O Debate Fromm-Marcuse (1955-1956)

  • Matheus Romanetto Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Psicanálise, Teoria crítica, Humanismo radical, Teoria da libido, Erich Fromm, Herbert Marcuse

Resumo

Algumas das mais relevantes tentativas de atualização da concepção marxista da subjetividade deram-se na forma de sínteses ou diálogos entre a obra de Marx e a psicanálise. Desde os esforços de Otto Fenichel e Siegfried Bernfeld, passando pelos primeiros escritos de Wilhelm Reich, por Max Horkheimer e Theodor
Adorno, e chegando a nomes contemporâneos como os de Gayle Rubin e Slavoj Žižek, temos hoje já toda uma tradição de autores que – marxistas ou fortemente relacionados a essa corrente de pensamento – admitiram que a compreensão do inconsciente seria um passo fundamental para a continuação da crítica materialista inaugurada por Marx.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Romanetto, Universidade de São Paulo

Mestrando em Sociologia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

         

Referências

MARCUSE, H. The social implications of Freudian ‘revisionism’. Dissent: a quarterly of socialist opinion, v. 2, n. 3, 1955, pp. 221-240.

MARCUSE, H. Epilogue: critique of Neo-Freudian revisionism. in: Eros and civilization: a philosophical inquiry into Freud. Boston: Beacon Press, 1974. [Edição brasileira: Eros e civilização: uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. Rio de Janeiro: LTC, 1999.].

FROMM, E. The human implications of instinctivistic ‘radicalism’: a reply to Herbert Marcuse. Dissent: a quarterly of socialist opinion, v. 2, n. 4, 1955, pp. 342-349.

MARCUSE, H. A reply to Erich Fromm. Dissent: a quarterly of socialist opinion, v. 3, n. 1, 1956, pp. 79-81.

FROMM, E. A counter-rebuttal. Dissent: a quarterly of socialist opinion, v. 3, n. 1, 1956, pp. 81-83.

BEAGLEHOLE, E. Interpersonal theory and social psychology. in: Patrick Mullahy (ed.), A study in interpersonal relations. New York: Hermitage Press, 1950.

BREUER, J; FREUD, S. Studies in hysteria. New York: Nervous and Mental Disease Monograph no. 61, 1936 [1895]. [Edição brasileira: Estudos sobre histeria. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. Edição alemã: Studien über Hysterie. in: Gesammelte Werke, Band I. London: Imago Publishing, 1952.].

FREUD, S. The most prevalent form of degradation in erotic life. in: Collected papers, vol. IV. London: Hogarth Press, 1950 [1912]. [Edição brasileira: Sobre a mais comum depreciação na vida amorosa (contribuições à vida amorosa II). in: Obras completas, volume 9. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.].

FREUD, S. A general introduction to psyschoanalysis. New York: Garden City Publishing Co., 1943 [1916-17]. [Edição brasileira: Conferências introdutórias à psicanálise. in: Obras completas, volume 13. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.].

FREUD, S. The loss of reality in neurosis and psychosis. in: Collected papers, vol. II. London: Hogarth Press, 1950 [1924]. [Edição brasileira: A perda da realidade na neurose e na psicose. in: Obras completas, volume 16. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. Edição alemã: Der Realitätsverlust bei Neurose und Psychose. in: Gesammelte Werke, Band XIII. London: Imago Publishing, 1940.].

FREUD, S. Civilization and its discontents. London: Hogarth Press, 1949 [1929-30]. [Edição brasileira: O mal-estar na civilização. in: Obras completas, volume 18. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. Edição alemã: Das Unbehagen in der Kultur, in: Gesammelte Werke, Band XIV. Londres: Imago Publishing, 1955, p. 442.

FREUD, S. New introductory lectures. New York: W. W. Norton, 1933. [Edição brasileira: Novas conferências introdutórias à psicanálise. in: Obras completas, volume 18. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.].

FROMM, E. Über Methode und Aufgabe einer analytischen Sozialpsychologie. Zeitschrift für Sozialforschung, v. I, 1932. [Edição brasileira: Método e função de uma psicologia social analítica. in: A crise da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.].

FREUD, S. Das sozialpsychologische Bedeutung der Mutterrechtstheorie. Zeitschrift für Sozialforschung, v. III, 1934. [Edição brasileira: A teoria do direito materno e sua relevância para a psicologia social. in: A crise da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.].

FREUD, S. Die gesellschaftliche Bedingtheit der psychoanalytischen Therapie. Zeitschrift für Sozialforschung, v. IV, 1935.

FREUD, S. Escape from freedom, New York: Rinehart and Co., 1941, pp. 74ss. [Edição brasileira: O medo à liberdade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.].

FREUD, S. Man for himself. New York: Rinehart and Co., 1947. [Edição brasileira: Análise do homem. Rio de Janeiro: Zahar Editores.].

FREUD, S. Psychoanalysis and religion, New Haven: Yale University Press 1950. [Edição brasileira: Psicanálise e religião. Rio de Janeiro: Livro Íbero-Americano Ltda, 1959.].

FREUD, S. The forgotten language. New York: Rinehart, 1951. [Edição brasiileira: A linguagem esquecida. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1969.].

FREUD, S. The sane society. New York: Rinehart and Co., 1955. [Edição brasileira: Psicanálise da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1974.].

GLOVER, E. Freud or Jung. New York: W. W. Norton, 1950.

HORNEY, K. The neurotic personality of our time. New York: W. W. Norton and Co., 1937. [Edição brasileira: A personalidade neurótica de nosso tempo. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1959.].

HORNEY, K. New ways in psychoanalysis. New York: W. W. Norton, 1939 [Edição brasileira: Novos rumos na psicanálise. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1966.].

HUXLEY, A. Brave new world. London: The Vanguard Library, 1952 [1932]. [Edição brasileira: Admirável mundo novo. São Paulo: Globo, 2014.].

LYND, H. Resenha de “Concepts of Modern Psychiatry”, de H. S. Sullivan. The Nation, 15 de janeiro de 1949.

MULLAHY, P. Introduction. A study of interpersonal relations. New York: Hermitage Press, 1950 [1949].

REICH, W. Einbruch der Sexualmoral: zur Geschichte der sexuellen Ökonomie. Kopenhagen: Verlag für Sexualpolitik, 1935 [1931]. [Edição portuguesa: A irrupção da moral sexual repressiva. Porto: Escorpião, 1974.].

SULLIVAN, H. Conceptions of modern psychiatry. Washington: William Alanson White Psychiatric Foundation, 1947.

SULLIVAN, H. The interpersonal theory of psychiatry. New York: W. W. Norton and Co., 1953.

THOMPSON, C. Psychoanalysis: evolution and development. New York: Hermitage House, Inc., 1951 [1950]. [Edição brasileira: Evolução da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1969.].

FREUD, S. A moral sexual ‘cultural’ e o nervosismo moderno. In: Obras completas, volume 8. São Paulo: Companhia das Letras, 2015 [1908]. [Edição alemã: Die “kulturelle” Sexualmoral und die moderne Nervosität. in: Gesammelte Werke, Band VII. London: Imago Publishing, 1966.].

FROMM, E. Marx’s concept of man. New York: Bloomsbury, 2013 [1961]. [Edição brasileira: Conceito marxista de homem. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.].

FREUD, S. The revolutionary character. in: The dogma of christ: and other essays on religion, psychology and culture. New York: Holt, Reinhart and Winston, 1992 [1963]. [Edição brasileira: O caráter revolucionário. in: O dogma de cristo. Rio de Janeiro: Zahar Editors, 1965.].

FREUD, S. The revolution of hope: toward a humanized technology. New York: Bantam Books, 1968. [Edição brasileira: A revolução da esperança. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1984.].

FREUD, S. The crisis of psychoanalysis. in: The crisis of psychoanalysis: essays on Freud, Marx, and social psychology. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1970. [Edição brasileira: A crise da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

FREUD, S. The anatomy of human destructiveness. New York: Henry Holt and Co., 1992 [1973]. [Edição brasileira: A anatomia da destrutividade humana. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.].

FREUD, S. The alleged radicalism of Herbert Marcuse. in: The revision of psychoanalysis. Boulder: Westview Press, 1990. [Edição brasileira: O suposto radicalismo de Herbert Marcuse. in: A descoberta do inconsciente social: contribuição ao redirecionamento da psicanálise. São Paulo: Editora Manole Ltda., 1992.].

JONES, E. The life and work of Sigmund Freud. New York: Basic Books, 1981 [1953-7]. [Edição brasileira: A vida e a obra de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1989. 3 volumes.].

MARX, K. Zur Kritik der politischen Ökonomie. in: MEGA, Abteilung II, Band 2. Berlin: Dietz Verlag, 1980 [1859]. [Edição brasileira: Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.].

MARCUSE, H. Theory and therapy in Freud. in: Collected papers, vol. 5. New York: Routledge, 2011 [1957]. [Edição brasileira: Teoria e terapia em Freud. Educação e filosofia, v. 32, n. 64.].

MARCUSE, H. The obsolescence of psychoanalysis. in: Collected papers, vol. 5. New York: Routledge, 2011 [1963] [Edição brasileira: A obsolescência da psicanálise. in: Cultura e sociedade, vol. 2. São Paulo: Paz e Terra, 1989.].

MARCUSE, H. One-dimensional man. Routledge, 2006 [1964]. [Edição brasileira: O homem unidimensional. São Paulo: Edipro, 2015.].

MENNINGER, K. Man against himself. New York: Harcourt, Brace & World, Inc., 1938. [Edição brasileira: Eros e Tanatos: o homem contra si próprio. São Paulo: Ibrasa, 1970.].

NICOLE, J. E. Resenha de “Freud or Jung?”, de Edward Glover. Journal of mental science, v. 97, n. 406, 1951, p. 220.

PEALE, N. The power of positive thinking. New York: Simon and Schuster, 2005 [1952]. [Edição brasileira: O poder do pensamento positivo. São Paulo: Cultrix, 2016.].

ADORNO, T. A psicanálise revisada. in: Ensaios de psicologia social e psicanálise. São Paulo: Editora Unesp, 2015. [Edição alemã: Das revidierte Psychoanalyse. Gesammelte Schriften, Band 8.1. Frankfurt: Surkhamp Verlag, 2003.].

ADORNO, T. Social science and sociological tendencies in psychoanalysis. in: W. Bock. Dialektische Psychologie: Adornos Rezeption der Pscyhoanalyse. Berlin: Springer, 2018.

BURSTON, D. Oedipus, instinct, and the unconscious in the Fromm-Marcuse debate. in: The legacy of Erich Fromm. London: Harvard Universtiy Press, 1991.

BUZBY, Amy. New foundations for resistance: the Marcuse-Fromm debate revisited. in: Subterranean politics and Freud’s legacy. New York: Palgrave Macmillan.

DUNCAN, C. Love and its refusal: love, historical memory, and the meaning of perversion in the Fromm-Marcuse feud. Tese de mestrado, Austin, University of Texas, 2013.

JACOBY, R. Social amnesia: a critique of contemporary psychology from Adler to Laing. New York: Transaction Publishers, 1997 [Edição brasileira: Amnésia social: uma crítica da psicologia conformista, de Adler a Laing. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.].

KELLNER, D.; PIERCE, C.; LEWIS, T. Introduction: Hebert Marcuse, philosphy, psychoanalysis, and emancipation. in: Herbert Marcuse. Collected papers, vol. 5. New York: Routledge, 2011. Veja-se também o comentário dos editores na página 101.

McLAUGHLIN, N. The Fromm-Marcuse debate and the future of critical theory. in: The Palgrave handbook of critical theory. New York: Palgrave Macmillan, 2017.

RICKERT, J. The Fromm-Marcuse debate revisited. Theory and society, v. 15, n. 3, 1986, pp. 351-400.

Publicado
2019-11-22
Como Citar
Romanetto, M. (2019). O Debate Fromm-Marcuse (1955-1956). Idéias, 10, e019012. https://doi.org/10.20396/ideias.v10i0.8656494
Seção
Tradução