Liberdades políticas e necessidades econômicas em Amartya Sen

  • Gabriela D’Ávila Schüttz Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Palavras-chave: Amartya Sen. Liberdades políticas. Necessidades econômicas. Liberdades substantivas.

Resumo

Este trabalho versa sobre as relações entre liberdades políticas e necessidades econômicas a partir de uma reflexão sobre a perspectiva do desenvolvimento como liberdade de Amartya Sen. O valor fundamental das liberdades substantivas para a satisfação das necessidades econômicas representa um aspecto crucial do pensamento seniano. Sen enfatiza a importância do papel constitutivo e instrumental das liberdades substantivas para o tratamento do problema das necessidades humanas, mas também para a discussão sobre o problema da conceituação das necessidades econômicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela D’Ávila Schüttz, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Graduação em Ciências Sociais-Licenciatura Plena pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos em 2005 (CNPq). Mestrado em Economia Social pela Universidad Nacional de Gral. Sarmiento, Argentina em 2009 (Fundação Ford). Mestrado em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos em 2011(CAPES- Prosup). Professora concursada da rede estadual do Estado do Rio Grande do Sul. Professora da Faculdade Decision de Negócio. Possui artigos e trabalhos publicados e apresentados em congressos nacionais e internacionais sobre Economia Social (economia solidária), Sociologia (movimentos sociais e democracia) e Filosofia (ética e economia).

Referências

ANDERSON, E. “Sen, ethics and democracy”. Feminist Economics, v. 9, n. 2-3, pp. 239-261. 2003.

ARROW, K. J.; SEN, A. K. e SUZUMURA, K. (eds.). Handbook of Social Choice and Welfare. Amsterdam: Elsevier-NorthHolland, 2002.

BARRO, R. J. “Government spending in a simple model of endogenous growth”. Journal of Political Economy, 98, pp. 103-125. 1990.

BARRO, R. J. Getting in right: Markets and choise in a free society. Cambridge: MIT Press, 1996.

BÉNICOURT, E. “Amartya Sen: Un bilan critique”. Cahiers d’economie politique, n. 52, pp. 57-81. 2007.

CLARK, D. “The capability approach: Its development, critiques and recent advances”. Global Poverty Research Group. University of Manchester, UK, 2007.

CROCKER, D. “Qualidade de vida e desenvolvimento: O enfoque normativo de Sen e Nussbaum”. Lua Nova, São Paulo, n. 31, dez., pp. 99-134. 1993.

DRÉZE, J. e SEN, A. Hunger and public action. Oxford: Clarendon Press, 1989

GERSOVITZ, M. et al. The theory and experience of economic development. London: George Allen and Unwin, 1987.

HELLIWELL, J. “Empirical linkages between democracy and economic growth”. Working Paper 4066, National Bureau of Economic Research, 1994.

KOLACINSKI, D. “Droits de l‘homme et Justice Sociale. Une mise en perspective des apports de John Rawls et d’Amartya Sen”. Cahier n. 01.09.24, sep. Université de Montpellier I, 2001.

MARIC, M. “Égalité et équité: l’enjeu de la liberté Amartya Sen face à John Rawls et à l’économie normative”. Revue française d’économie, v. 11 n. 3, pp. 95-125. 1996.

NUSSBAUM, M. “Nature, Functioning and Capability: Aristotle on Political Distribution”. Oxford Studies in Ancient Philosophy, suppl. v. 6, pp. 145-184. 1988.

NUSSBAUM, M. “Human functioning and social justice. In defense of Aristotelian essentialism”. Political Theory, 20(2), pp. 202-246. 1992.

O’DONNELL, G. Modernization and bureaucratic authoritarianism. Berkeley: University of California Press, 1973.

OLIVEIRA, M. e REIS, C. “Conceitos e premissas sobre pobreza: Um contraponto às argumentações de Amartya Sen”. In: III Jornada Internacional de Políticas Públicas: Questão social e desenvolvimento no século XXI. São Luís, MA, 28 a 30 de ago, 2007.

PREVOST, B. “Sen, la démocratie et le marché. Portée et limites d’une critique”. Revue Tiers Monde, n. 198, avril-juin, pp. 269-284. 2009.

PRZEWORSKI, A. et al. Sustainable democracy. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

PRZEWORSKI, A. e LIMONGE, F. “Regimes políticos e crescimento econômico”. Novos Estudos CEBRAP, n. 37, nov., pp. 174-189. 1997.

RAO, V. “Democracy and economic development”. Studies in Comparative International Development, 24, pp. 67-81. 1984.

RAWLS, J. O liberalismo político. Tradução: Dinah de Abreu Azevedo, 2a ed. São Paulo: Ática, 2000.

RAWLS, J. Uma teoria da justiça. Tradução: Almiro Pisetta e Lenita Maria Rímoli Esteves. 2a ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SEN, A. “Equality of what?”. The Tanner Lecture on Human, 1979 Values, v. I. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 197- 220. 1980.

SEN, A. Poverty and famines: An essay on entitlement and deprivation. Oxford: Clarendon Press, 1981.

SEN, A. “Well-being, agency and freedom: The Dewey Lectures”. The Journal of Philosophy, v. 82, n. 4, Apr., pp. 169- 221. 1985.

SEN, A. “O desenvolvimento como expansão de capacidades”. Lua Nova, São Paulo, n. 28-29, abril, pp. 313-334. 1993.

SEN, A. “Demography and welfare economics”, Empirica, 22, pp. 1-21. 1995.

SEN, A. “Democracy as a universal value”. Journal of Democracy, 10.3, pp. 3-17. 1999.

SEN, A. Desigualdade Reexaminada. Tradução: Ricardo Doninelli Mendes. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SEN, A. “Democracy and Its Global Roots: Why Democratization Is Not the Same as Westernization”. The New Republic, 6 October, pp. 28-35. 2003.

SEN, A. La démocratie des autres. Pourquoi la liberté n’est pas une invention de l’Occident. Paris: Payot & Rivages, 2006.

SEN, A. Sobre Ética e Economia. Tradução: Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

SEN, A. Desenvolvimento como Liberdade. Tradução: Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SEN, A. A ideia de Justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

Publicado
2012-12-13
Como Citar
Schüttz, G. D. (2012). Liberdades políticas e necessidades econômicas em Amartya Sen. Ideias, 3(1), 210-241. https://doi.org/10.20396/ideias.v3i1.8649370