Torres Vedras, um exemplo da organização e da estruturação do espaço urbano medieval português

  • Carlos Guardado da Silva Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Torres Vedras (Portugal). História urbana. Urbanismo romano. Urbanismo medieval. Organização do espaço urbano medieval.

Resumo

Este é um estudo de caso desenvolvido em três momentos, de história urbana e de urbanismo medieval, aplicado à cidade de Torres Vedras, no qual o autor procurar identificar a sua matriz, assim como os principais elementos que condicionaram a organização e a estruturação do espaço urbano. Parte das origens do povoamento do sítio de Torres Vedras, independentemente da origem do nome, identifica a matriz romana na estruturação do espaço urbano, e termina com a organização do espaço da vila torriense no período medievo, sobretudo em torno dos principais edifícios do poder — a casa da Câmara ou o paço do Concelho, o paço régio, as quatro igrejas matrizes (Santa Maria, São Pedro, São Tiago e São Miguel), um convento, o castelo e a muralha com as suas portas — incluindo uma referência à judiaria. Neste estudo, de natureza empírica, o autor recorre, sobretudo, à pesquisa documental e à observação direta para analisar os dados recolhidos e interpretar a evolução urbana de Torres Vedras, para concluir, na senda de Isabel de Luna e Guilherme Cardoso, assim como de André Baptista, acerca da matriz urbana fundacional romana de Torres Vedras, condicionada, no período medievo, pela presença dos edifícios do poder que, a par das ruas, faziam a cidade, e contribuíam para definir a organização e a estruturação do espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Guardado da Silva, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Professor auxiliar c/ agregação em Ciência da Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Doutor em História Medieval. Lisboa [Lisboa] Portugal.

Referências

ANTT (1859) Gavetas. III-6-3, XIII-9-27, XIII-9-29, transcritos por Figaniere, F. F. Memórias das Rainhas de Portugal. Lisboa : Typographia Universal, 252-255; Sousa, J. M. Cordeiro de - Fontes Medievais de História Torreana. Torres Vedras : Câmara Municipal, 1958. N.º I, III, IV, 5-8.

Baptista, A. J. D. (2013) O lugar como simbiose : centro histórico de Torres Vedras. (Dissertação de Mestrado) Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Escola de Comunicação, Arquitectura,

Artes e Tecnologias da Informação, Lisboa, Portugal.

Luna, I., & Cardoso, G. (2013). «a urbe de Torres Vedras e a sua cerca medieval». In: I.C.F. Fernandes (coord.). Fortificações e território na Península Ibérica e no Magreb: séculos VI a XVI. Lisboa : Edições Colibri

; Mértola : Campo Arqueológico.

Silva, C. G. da (2012). Santa Maria e São Miguel» ; São Pedro e São Tiago». In: J.M. Tavares, J.A. Madruga, & C.G. da Silva. Medição do tempo em Torres Vedras. Torres Vedras : Câmara Municipal, 126 e 128-129.

Picard, C. (2000). Le Portugal musulman : VIIIe – XIIIe : l’Occident d’al-Andalus sous domination islamique. Paris : Maisonneuve & Larose, 150.

Publicado
2018-06-29
Como Citar
Silva, C. G. da. (2018). Torres Vedras, um exemplo da organização e da estruturação do espaço urbano medieval português. Labor E Engenho, 12(2), 253-262. https://doi.org/10.20396/labore.v12i2.8652777
Seção
Artigos