Banner Portal
Análise espacial da relação entre financiamento e especialização industrial por intensidade tecnológica no Brasil
PDF

Palavras-chave

Preferência pela liquidez
Crédito
BNDES
Bancos
AEDE

Como Citar

SMOLSKI, Felipe Micail da Silva; FOCHEZATTO, Adelar. Análise espacial da relação entre financiamento e especialização industrial por intensidade tecnológica no Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 32, n. 3, p. 576–612, 2024. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8675536. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

O sistema financeiro brasileiro apresentou incrementos sistemáticos no montante de crédito livre e direcionado após 2001, porém poucos estudos relacionam crédito e distribuição da indústria no território. O objetivo deste artigo é verificar os impactos espaciais da disponibilização de crédito sobre a especialização das microrregiões brasileiras no setor da indústria. Foi utilizado o quociente locacional de vínculos empregatícios na indústria por intensidade tecnológica como indicador de especialização industrial, entre 2006 e 2019, com técnicas de Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE) e econometria espacial. Os resultados indicam: a existência de autocorrelação espacial em relação ao quociente locacional de vínculos industriais, com clusters espaciais principalmente nas regiões Sudeste e Sul; que há impactos significativos da preferência pela liquidez dos bancos e do crédito do BNDES sobre a especialização industrial das microrregiões, em atividades de baixa e média intensidade tecnológica; e atividade de alta intensidade tecnológica apresentou piora na distribuição espacial.

PDF

Referências

ANSELIN, L. Local Indicators of Spatial Association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, p. 93-115, 1995.

ANSELIN, L. Spatial econometrics: methods and models. Dordrecht: Springer Science & Business Media, 1988. p. 284.

BANCO CENTRAL DO BRASIL ESTBAN – BCB. Estatística Bancária Mensal por Município. Brasília, 2022. Disponível em: http://www4.bcb.gov.br/fis/cosif/estban.asp. Acesso em: 4 out. 2023.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES. Portal de Dados Abertos do BNDES. Disponível em: https://dadosabertos.bndes.gov.br/. Acesso em: 26 ago. 2022.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES. Livro Verde: nossa história tal como ela é. Rio de Janeiro: BNDES, 2017.

BARRA, C.; ZOTTI, R. Financial stability and local economic development: the experience of Italian labour market areas. Empirical Economics, New York, n. 62, p. 1951-1979, 2021.

BEZEMER, D. J. Schumpeter might be right again: the functional differentiation of credit. Journal of Evolutionary Economics, New York, v. 24, n. 5, p. 935-950, 2014.

BIRKAN, A. O.; AKDOGU, S. K. The geography of financial intermediation in Turkey: 1988-2013. Annals of Regional Science, New York, v. 57, n. 1, p. 31-61, 2016.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Em busca do desenvolvimento perdido. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2018.

CANO, W. A desindustrialização no Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, Número Especial, p. 831-851, 2012.

CARBONI, O. A. Spatial and industry proximity in collaborative research: Evidence from Italian manufacturing firms. Journal of Technology Transfer, New York, v. 38, n. 6, p. 896-910, 2013.

CAVALCANTE, A. et al. Financialization and space: theoretical and empirical contributions. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 193-220, 2018.

CAVALCANTE, A.; ALMEIDA, R. P.; BAKER, N. The urban dynamics of financial services: centralities in the metropolis. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 26, Número Especial, p. 1245-1286, 2016.

CAVALCANTE, A.; CROCCO, M. A.; JAYME-JR, F. G. Preferência pela liquidez, sistema bancário e disponibilidade de crédito regional. Belo Horizonte: Cedeplar-UFMG, 2004. p. 22. (Textos para Discussão, n. 237).

CAVALCANTE, L. R. Classificações tecnológicas: uma sistematização. Nota Técnica IPEA, Brasília, DF, n. 17, p. 21, 2014.

CHRISTALLER, W. Central places in southern Germany. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1966.

CROCCO, M. A. Centralidade e hierarquia do sistema financeiro brasileiro. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, p. 31-79, 2012.

CROCCO, M. A. et al. Banks and regional development: an empirical analysis on the determinants of credit availability in brazilian regions. Regional Studies, Abingdon, v. 48, n. 5, p. 883-895, 2014.

CROCCO, M. A. et al. Metodologia de identificação de aglomerações produtivas locais. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 211-241, ago. 2006.

CROCCO, M.; SANTOS, F.; AMARAL, P. V. The spatial structure of financial development in Brazil. Spatial Economic Analysis, Abingdon, v. 5, n. 2, p. 181-203, 2010.

DOW, S. C. Money and regional development. Studies in Political Economy, v. 23, n. 23, p. 73-94, 1987.

DOW, S. C. Regional finance. International Encyclopedia of Geography, Hoboken, p. 1-9, 2017.

DOW, S. C.; RODRÍGUEZ-FUENTES, C. J. Regional finance: a survey. Regional Studies, Abingdon, v. 31, n. 31.9, p. 903-920, 1997.

DOW, S. C.; RODRÍGUEZ-FUENTES, C. J. The role of credit in regional divergence: Spanish regions and Eurozone countries. Brazilian Journal of Political Economy, São Paulo, v. 40, n. 4, p. 712-727, 2020.

DUTRA, L. D. et al. Desigualdade na oferta de crédito regional a pessoas jurídicas: uma análise em painel para o período 2000-2011. Economia e Sociedade, Campinas, v. 24, n. 3, p. 681-708, 2015.

GAMA, F.; BASTOS, S. Q. A. Impacto heterogêneo da incerteza sobre o desempenho econômico das microrregiões brasileiras: uma análise espacial a partir do modelo RGP. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 46., 2018, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: Anpec, 2018.

GEZICI, F.; WALSH, B. Y.; KACAR, S. M. Regional and structural analysis of the manufacturing industry in Turkey. Annals of Regional Science, New York, v. 59, n. 1, p. 209-230, 2017.

GOLGHER, A. B. Introdução à Econometria Espacial. Jundiaí: Paco Editorial, 2015. p. 384. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. População residente estimativas para o TCU. Disponível em:

www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-%0Aestimativas-depopulacao.html?=&t=downloads. Acesso em: 2 ago. 2019.

KAPOOR, M.; KELEJIAN, H. H.; PRUCHA, I. R. Panel data models with spatially correlated error components. Journal of Econometrics, Amsterdam, v. 140, n. 1, p. 97-130, 2007.

KAUR, P.; NAKAI, G. P.; KAUR, N. Spatial spillover of product innovation in the manufacturing sector: evidence from India. Journal of the Knowledge Economy, New York, v. 13, n. 1, p. 447-473, 2022.

KEYNES, J. M. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. Rio de Janeiro: Editora Nova Cultural, 1996. p. 328.

LI, Y. The spatial econometric analysis of China’s banking competition and its influential factors. Sustainability, Switzerland, v. 7, n. 12, p. 16771-16782, 2015.

LOONIS, V.; BELLEFON, M.-P. Handbook of spatial analysis: theory and application with R. Paris: Eurostat, INSEE, 2018. p. 394.

MATOS FILHO, J. C.; TELES, V. K. Crédito e desemprego no Brasil: 2002 a 2015. Rio de Janeiro: FGV, nov. 2018. v. 1. (Working Paper, n. 495).

MINSKY, H. P. Estabilizando uma economia instável. Osasco: Novo Século Editora, 2009.

MINSKY, H. P. The financial instability hypothesis. New York: Levy Economics Institute of Bard College, 1992. p. 9. (Working Paper, n. 74).

MORAIS, R.; DE NEGRI, J. A.; MATTOS, L. Impacto das ações do BNDES sobre emprego e produtividade da economia. In: DE NEGRI, J. A.; ARAÚJO, B. C.; BACELETTE, R. (Ed.). Financiar o futuro: o papel do BNDES. Brasília, DF: Ipea, 2022. p. 176.

MORCEIRO, P. C.; GUILHOTO, J. J. M. Desindustrialização setorial e estagnação de longo prazo de manufatura brasileira. São Paulo: Department of Economics – FEA/SUP, 2019. (Working Paper Series, n. 2019-01).

MULLER, K. Credit markets around the world, 1910-2014. 2018. Pré-print.

MYRDAL, G. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. Rio de Janeiro: Instituto Superior de Estudos Brasileiros, 1960. p. 208.

NASSIF, A. Há evidências de desindustrialização no Brasil? Brazilian Journal of Political Economy, São Paulo, v. 28, n. 1(109), p. 72-96, 2008.

OLIVEIRA, G. R.; ARRIEL, M. F.; RODRIGUES, A. F. Concentrações espaciais do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO): o caso de Goiás. Revista de Economia do Centro-Oeste, Goiânia, v. 1, n. 2, p. 2-18, 2015.

OREIRO, J. L. A grande recessão brasileira: diagnóstico e uma agenda de política econômica. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 75-88, abr. 2017.

OREIRO, J. L.; PAULA, L. F. Macroeconomia da estagnação brasileira. Rio de Janeiro: Alta Books, 2021. p. 192.

PAULA, L. F. D. Financiamento, crescimento econômico e funcionalidade do sistema financeiro: uma abordagem pós-keynesiana. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 363-396, 2013.

PAULA, L. F. Sistema financeiro, bancos e financiamento da economia: uma abordagem Keynesiana. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

PAULA, L. F.; ALVES JÚNIOR, A. J. Comportamento dos bancos e ciclo de crédito no Brasil em 2003-2016: uma análise pós-Keynesiana da preferência pela liquidez. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. 1-32, 2020.

PAULA, L. F.; PIRES, M. Crise e perspectivas para a economia Brasileira. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 125-144, 2017.

PAULA, T. H. P.; CROCCO, M. A. Financiamento e diversidade Produtiva: um Modelo baseado em Agentes com Flutuações Cíclicas Emergentes. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 5-38, 2013.

PAULA, T. H. P.; CROCCO, M. A. Instabilidade financeira no espaço: uma abordagem monetária da dinâmica econômica regional monetária da dinâmica econômica regional. Economia e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 52, p. 793-817, 2014.

PEREIRA, G. A.; SILVA, E. C. D. Socioeconomic development of Brazilian municipalities: the role of public and private banks. Estudios Económicos, [s. l.], v. 38, n. 77, p. 147-170, 2021.

PEREIRA, T. R.; MITERHOF, M. T. O Papel do BNDES e o financiamento do desenvolvimento: considerações sobre a antecipação dos empréstimos do Tesouro Nacional e a criação da TLP. Economia e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 3, p. 875-908, 2018.

PIACENTI, C. A.; LIMA, J. F. Análise regional: indicadores e metodologias. Curitiba: Editora Camões, 2012. p. 134.

PORTELA, C.; ARAUJO, J.; DE NEGRI, J. A. Análise do Crédito Direcionado com recursos do BNDES para pessoas jurídicas. In: DE NEGRI, J. A.; ARAÚJO, B. C.; BACELETTE, R. (Org.). Financiar o futuro: o papel do BNDES. Rio de Janeiro: Ipea, 2022.

RAIS. Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), Brasília, DF, 2022. Disponível em: https://bi.mte.gov.br/bgcaged/login.php. Acesso em: 28 ago. 2022.

RODRIGUES, D. A.; AFONSO, J. R.; PAIVA, S. M. Instituições financeiras de desenvolvimento: revisitando lições das experiências internacionais. Revista do BNDES, Brasília, DF, v. 48, p. 7-51, 2017.

RODRÍGUEZ-FUENTES, C. J. La banca y el crecimiento económico regional. Una panorámica de la literatura. Ekonomiaz, Logroño, v. 84, n. 3, p. 38-65, 2013.

ROMERO, J. P.; ÁVILA, J. L. T. Sistema financeiro e desenvolvimento regional: um estudo sobre o financiamento bancário da atividade industrial no Brasil. EconomiA, Brasília, DF, v. 11, n. 1, p. 217-263, 2010.

ROMERO, J. P.; JAYME, F. G. Financial system, innovation and regional development: the relationship between liquidity preference and innovation in Brazil. Review of Political Economy, Abingdon, v. 24, n. 4, p. 623-642, 2012.

SIDRA. Sidra: sistema IBGE de recuperação automática. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/. Acesso em: 21 set. 2022

SILVA, G. J. C.; JAYME-JR., F. G. Estratégia de localização bancária: teoria e evidência empírica aplicada ao estado de Minas Gerais. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3, p. 729-764, 2013.

SILVA, N.; SACCARO, A. Efeitos do Bndes Finame nas firmas brasileiras: uma análise de sobrevivência para os anos de 2002 a 2016. Estudos de Economia, São Paulo, v. 51, n. 1, p. 169-206, 2021.

SOUZA, E. C.; RIBEIRO, P. F.; MATTOS, E. S. Crédito do BNDES, dependência de finança externa, e intensidade de P&D nos setores da indústria brasileira (1998-2014). Estudos Econômicos, São Paulo, v. 50, n. 4, p. 611-645, 2020.

SUGIMOTO, T. N.; DIEGUES, A. C. A China e a desindustrialização brasileira: um olhar para além da especialização regressiva. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 32, n. 2, p. 477-504, 2022.

SUZIGAN, W. et al. Clusters ou sistemas locais de produção: mapeamento, tipologia e sugestões de políticas. Brazilian Journal of Political Economy, São Paulo, v. 24, n. 4, p. 548-570, 2004.

TONIN, J. R.; CURADO, M. L.; SILVA, V. C. E. O que impulsiona o desenvolvimento do setor bancário regional brasileiro? Uma visão pós-Keynesiana. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA (ANPEC), 46., 2018, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: Anpec, 2018.

WANG, C. et al. Industrial structure upgrading and the impact of the capital market from 1998 to 2015: A spatial econometric analysis in Chinese regions. Physica A: Statistical Mechanics and its Applications, Amsterdam, v. 513, p. 189-201, 2019.

WOOLDRIDGE, J. M. Econometric analysis of cross section and panel data. Cambridge: MIT Press, 2010.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Economia e Sociedade

Downloads

Não há dados estatísticos.