Fronteiras do masculino e do feminino ou a androginia como expressão

  • Mara Lucia Faury Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Faculdade de Filosofia
Palavras-chave: Identidade andrógina. Homens e mulheres

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre a maneira utilizada por Honoré de Balzac para desvendar para o leitor a identidade andrógina de seu personagem, Séraphîtus/ Séraphîta. Pretende-se ainda mostrar como o autor inscreveu na malha textual a convivência dos outros personagens da obra com esta androginia. A título de conclusão questionar-se-á o romance Monsieur Vénus, mesmo que rapidamente, através de algumas aproximações entre o romance de Balzac e o de Rachilde.

Abstract

The present article aims to reflect on the way Honoré de Balzac used to disclose the androgenous identity of his character: Séraphîtus/ Séraphîta. We still intend to show how the author dealt with others characters relation with that androgyny in the text. In conclusion, we will discuss the novel Monsieur Vénus through some approaches between Balzac and Rachilde novels.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lucia Faury, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Faculdade de Filosofia
Professora titular do Departamento de Francês da Faculdade Filosofia, Letras e Artes (FAFICLA) da PUC/SP. Possui graduação em Letras, mestrado em Literatura Francesa (Université Paris IV), doutorado em Estudos Portugueses e Brasileiros: Literaturas (Université Paris III Sorbonne-Nouvelle) e realizou estudos de pós-doutorado junto ao Laboratoire de Psychologie Sociale, na École des Hautes Études em Sciences Sociales em Paris, França. Ao longo dos últimos anos dedicou-se ao magistério no ensino superior, atuando na graduação e na pós-graduação lato sensu Ensino-aprendizagem da língua e das literaturas de expressão francesa (curso que coordenou de 2005 a 2009). Tem experiência na área de Letras e suas publicações são relacionadas a lexicologia, lexicografia e tradução, gramática, cultura e literatura francesa (literatura decadente, Rachilde, homossexualismo, erotismo) e de expressão francesa (literatura feminina), francês instrumental (presencial e a distancia), leitura e produção de textos (presencial e a distância). Atua na liderança do grupo de pesquisa Interfaces do Ensino do Francês, cadastrado no CNPq e ocupou o cargo de chefia do Departamento de Francês da Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes de 2009 a 2013.

Referências

"Etudes comparées interculturelles", in Théorie Littéraire - Problèmes et Perspectives, Paris, PUF, pp.161-179.

BALZAC, Honoré: “Séraphîta”

BARRÈS, Maurice: "Préface", IN RACHILDE: Monsieur Vénus, Paris, Flammarion, 1977.

FOUCAULT, Michel: "Ariane s'est pendue" comenta DELEUZE, Gilles: “Difference et repetition”, editora Presses Universitaires de France, 1969. Originalmente este texto foi publicado em Le Nouvel Observateur, no 229, 31 mars-6 avril 1969, (pp.36-37).

FOUCAULT, Michel: Dits et Ecrits, Paris, Gallimard, 1994, vol IV, texto 64, p. 764.

LORENZI-CIOLDI, Fabio:Les Androgynes, Paris, Presses Universitaires de France, 1994, p.5.

PLÉIADE, vol XI, Etudes Philosophiques - Etudes Analytiques, dir. CASTEX, Pierre-Georges, Paris, Gallimard, 1980.

QUEIROS MATTOSO, Kátia de: "Masculin et Féminin en littérature: la question de l'identité" IN Collection Recherches et Documents-Brésil, série Publications du Centre d'Etudes sur le Brésil, org. Paris, no prelo.

RACHILDE: Monsieur Vénus, Paris, Flammarion, 1977.

Publicado
2009-01-01
Como Citar
Faury, M. L. (2009). Fronteiras do masculino e do feminino ou a androginia como expressão. Cadernos Pagu, (5), 165-178. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1785
Seção
Artigos