Política habitacional brasileira, proliferação de assentamentos informais, recursos hídricos e sustentabilidade urbana na cidade do Rio de Janeiro

  • Luiz Fernando Flores Cerqueira Instituto Nacional do Câncer
  • Luciene Pimentel da Silva Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Política habitacional. Meio ambiente urbano. Assentamentos informais. Sustentabilidade urbana. Habitação popular.

Resumo

O crescimento sem planejamento das cidades vem acompanhado do crescimento dos assentamentos informais, as chamadas favelas. As favelas são aglomerados de moradias predominantemente insalubres, construídas em terrenos ocupados ilegalmente. Essa ocupação dá origem a uma série de impactos no meio ambiente, afetando diretamente a sustentabilidade do meio urbano. O presente trabalho traz a análise da legislação que incide sobre o uso e ocupação do solo, bem como da política habitacional brasileira, promovendo a discussão acerca da relação entre esta, a favelização das cidades e o meio ambiente. Como objeto de estudo e recorte para tratamento da questão tomou-se a cidade do Rio de Janeiro. Os resultados de tal discussão apontam como se desencadeiam os impactos ambientais no meio urbano. Entretanto acredita-se que guardando as devidas especificidades da situação do Rio de Janeiro, os resultados deste trabalho possam ser aplicados em outras grandes cidades brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Flores Cerqueira, Instituto Nacional do Câncer
Doutor em Meio Ambiente (UERJ), Mestre em Engenharia Ambiental (UERJ), Arquiteto Urbanista (UFF). Pesquisador do Grupo de Estudos de Hidrologia e Planejamento de Recursos Hídricos (GRHIP/UERJ). Analista em Ciência e Tecnologia do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Rio de Janeiro [RJ], Brasil.
Luciene Pimentel da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Professora Associada da FEN/UERJ, Ph. D. em Hidrologia (Universidade de Newcastle upon Tyne, UK), Coordenadora do Grupo de Estudos de Hidrologia e Planejamento de Recursos Hídricos da UERJ e do Projeto HIDROCIDADES da Rede de Pesquisa BRUM/FINEP. Rio de Janeiro [RJ], Brasil.

Referências

ABREU, Maurício de Almeida. Evolução Urbana do Rio de Janeiro. 3ª Edição. Rio de Janeiro: SMU/IPLANRIO, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1997.

ANDRADE, L.M.S.; ROMERO, Marta, A.B. The Principles of Enviromental Substainability Applicable to Urban Design Settlements: Condominium Located in the Federal Disctrict of Brazil and Inside Paranoa Enviromental Protection Area. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON ENVIRONMENTAL PLANNING AND MANAGEMENT, 2, 2007, Berlim. Anais… Berlim: Librix.eu, 2007. p. 35-38.

BIENENSTEIN, Regina. Redesenho Urbanístico e Participação Social em Processos de Regularização Fundiária. 2001. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). FAU-USP, São Paulo, 2001.

BONDUKI, Nabil. Origens da Habitação Social no Brasil: arquitetura moderna, lei do inquilinato e difusão da casa própria. 4º ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2004, 344 p.

BORDENAVE, J.E.D. O que é participação? 8ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 41-85.

BRAGA, Benedito et al. Introdução à Engenharia Ambiental. São Paulo: Prentice Hall, 2002. 305p.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 13.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. 351p. (Coleção Legislação Brasileira, 5).

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Habitação. Centro de Estudos da Metrópole. Assentamentos Precários no Brasil Urbano. 1. ed. Brasília, 2007, p. 185-208.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Habitação. Guia de Adesão – Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social – SNHIS. 1. ed. Brasília, 2008a. p. 05-07.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Habitação. Contribuições dos Seminários Regionais – Plano Nacional de Habitação. 1. ed. Brasília, 2008b. p. 05-07.

CARDOSO, A.L., Anais do Seminário de Avaliação de projetos IPT em habitação e meio ambiente: assentamento urbano precário. São Paulo: 2002. (Coleção Habitare).

CARVALHO, P.G.M. de et al. Gestão local e meio ambiente. Ambiente & Sociedade, v.3, n.1, p.1-19, jan./jun., 2005.

CERQUEIRA, L.F.F. Morro Bela Vista: Uma Proposta de Regularização Urbanística que Articula Estado, Comunidade e Proprietários Fundiários. Monografia de Especialização em Sociologia Urbana. UERJ, Rio de Janeiro, 2005.

CERQUEIRA, L.F.F. Os Impactos dos Assentamentos Informais de Baixa Renda nos Recursos Hídricos e na Saúde Coletiva: O Caso da Bacia Hidrográfica da Baixada de Jacarepaguá. UERJ, Rio de Janeiro, 2006.

CERQUEIRA, L.F.F. Redesenho Urbanístico de Assentamentos Informais com Vistas à Conservação da Água e Sustentabilidade Ambiental, 2012. Tese (Doutorado em Meio Ambiente). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

CERQUEIRA, L.F.F.; PIMENTEL DA SILVA, L. Os Impactos dos Assentamentos Informais de Baixa Renda nos Recursos Hídricos: O Caso das Comunidades Peri-urbanas de Jacarepaguá-RJ. In: 24º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 24, 2007, Belo

Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Abes, 2007a. 8p.

CERQUEIRA, L.F.F.; PIMENTEL DA SILVA, L. Re-Desenho Urbanístico pela Gestão Integrada dos Recursos Hídricos e do Planejamento Urbano: o caso das comunidades peri-urbanas de Jacarepaguá-RJ, Brasil. In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HIDRICOS, 17, 2007b, São Paulo. Anais... São Paulo: Abrh, 2007b.

CERQUEIRA, L.F.F.; PIMENTEL DA SILVA, L.; MARQUES, M. “Environmental Impacts by Low-Income Settlements in Rio de Janeiro”. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON ENVIRONMENTAL PLANNING AND MANAGEMENT, 2, 2007, TU-Berlin, Berlim. Anais… Berlim: Librix.eu, 2007. 4p.

CERQUEIRA, L.F.F.; PIMENTEL DA SILVA, L.; KLEIMAN, Mauro. A Collaborative Proposal for Urban Redesign to the Informal Community of Vila Cascatinha in Rio de Janeiro, Brazil. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON URBAN DRAINAGE, 12, 2011, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ABRH, 2011.

DIAS, Genebaldo Freire. Pegada Ecológica e Sustentabilidade Humana: As Dimensões Humanas das Alterações Ambientais Globais – Um Estudo de Caso Brasileiro (como o metabolismo ecossistêmico urbano contribui para as alterações ambientais globais). São Paulo: Gaia, 2002. 257p.

DUARTE, C.R.; SILVA, O.L.; BRASILEIRO, A., (org.). Favela Um Bairro. Rio de Janeiro: Ed. Pró Editores, UFRJ, PMRJ, Habitat. 1996. 184p.

FERNANDES, Edésio. “Regularização da Ocupação do Solo Urbano: A Solução que é Parte do Problema. O Problema que é Parte da Solução”. In: ABRAMO, Pedro, (org.) Cidade da Informalidade – O desafio das cidades latino-americanas. Rio de Janeiro: Ed. Livraria Sette Letras, FAPERJ, 2003, p. 139-172.

HALL, M.J. Urban Hydrology. Belfast [Ireland]: Elsevier Ltd., 1984.

JACOBI, Pedro. “Impactos Sócioambientais Urbanos – do Risco à Busca de Sustentabilidade”. In: MENDONÇA, Francisco, (org.). Impactos Sócioambientais Urbanos. Curitiba: ed. UFPR, 2004, cap. 6, p. 169-184.

KAUFFMANN, M.O.; PIMENTEL DA SILVA, L.; KLEIMAN, M. Landscape Imperviousness Index: an Indicator of Water Conservation in Urban Areas. In: 2ND INTERNATIONAL CONGRESS ON ENVIRONMENTAL PLANNING AND MANAGEMENT, 2007, Berlin. Proceedings... Berlin: Librix.eu, v.S-20, p.183-186, 2007.

MARICATO, Ermínia. Habitação e Cidade. 7. ed. São Paulo: Ed. Atual, 1997. 79p.

MARICATO, Ermínia. Brasil, Cidades, Alternativas para a Crise Urbana. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2001.

MARICATO, Ermínia. Questão Fundiária Urbana no Brasil e o Ministério das Cidades. São Paulo: FAU-USP, 2005.

MARICATO, Ermínia. Metrópoles desgovernadas. Estudos Avançados (USP. Impresso), São Paulo, v.25, p.7-22, 2011a.

MARICATO, Ermínia. As tragédias urbanas: desconhecimento, ignorância ou cinismo? São Paulo: Minha Cidade, v. 11, p. 1-4, 2011b.

MONTIBELLER-FILHO, G. O mito do desenvolvimento sustentável: meio ambiente e custos sociais no moderno sistema produtor de mercadorias. Florianópolis: Editora da UFSC, 2001. p. 29-56.

NEFFA, Elza; RITTO, Antônio Carlos. ALMAS. Anais do VI Congresso Iberoamericano de Educação Ambiental. San Clemente de Tuyu/Argentina. San Clemente de Tuyu: 2009 (mimeo.).

PASTERNAK, Suzana. “O Brasil e suas Favelas”. In: ABRAMO, Pedro (org.). Cidade da Informalidade – O desafio das cidades latino-americanas. Rio de Janeiro: Ed. Livraria Sette Letras, FAPERJ, 2003, p. 13-42.

PIMENTEL DA SILVA, L. et al. HIDROCIDADES – Cities, Quality of Life and Water Resources: Integrated Water Resources Management and Urban Planning for Low-Land Region of Jacarepaguá, Rio de Janeiro, Brazil. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON URBAN DRAINAGE, 11, 2008, Edinburgh. Anais... Edinburgh: ABRH, 2008.

PIMENTEL DA SILVA, Luciene; ROSA, U.E.; SILVA, C.P.P. Caracterização de Parâmetros Físicos e do Saneamento Ambiental de Bacia Experimental – Representativa Localizada na Baixada de Jacarepaguá – Rio de Janeiro – Brasil. Ambi-Água, Taubaté, v.5, n. 3, p. 232-244, 2010.

PIMENTEL DA SILVA, L.; MARQUES, M. New Opportunities and Challenges on the Low Impact Urban Design and Development (in Portuguese). Revista do CREA-RJ, Rio de Janeiro, n.83, p.38-41, 2010.

RESENDE, Vera. “Política Urbana ou Política Ambiental, da Constituição de 88 ao Estatuto da Cidade”. In: RIBEIRO, L.C.Q.; CARDOSO, A.L. (org.). Reforma Urbana e Gestão Democrática, Promessas e desafios do Estatuto da Cidade. Rio de Janeiro: Ed. Revan, 2003, cap. 9, p. 139-152.

ROLNIK, R.; KLINK, J.J. Crescimento Econômico e Desenvolvimento Urbano: por que nossas cidades continuam tão precarias? Novos Estudos CEBRAP (Impresso), São Paulo, v. 89, p. 89-109, 2011.

ROLNIK, R.; CYMBALISTA, R.; NAKANO, A.K. Solo urbano e habitação de interesse social: a questão fundiária na política habitacional e urbana do país. Revista de Direito da ADVOCEF, São Paulo, v.1, p.123-158, 2011.

SCARLATO, F.C.; PONTIN, J.A. O Ambiente Urbano. 3 ed. São Paulo: Saraiva, 1999. 79p. (Série Meio Ambiente).

SMOLKA, Martim. “Regularização da Ocupação do Solo Urbano: A Solução que é Parte do Problema. O Problema que é Parte da Solução”. In: ABRAMO, Pedro, (org.). Cidade da Informalidade – O desafio das cidades latino-americanas. Rio de Janeiro: Ed. Livraria Sette Letras, FAPERJ, 2003, p.119-138.

TRZCINSKI, Clarete; WERNER, Liane. Elementos Iimportantes na avaliação dos Planos Locais de Habitação de Interesse Social. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v.9, p.236-261, 2013.

UN-HABITAT (United Nations Human Settlements Program). Cities for All: Bridging the Urban Divide: 2010/2011. Nairobi, 2010.

VALENTE, M.L.G.; GUTIERREZ, L.A.C.L. “Esgotamento Sanitário em Assentamentos Habitacionais na Região Metropolitana de Belém”. In: PEREIRA, J. A. R., (org.). Saneamento Ambiental em Áreas Urbanas. Belém: EDUFPA, 2003, cap. 8, p.169-179.

VINHA, V. da. Regulação e Auto-Regulação no Contexto do Desenvolvimento Sustentável e da Responsabilidade Social Empresarial: o caso do setor de petróleo & gás. In: SEMINÁRIO DE ECONOMIA DO MEIO AMBIENTE: REGULAÇÃO ESTATAL E AUTO-REGULAÇÃO EMPRESARIAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, 3, UNICAMP, 2003. Anais... Campinas: Unicamp, 2003.

Publicado
2013-04-01
Como Citar
Cerqueira, L. F. F., & Silva, L. P. da. (2013). Política habitacional brasileira, proliferação de assentamentos informais, recursos hídricos e sustentabilidade urbana na cidade do Rio de Janeiro. Labor E Engenho, 7(2), 26-44. https://doi.org/10.20396/lobore.v7i2.173
Seção
Artigos