Magias de cozinha: escravas e feitiços em Portugal – Séculos XVII e XVIII

  • Daniela Buono Calainho Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Feitiçaria. Ervas. Africanos

Resumo

Este trabalho tem por objetivo apresentar algumas considerações acerca das manifestações mágico-religiosas da população feminina de origem africana em Portugal entre os séculos XVII e XVIII, relacionadas ao uso de ervas, alimentos e outros ingredientes que compunham os feitiços.

Abstract

With this work I intend to present some considerations on the religious-magical practices of African female populations in Portugal during the 17th and 18th centuries, related to the use of herbs, food and other ingredients which were used in magic spells.

Key Words: Witchcraft, Herbs, Africans.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Buono Calainho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Possui graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (1985), mestrado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (2000) e Pós-Doutorado na Universidade de São Paulo (2008) e Universidade Federal de Minas Gerais (2014). Professor Associado DE da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Procientista desde 2000. Coordenadora do Programa de História Social da Faculdade de Formação de Professores da UERJ de 2010 a 2013. Pesquisadora do grupo Companhia das Índias - Núcleo de História Ibérica e Colonial nos Tempos Modernos, contemplado pelo PRONEX desde 2006, sediado na Universidade Federal Fluminense e liderado pelo Prof.Dr. Ronaldo Vainfas. Líder do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Inquisitoriais, cadastrado no CNPq. desde 2008. Bolsista FAPERJ na categoria Jovem Cientista do Nosso Estado de 2009 a 2013. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e do Brasil Colônia, atuando principalmente nos seguintes temas: Inquisição moderna, escravidão, religiosidades populares, história da medicina luso-brasileira

Referências

ANDREONI, João Antônio. Cultura e opulência do Brasil por suas drogas e minas. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1967.

BETHENCOURT, Francisco. O imaginário da magia. Feiticeiras, saludadores e nigromantes no século XVI. Lisboa, Centro de Estudos de História e Cultura Portuguesa, 1987.

BRAGA, Isabel M. R. D. Sabores do Brasil em Portugal. Descobrir e transformar novos alimentos (séculos XVI-XXI). São Paulo, Editora Senac, 2010.

BRÁSIO, Antônio. Monumenta missionária africana. Lisboa, Agência Geral do Ultramar, 1953.

CARREIRA, Antônio. Símbolos, ritualistas e ritualismos ânimo-fetichistas na Guiné Portuguesa. Boletim cultural da Guiné Portuguesa, Separata do nº 63 do ano XVI, Bissau, 1961.

CHEVALIER, Jean e GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro, José Olympio Editora, 1998.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. A essência das religiões. Lisboa, Ed. Livros do Brasil, 1992.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e senzala. Rio de Janeiro, José Olympio, 1958.

H. DESCHAMPS, Hubert. Las religiones del Africa negra. Buenos Aires, Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1962.

MACGAFFEY, Wyatt. Religion and society in Central África. Chicago, The University of Chicago Press, 1986.

MATTOSO, José. História de Portugal. No alvorecer da Modernidade.

Lisboa, Estampa, vol.3, 1997.

PAIVA, José Pedro. Bruxaria e superstição num país sem “caça às bruxas”. 1600/1774. Lisboa, Notícias Editorial, 1998.

PRIORE, Mary del. (org.) História das mulheres no Brasil. São Paulo, Contexto, 1997.

REIS, João e SILVA, Eduardo. Conflito e negociação. A resistência negra no Brasil escravista. São Paulo, Companhia das Letras, 1989.

SLENES, Robert. Malungu, Ngoma vem! África encoberta e descoberta no Brasil. Cadernos do Museu da Escravatuta, nº 1, Luanda, Ministério da Cultura, 1995, pp.5-24.

SOUZA, Laura de Mello e. O Diabo e a terra de Santa Cruz. Feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo, Companhia das Letras, 1986

Publicado
2016-04-14
Como Citar
Calainho, D. B. (2016). Magias de cozinha: escravas e feitiços em Portugal – Séculos XVII e XVIII. Cadernos Pagu, (39), 159-176. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645054