Banner Portal
A cidade e as serras
PDF

Palavras-chave

Ensino superior, Desenvolvimento regional, Impacto regional das universidades

Como Citar

ROLIM, Cássio; SERRA, Maurício. A cidade e as serras: onde criar (ou encerrar) uma universidade. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 30, n. 1, p. 235–257, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8665617. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

O despovoamento do leste português e a concentração próxima ao litoral é tema de um debate antigo que inclui, inclusive,
as virtudes das cidades menores em detrimento das maiores. Enquanto este último aspecto é inconcluso, o esvaziamento do
Leste é um fato. Também é um fato que as Instituições de Ensino Superior (IES) mais próximas ao litoral tendem a ter uma
demanda maior do que as mais distantes, o que tem levantado um debate sobre a possibilidade de se concentrar recursos
para expandir as IES mais pressionadas pela demanda ou de se reduzir aquelas com um número diminuto de matrículas. Os
conceitos de Economia nem sempre são utilizados nesse debate de forma precisa. Uma IES é importante não somente para
a manutenção da demanda agregada, mas fundamentalmente por contribuir para o incremento da inovação e da
competitividade regional a longo prazo. Este artigo tem por objetivo analisar essas questões e indicar alguns pontos
importantes para a consideração dos tomadores de decisão.

PDF

Referências

ARROTEIA, J. A Universidade de Aveiro e os seus contextos (1973-2013). Aveiro: UA Editora,

ARMSTRONG, H.; TAYLOR, J. Regional economics and policy. Oxford: Blackwell, 2000.

BLANCHARD, O. Macroeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

BLATTLER, A. et al. Portuguese higher education: a view from the outside. Brussels: European

University Association – EUA, 2013.

BOVO, J. M. Impactos econômicos e financeiros da Unesp para os municípios. São Paulo: Unesp,

CABRITO, B. O financiamento do ensino superior. Lisboa: Educa, 2002.

CAFFREY, J.; ISAACS, H. Estimating the impact of a college or university on the local economy.

American Council on Education, 1971.

CAPELLO, R. Regional economics. London: Routledge, 2007.

CARVALHO, L.; NUNES, S.; PINTO, S. Impacto económico do Instituto Politécnico de Setúbal na

Região de Setúbal. Setúbal: Instituto Politécnico de Setúbal, 2013.

CENTRE FOR HIGHER EDUCATION POLICY STUDIES (CHEPS). Policy challenges for the

Portuguese Polytechnic Sector: a report for the Portuguese Polytechnics Coordinating Council.

Twente: CHEPS/University of Twente, 2013.

CERDEIRA, L.; CABRITO, B.; PATROCÍNIO, T.; MACHADO, M.; BRITES, R. Custos dos

estudantes do ensino superior português – Relatório CESTES: Para a compreensão da condição social

e econômica dos estudantes de ensino superior. Lisboa: Educa. 2015.

DL 402/73 (Ministério da Educação Nacional). 11 ago. 1973.

E3M Project (European Indicators and Ranking Methodology for University Third Mission).

Conceptual framework for third mission indicator conception. Brussels: European Union (Education

and Culture DG – Lifelong Learning Programme), 2012.

FAGGIAN, A.; BIAGI, B. Measuring regional multipliers: a comparison between two different

methodologies for the case of the Italian regions. Scienze Regionali: Italian Journal of Regional

Science, v. 1, n. 2, p. 33-58, 2003.

FERNANDES, J. O impacto econômico das instituições de ensino superior no desenvolvimento

regional: o caso do Instituto Politécnico de Bragança. Tese (Doutoramento em Engenharia Industrial

e de Sistemas/Engenharia Econômica)–Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2009.

FLORAX, R. The university: a regional booster? Economic impacts of academic knowledge

infrastructure. London: Avebury, 1992.

GARRIDO, R.; GALLO-RIVERA, M. The impact of the university upon local economy: three

methods to estimate demand-side effects. The Annals of Regional Science, v. 44, p. 39-67, 2010.

GODDARD, J.; VALLANCE, P. The university and the city. Oxon: Routledge, 2013.

GOMES, J. F. Sobre a sustentabilidade da educação superior em Portugal. Porto: Universidade do

Porto, 2012.

HADDAD, E. Modelos computacionais de equilíbrio geral inter-regionais. In: COSTA, J. S.;

DENTINHO, T. P.; NIJKAMP, P. Compêndio de economia regional V. Cascais: Principia, 2011.

p. 563-607.

HORRIDGE, M. MINIMAL – A simplified general equilibrium model. Melbourne: Monash

University, 2001.

MAGALHÃES, A. M.; SANTIAGO, R. Governance, public management and administration of

higher education in Portugal. In: NEAVE, G.; AMARAL, A. Higher education in Portugal 1974-

: a nation, a generation. London: Springer, 2012. p. 227-248.

MOLAS-GALLART, J.; SALTER, A.; PATEL, P.; SCOTT, A.; DURAND, X. Measuring third

stream activities – Final Report to the Russell Group of Universities. Sussex: SPRU/University of

Sussex, 2002.

NICOLAU, A. et al. Os impactos dos institutos politécnicos na economia local: uma primeira

reflexão, Lisboa: Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), 2014.

OECD. OECD DATA, From Data.OECD. 2013Org. Available at: https://data.oecd.org/tax/taxrevenue.

htm.

PASTOR, J.; PÉREZ, F.; GUEVARA, J. Measuring the local economic impact of universities:

an approach that considers uncertainty. Higher Education, 65, p. 539-564, 2013.

RAMOS, R.; SOUSA, B.; MONTEIRO, N. História de Portugal. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2015.

ROLIM, C. A experiência de Portugal no âmbito da política regional europeia. In: RESENDE, G.

M. (Org.). Avaliação de políticas públicas no Brasil: uma análise da política nacional de

desenvolvimento regional. Brasilia: IPEA, 2017. p. 263-309.

ROLIM, C.; KURESKI, R. Impacto econômico de curto prazo das universidades estaduais

paranaenses – 2004. Revista Paranaense de Desenvolvimento, v. 112, n. 3, p. 111-130, 2007.

ROLIM, C.; KURESKI, R. Impacto econômico de curto prazo das universidades estaduais

paranaenses. Curitiba: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado do Paraná,

SAÚDE, S. et al. Indicadores de desempenho para as instituições de ensino superior politécnico:

investigação aplicada, criação cultural e impacto regional. Lisboa: Edições Sílabo, 2017.

SILVA, J.; SANTOS, S. A análise input-output na avaliação do impacto econômico das

universidades: o caso da Universidade do Algarve. In: CONGRESSO DA APDR, 11, Faro: APDR,

Anais...

SOBRAL, J. National identity and higher education: from the origins till 1974. In: NEAVE, G.;

AMARAL, A. Higher education in Portugal 1974-2009: a nation, a generation. London: Springer,

p. 49-65.

TEIXEIRA, P. Regulatory changes and the public-private mix in Portuguese higher education. In:

TEIXEIRA, P.; KIM, S.; LANDONI, P.; GILANI, Z. (Ed.). Rethinking the public-private mix in

higher education. Rotherdam: Sense Publishers, 2017. p. 83-106.

VIEIRA, P. José Veiga Simão: uma vida vivida, v. 1 – Do Estado Novo de Salazar à Primavera

Marcelista. Lisboa: Gradiva, 2014.

VENCE, X. Crecimiento economico, cambio estructural y economia basada en conocimiento. In:

VENCE, X. (Ed.). Crecimiento y políticas de innovación: nuevas tendencias y experiencias

comparadas. Madrid: Piramide, 2007. p. 19-58.

VINHAIS, H. Estudo sobre o impacto da expansão das universidades federais no Brasil. Tese

(Doutoramento)–FEA-USP, São Paulo, 2013.

VUGHT, F. V. et al. U-Map, A University Profiling Tool - 2011 Update Report. Twente: University

of Twente/ CHEPS, 2011.

WATSON, D. et al. The engaged university: international perspectives on civic engagement.

London: Routledge, 2011.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.