra “Pelas Mulheres indígenas” – idealizada pela ONG Thydêwá em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, publicada no ano de 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vania Maria Lescano Guerra, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Willian Diego de Almeida, Faculdade Centro Mato-Grossense

Doutor em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Docente da Faculdade Centro Mato-Grossense - FACEM, MT.

Referências

ORLANDI, E. Discurso e leitura. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

ORLANDI, E. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 3. ed. Campinas: Pontes, 2008.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni Orlandi et al. Campinas: Editora da Unicamp, 1988.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni Puccinelli Orlandi. 6.ed. Campinas: Pontes, 2012.

POSSENTI, S. Observações sobre interdiscurso. Revista Letras, Curitiba: Editora UFPR, n. 61, especial, p. 253-269, 1988. DOI: https://doi.org/10.5380/rel.v61i0.2890

POTIGUARA, E. Metade cara, metade máscara. São Paulo: Global, 2004.

ROUDINESCO, E. Filósofos na tormenta. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

SOUSA-SANTOS, B. de. Os direitos humanos na zona de contato entre globalizações rivais, Cronos, v. 8, n.1, p. 23-40, 2007.

SOUSA-SANTOS, B. de. Direitos humanos: o desafio da interculturalidade. Revista Direitos Humanos, v.2, p. 10-18, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S1806-64452008000100010

SOUSA-SANTOS, B. de. Para além do pensamento abissal. Das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SOUSA-SANTOS, B. de; MENEZES, M, P. (Orgs.). Epistemologias do sul. 2. ed. Coimbra: Almedina, 2010. p. 23-72.

SOUSA-SANTOS, B. de. O direito dos oprimidos: sociologia crítica do direito, parte 1. São Paulo: Cortez, 2014.

SOUSA-SANTOS, B. de. O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

SOUZA, J. Subcidadania brasileira: para entender o país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro : LeYa, 2018.

Downloads

Publicado

2022-07-06

Como Citar

GUERRA, V. M. L.; ALMEIDA, W. D. de . Um olhar transdisciplinar de pesquisa e a constituição da subjetividade fronteiriza. RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 167–186, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i1.8670324. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670324. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos