Banner Portal
Apropriação do espaço público
PDF

Palavras-chave

Praças públicas
Informalidade
Apropriação do espaço
Percepção do espaço

Como Citar

SOUSA, André Luís Santos de; MELLO, Márcia Maria Couto; SILVA, Ana Licks Almeida. Apropriação do espaço público: as praças contemporâneas, trabalho e lazer . RUA, Campinas, SP, v. 28, n. 2, p. 451–473, 2022. DOI: 10.20396/rua.v28i2.8671140. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671140. Acesso em: 15 jun. 2024.

Resumo

Este artigo, resultante de uma dissertação de mestrado, tem como objetivo analisar as transformações provocadas pelo comércio informal ocorridas no espaço público, especificamente na Praça do Caranguejo, município de Lauro de Freitas/BA, área central no bairro que propiciou seu crescimento demográfico e consolidação comercial. A pesquisa de abordagem qualitativa, baseou-se na percepção dos residentes no entorno da praça, com a aplicação de 266 questionários. A falta de segurança, conservação e equipamentos de lazer, constituíram-se os principais fatores que acarretaram a diminuição da presença dos moradores na praça. Compreender a percepção dos residentes frequentadores e não frequentadores sobre a praça, permitiu apontar caminhos para o seu resgate como símbolo cultural, histórico, de lazer e entretenimento em um bairro periférico

https://doi.org/10.20396/rua.v28i2.8671140
PDF

Referências

ALEX, S. Projeto da praça: convívio e exclusão no espaço público. São Paulo: SENAC, 2011.

ALMEIDA, P. H. de. A economia de Salvador e a formação de sua Região Metropolitana. In: CARVALHO, I. M. M. de; PEREIRA, G. C. (Org.). Como anda Salvador. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 11-53.

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BAUMAN, Z. Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2009.

BENEVOLO, L. História da idade. 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

CACCIAMALI, M. C. O setor informal urbano e formas de participação na produção. São Paulo: Ed. IPE, 1983.

CACCIAMALI, M. C. Globalização e processo de informalidade. Economia e Sociedade, Campinas, v.14, p.53-174, jun. 2000.

CARIGÉ, Anderson Andrade. Cidades metropolitanas: a cidade de Lauro de Freitas na RMS/BA. 2007. 168 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) -Universidade Federal da Bahia – UFBA. Salvador, 2007.

CARMO, Miguel Ângelo Oliveira do. Moral, ética e estética da existência em Michel Foucault, Griot: Revista de Filosofia, vol. 19, núm. 2, pp. 300-310, 2019

CARVALHO, I. M. M. de; PEREIRA, G. C. As “cidades” de Salvador. In: CARVALHO, I. M. M. de; PEREIRA, G. C. (org.). Como anda Salvador. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 81-107.

CASTELLO, I. R. Equipamentos urbanos, grupos hierárquicos, parâmetros de localização e caraterísticas gerais. [S. l.: s. n.], 2013.

DIAS, P. C. A construção da segregação residencial em Lauro de Freitas (BA): estudo das características e implicações do processo. 2006. 206 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Bahia – UFBA. Salvador, 2006.

DURÃES, B. J. R. Camelôs globais ou de tecnologia: novos proletários da acumulação. Salvador: Edufba, 2013.

FILGUEIRAS, L. A. M.; DRUCK, G.; AMARAL, M. F. O conceito de informalidade: um exercício de aplicação empírica. Cadernos CRH, Salvador, v.17, 2004.

FILGUEIRAS, V. A. N. In: KREIN, J. D.; OLIVEIRA, R. V. de; FILGUEIRAS, V. A. N. (Org.). Reforma trabalhista no Brasil: promessas e realidade. 1. ed. Campinas: Curt Nimuendajú, 2019.

FREITAS, G. A Itinga celebra o orgulho de ser de Lauro de Freitas. In: FREITAS, G.; CARDOSO, T. S. (Org.). De Ipitanga a Lauro de Freitas: narrativas históricas do povo ipitanguense. Lauro de Freitas: Libre, 2019. cap. 9. p. 55-57.

FREITAS, G.; PARANHOS, E. Livro da história de Lauro de Freitas: antiga freguesia de santo amaro do Ipitanga. 3. ed. Lauro de Freitas: Jsp, 2008.

GEHL, J. Cidades para pessoas. Tradução: Anita Di Marco. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GUIMARÃES, P. P. Configuração urbana: evolução, avaliação, planejamento e urbanização. São Paulo: ProLivros, 2004.

GOETTEMS, R. F.; BUENO, A. P. Mapeamento e análise dos espaços de praça da cidade de Joinville-SC. Arq.Urb, n. 22, p. 93-109, 2018.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. 27. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

GOOGLE EARTH. Disponível em: https://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth/Acesso em: 23 dez. 2020.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. 2010. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-demografico/demografico-2010/universo-caracteristicas-da-po. Acesso em: 10 jul. 2020.

ITIKAWA, L. F. Trabalho informal nos espaços públicos no Centro de São Paulo: pensando parâmetros para políticas públicas. 2006. 520 f. Tese (Doutorado) - Curso de Arquitetura, Universidade de São Paulo - USP, São Paulo, 2006.

JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. Tradução Carlos S. Mendes Rosa. 3 ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

KREIN, J. D.; PRONI, M. W. Economia informal: aspectosconceituais e teóricos. Brasília: OIT: Escritório da OIT no Brasil, 2010.

LAMAS, J. M. R. G. Morfologia urbana e desenho da cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian: Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 2004.

LAURO DE FREITAS. Perfil do Município. 2015. Disponível em: https://www.laurodefreitas.ba.gov.br/site/noticia/perfil-do-municipio/120 Acesso em: 12 out. 2019.

LAURO DE FREITAS. Prefeitura apresenta aos comerciantes projeto de requalificação do Largo do Caranguejo. Disponível em: https://www.laurodefreitas.ba.gov.br/site/noticia/prefeitura-apresenta-aos-comerciantes-projeto-de-requalificacao-do-largo-do-caranguejo/874. Acesso em: 12 out. 2019.

LERNER, J. Acupuntura urbana. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade, ‎ São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011, 3ª edição.

MARX, M. Cidade brasileira. São Paulo: Melhoramentos: EDUSP, 1980.

PAMPLONA, J. Mercado de trabalho, informalidade e comércio ambulante em São Paulo. R. Bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. 226-249, 2013.

ROBBA, F.; MACEDO, S. S. Praças brasileiras. São Paulo: EDUSP: Imprensa Oficial do Estado, 2010. (Coleção Quapá).

SANTOS, M. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Tradução: Myrna T. Rego Viana. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SEGAWA, H. Ao amor do público: jardins no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1996.

SERPA, Â. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007.

SOUSA, L. A. Largo do Caranguejo: entre memórias, fatos e história das transgressões de um "caranguejo". In: FREITAS, G.; CARDOSO, T. S. (Org.). De Ipitanga a Lauro de Freitas: narrativas históricas do povo ipitanguense. Lauro de Freitas: Libre, 2019. cap. 14. p. 79-85.

SOUSA, A.L.S. Os Impactos da ocupação do comércio informal em praças públicas: um olhar a partir da Praça do Caranguejo em Lauro de Freitas/BA. 2021. 182 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Urbano) – Universidade Salvador – UNIFACS. Salvador, 2021.

SPINOLA, N. D. A trilha perdida: caminhos e descaminhos do desenvolvimento baiano no século XX. Salvador: Editora Unifacs, 2009.

VASCONCELOS, P. de. A pobreza urbana e a formação de bairros populares em salvador na longa duração. Geousp - Espaço e Tempo, São Paulo, v. 20, p. 19-30, 2006.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 RUA

Downloads

Não há dados estatísticos.