Análise crítica da gestão do saneamento no estado do Mato Grosso, Brasil

Palavras-chave: Indicadores saneamento. Indicadores saúde. Qualidade de vida.

Resumo

Este estudo mostra uma ampla análise do impacto causado por modelos de gestão do saneamento no Estado de Mato Grosso a partir da mudança do modelo centralizado para descentralizado onde, cada município passou a gerir os seus próprios sistemas de abastecimento de água.  Os impactos da mudança foram analisados considerando as dimensões: gerencial, técnico-operacional, social, ambiental a partir da definição de   indicadores para avaliar a evolução do setor após 20 anos de vigência desse do novo modelo. A análise teve como base os dados do Projeto denominado – Plano de Saneamento de 106 municípios do Estado de Mato Grosso (PMSB- MT) que envolveu a participação de três entes federados do País (União, Estado e Município) para elaborar dos planos municipais de saneamento de 106 municípios com população inferior ou igual a 50.000 habitantes, considerando as perspectivas de governança e sustentabilidade previstas na Lei nº 11.445/2007. A metodologia compreendeu uma abordagem quantitativa, que resultaram em um diagnóstico técnico das infraestruturas existentes e das condições operacionais e da capacidade gerencial dos municípios na prestação dos serviços. Os resultados são discutidos em relação aos indicadores para avaliar aos índices atendimento na cobertura dos serviços, tipo de captação, índice de hidrometração, perdas e inadimplência. O modelo descentralizado não obteve êxito dos municípios, uma vez que estes não foram capacitados e treinados para a prestação dos serviços gerando inumeros, problemas independentes ao tipo de prestação de serviço. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Rodrigues Turini, Universidade Federal do Mato Grosso

Graduação: Engenharia sanitária e ambiental - UFMT

Pós-graduação: Engenharia de segurança do trabalho - UFMT

Mestrado: Engenharia de Edificações, Energia e Ambiental - UFMT

Eliana Beatriz Nunes Rondon Lima, Universidade Federal do Mato Grosso

Pós Doutora. Docente Universidade Federal do Mato Grosso- Departamento de Engenharia sanitária e ambiental. Cuiabá- MT- Brasil

Gabriel Figueiredo de Moraes, Universidade Federal do Mato Grosso

Engenheiro Sanitarista e Ambiental. Mestrado em edificações engenharia, energia e ambiental – Universidade Federal do Mato Grosso. Cuiabá- MT- Brasil

Referências

Brasil (2007). Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Lei do Saneamento. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis n° 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei n° 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Recuperado de: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>. Acesso em: 27 out. 2011.

Brasil (2010a). Decreto nº 7.217, de 21 de junho de 2010. Regulamenta a Lei n° 11.445, de 5 de janeiro de 2007, que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico, e dá outras providências. Recuperado de: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ ato2007-2010/2010/Decreto/D7217.htm>. Acesso em: 27 out. 2011.

Pereira, T. S., & Timóteo, H. L. (2015). Planos municipais de saneamento básico: avaliação de 18 casos brasileiros* Environmental sanitation municipal plans: an assessment of 18 Brazilian cases. Eng Sanit Ambient, 20(3) jul/set pp. 395-404.

Lambert, A. O., & Hirner, W. H. (1999). Losses from Water Supply Systems: Standard Terminology and Recommended Performance Measures. IWA Blue Pages.

Lambert, A., & Thornton, J. (2002). Avaliação de Perdas Reais [Relatório de Consultoria à Sabesp]. São Paulo : Sabesp.

Lima, E. B. N. R., & Lima, G. A. R. (2014). Análise do Abastecimento de Água da Cidade de Cuiabá [Relatório Técnico, Requerente: Ministério Público do Estado de Mato Grosso/Núcleo de Defesa da Cidadania e do Consumidor de Cuiabá/6ª Promotoria Cível Dr. Ezequiel Borges de Campos — Promotor de Justiça Ofício n.0 434/2013/6ª PJ].

Philippi Jr., A., & Galvão Jr., A. de C. (1988). Gestão do Saneamento Básico: Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário. Barueri [SP]: Manole, 2012. Coleção Ambiental (vários autores).

Martins, G. (2001). Impacto do Saneamento Básico na Saúde Pública. Tese de doutorado, Faculdade de Saúde Pública,- Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Totsuka, N., Trifunovic, N., & Vairavamoorthy, K. (2004). Intermittent Urban Water Supply Under Water Starving Situations. Proceedings 30th WEDC International Conference, Vientiane, 2004.

Publicado
2019-11-09
Como Citar
Turini, L. R., Lima, E. B. N. R., & Moraes, G. F. de. (2019). Análise crítica da gestão do saneamento no estado do Mato Grosso, Brasil. Labor E Engenho, 13, e019015. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/labore/article/view/8652832
Seção
Artigos