Banner Portal
Considerações Biográfico-intelectuais Sobre um Diálogo Vivo: Georg Lukács e Max Weber na Heidelberg do Início do Século XX
PDF

Palavras-chave

Weber
Max. Lukács
Georg. Círculo Max Weber de Heidelberg.

Como Citar

TEIXEIRA, Mariana Oliveira do Nascimento. Considerações Biográfico-intelectuais Sobre um Diálogo Vivo: Georg Lukács e Max Weber na Heidelberg do Início do Século XX. Ideias, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 98–119, 2010. DOI: 10.20396/ideias.v1i2.8649294. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8649294. Acesso em: 18 jun. 2024.

Resumo

Apesar de G. Lukács ser conhecido como um dos mais importantes representantes da teoria marxista, sua formação intelectual não se restringiu à obra de Marx, mas abrangeu um amplo leque de correntes teóricas (muitas das quais com sentido diverso das análises marxianas). Um momento decisivo nessa formação foi sua participação no círculo intelectual em torno de M. Weber, na cidade de Heidelberg, na década de 10 do século passado. Por meio da análise de alguns aspectos do debate intelectual entre Lukács e Weber, das aproximações e dos distanciamentos entre eles, buscamos explicitar o fato de que a influência que um pensador exerceu sobre o outro assumiu uma forma viva e dialógica.

https://doi.org/10.20396/ideias.v1i2.8649294
PDF

Referências

ARATO, Andrew; Breines, Paul. El joven Lukács y los orígenes de lo marxismo occidental. México D. F.: Fondo de Cultura Económica.1986.

CONGDON, Lee The Young Lukács. The University of North Carolina Press.

FEENBERG, Andrew [1986]. Lukács, Marx, and the sources of critical theory. New York/Oxford: Oxford University Press.1983

HABERMAS, Jürgen. “From Lukács to Adorno: Rationalization as Reification” in Theory of communicative action, vol. 1. Boston: Beacon Press.1984.

Honigsheim, Paul. “Memories of Max Weber”, in: On Max Weber. Tradução de Joan Rytina. New York: Free.1968.

KARÁDI, Éva [1987]. “Ernst Bloch and Georg Lukács in Max Weber’s Heidelberg”, in: Mommsen, W., Osterhammel, J. (eds.). Max Weber and his contemporaries. London: Unwin Hyman, pp. 499-514.

LÖWY, Michel. Pour une sociologie des intellectuels révolutionnaires. Paris: PUF.1976.

LÖWY, Michel. Romantismo e Messianismo. São Paulo: Perspectiva/ Edusp.1990.

LÖWY, Michel. [s/d]. “Figuras do marxismo weberiano”. Disponível em http://antivalor2.vilabol.uol.com.br/textos/outros/ lowy_01.html, acessado em 22/11/2009.

LUKÁCS, Georg. “Meu caminho para Marx”, in: Chasin, J. (org.), Marx Hoje, v.1. São Paulo: Ensaio, pp. 119-135.1988

LUKÁCS, Georg. História e Consciência de Classe. Tradução de R. Nascimento. São Paulo: Martins Fontes. 2003.

MÉSZÁROS, István. “Lukács, György [Georg]” in: BOTTOMORE, T. (ed.). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.1996.

MITZMAN, Arthur. La jaula de hierro – una interpretación histórica de Max Weber. Tradução de A. S. Pascual e M. D. C. Lobera. Madrid: Alianza Editorial. 1976.

NOBRE, Marcos. Lukács e os limites da reificação. São Paulo: Ed. 34.2001.

TARR, Zoltan. “A note on Weber and Lukács” in: International Journal of Politics, Culture and Society, vol. 3, n. 1, pp. 131-139.1989.

WEBER, Max. “Ciência como vocação”, in: Ciência e Política: duas vocações. Tradução de L. Hegenberg e O. S. Mota. São Paulo: Cultrix.1970.

A Idéias utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.