O trato dos viventes de Luiz Felipe de Alencastro

  • Rodrigo da Silva Teodoro Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Podemos perceber pela epígrafe acima que o autor em questão reivindica, para seu estudo, um caráter complementar em relação às interpretações correntes sobre a colonização. Mas em que consistiria essa complementaridade? Segundo Alencastro, a partir do final do século XVI constitui-se um espaço aterritorial unindo os enclaves portugueses na América e as feitorias angolanas2 em um só sistema de exploração colonial. Estabelece, como seu principal objetivo, demonstrar a interdependência entre ‘as duas margens do Atlântico Sul’.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe. O trato dos viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

NOVAIS, Fernando Antonio. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777- 1808). 7. ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

PRADO JR., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1963.

Publicado
2016-01-26
Como Citar
Teodoro, R. da S. (2016). O trato dos viventes de Luiz Felipe de Alencastro. Economia E Sociedade, 14(1), 187-192. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8643045
Seção
Artigos