Formação para municípios saudáveis: trajetória, experiência e desafios para a Rede Pernambucana de municípios saudáveis

  • Ronice Maria Pereira Franco de Sá Universidade Federal de Pernambuco https://orcid.org/0000-0003-4943-710X
  • Socorro Machado Freire Universidade Federal de Pernambuco
  • Rosane Senna Salles Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Promoção da saúde. Cidades saudáveis. Sustentabilidade. Formação. Declaração de Xangai.

Resumo

O artigo trata da trajetória da Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis (RPMS), sua experiência e desafios específicos para a formação temática que realiza desde 2004, tendo como pano de fundo a reemergência do ideário das cidades saudáveis no contexto mundial, após o Encontro dos Prefeitos acontecido em Xangai, em 2016. São descritos os cursos principais, público-alvo e conteúdo programático. Reflexões teórico-conceituais são realizadas sobre a caminhada da RPMS. Em um novo cenário, deve-se considerar a agenda 2030 e os objetivos do desenvolvimento sustentável, um dos quais trata sobre o tema de municípios, cidades e comunidades saudáveis (MCCS).  Apresenta-se o guia da Organização Panamericana de Saúde para a implementação da Declaração de Xangai e discute-se as possibilidades de adoção desse guia na nova formação proposta para a RPMS. Ressalta-se, ainda, os novos desafios que surgiram no âmbito da virtualização, da necessidade de mudar abordagem e conceito sobre promoção da saúde, da constatação do não-lugar e da mixofobia e aponta-se que esses temas emergentes precisam ser enfrentados na formação que a RPMS oferece.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronice Maria Pereira Franco de Sá, Universidade Federal de Pernambuco
Professora da Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFPE e Pesquisadora do NUSP/UFPE
Socorro Machado Freire, Universidade Federal de Pernambuco
Diretora do Núcleo de Saúde Pública da Universidade Federal de Pernambuco.
Rosane Senna Salles, Universidade Federal de Pernambuco
Pesquisadora do Núcleo de Saúde Pública da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

Abrasco (2010). A decade of Canadian and Brazilian Cooperation in Public Health. Knowledge exchange and learning to strengthen intersectoral health promotion. Recuperado de: http://www.abrasco.org.br/publicacoes/arquivos/20100707183931.pdfntercs.

Akerman, M., Mendes, R., & Fischer, A.L. (2014). Cidades Saudáveis: ainda um tema relevante? In C. B. Silveira, T. M. Fernandes. & B. Pellegrini (orgs.). Cidades Saudáveis? Alguns olhares sobre o tema (pp. 269-299). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Augé, M. (2005). Não lugares: introdução a uma antropologia da sobremodernidade. Lisboa: 90 Graus.

Corburn, J. (2017). Equitable and Healthy City Planning: Towards Healthy Urban Governance in the Century of the City. In E. De Leeuw & J. Simos (orgs.). Healthy Cities – The Theory, Policy, and Practice of Value-Based Urban Planning (pp. 31-41). New York: Springer.

De Leeuw, E. (2017). Cities and Health from the Neolithic to the Anthropocene. In E. De Leeuw & J. Simos (orgs.). Healthy Cities — The Theory, Policy, and Practice of Value-Based Urban Planning (pp.3-30). New York: Springer.

Doxiadis, C.A. (1970). Ekistics, the science of the human settlements. Science, 170 (3956), pp. 393-404.

Doxiadis (1977). Ecology and ekistics. Boulder: Westview Press.

Franco de Sá, R., Salles, R., Freire, S. & Schmaller, V. (2014). A Teoria Ator-Rede e a compreensão do processo de sustentabilidade das intervenções em Promoção da Saúde: contributos e lições aprendidas. In Z. Hartz, L. Potvin & R. Bodestain. (orgs). Avaliação em Promoção da Saúde (pp.201-211). Brasília: CONASS.

Franco de Sá, R., Freire, M. S. M., Yamamoto, S., & Senna Salles, R. P. (2008). Caderno de Formação de Promotores de Municípios Saudáveis. Recife: Editora Universitária UFPE.

Franco de Sá, R. (2018). Construindo cidades na perspectiva dos ODS: inclusão, segurança, resiliência e sustentabilidade. In 6ª Conferência Regional Latinoamericana de Promoção da Saúde e Educação em Saúde da UIPES/ORLA. Franca, SP, Brasil, 8-10 de outubro de 2018. Recuperado de: http://www.oxfordeventos.com.br/promocaodasaude2018/.

Franco de Sá, R., Araújo, J. A., Freire, M. S. M., Senna Salles, R., Chuma, J., Royama, H., Yuasa, M., Yamamoto, S., Menezes Filho, A., Nishida, M., Trindade, C. M. A., & Oliveira, A. A. (2007). Manual do Método Bambu — construindo municípios saudáveis. Recife: Ed. Universitária UFPE.

Franco de Sá, R., Viana, V., Nishida, M., & Yuasa, M. (2006). UFPE/NUSP/Recife: municípios saudáveis no Nordeste do Brasil. In M. Akerman & R. Mendes (orgs.). Avaliação Participativa de Municípios, Comunidades e Ambientes Saudáveis: a trajetória brasileira – memória, reflexões e experiências. São Paulo: Mídia Alternativa.

Franco de Sá, R., Freire, S., Senna Salles, R. (2010). Barra de Guabiraba/PE. In H. Monteiro, J. Chauvin, A.I. Carvalho, C.S. Silva & A.H. Matida (orgs.). Ações Intersetoriais em Promoção da Saúde. Rio de Janeiro: ABRASCO.

Freire, S., Franco de Sá, R., & Gurgel, I. G. D. (2017). Sairé Mais Saudável: política intersetorial como marco de mudança para equidade local. Ciênc. saúde coletiva, 22(12). Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017021203893.

Melo Filho, D. A., Franco de Sá, R., & Chuma, J. (2007). Avaliação do capital social nas áreas de atuação do projeto Municípios Saudáveis no Nordeste do Brasil – Barra de Guabiraba-Bonito – Camocim de São Félix – Sairé – São Joaquim do Monte. Recife: Edições Bagaço.

Menezes, A., Franco de Sá, R., & Freire, S. (2006). Método Bambu. In R. Franco de Sá, M. Yuasa, & V. P. Viana (orgs.). Municípios Saudáveis no Nordeste do Brasil. Conceitos, Metodologia e Relações Institucionais (pp.49-58). Recife: Editora Universitária UFPE.

OPAS. Organização Pan-Americana de Saúde. (2018). Promoção da Saúde: Guia para a implementação nacional da Declaração de Xangai. Brasília: OPAS/BRA/OMS.

Porto, M. F., Zancan, L., & Pivetta, F. (2014). Cidades Saudáveis e Promoção da Saúde Emancipatória: reinvenção cotidiana do (re)conhecimento nos territórios vulneráveis. In C. B. Silveira, T. M. Fernandes, & B. Pellegrini (orgs.). Cidades Saudáveis? Alguns olhares sobre o tema (pp. 269-299). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Potvin, L. & Clavier, C. (2013). Actor-Network Theory: The governance of intersectoral initiatives. In C. Clavier & E. De Leeuw (eds.). Health Promotion and the Policy Process (pp. 82-103). Oxford: Oxford University Press.

Rice, M., Franceschini, C., Wallerstein, N., Mercer, R., Cimmino, K., Rodriguez, L., Latinovic, L., Pliego, P., Rodriguez, J. O. V., Aguillón, G. L. P., Groot, A. M. M., Monteiro, T., Rivière-Cinnamond, A., Franco de Sá, R., & Hegel, G. (2017). Healthy Municipalities, Cities, and Comunities in Latin America: Strong Stories, Commited Futures. In E. De Leeuw & J. Simos (orgs.). Healthy Cities – The Theory, Policy, and Practice of Value-Based Urban Planning (pp. 151-214). New York: Springer.

Sperandio, A. M. G. (org.) (2003). O processo de construção da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis (Vol. 1). Campinas: Unicamp.

Sperandio, A. M. G. (org.) (2004a). O processo de construção da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis. (Vol. 2). Campinas: IPES Editorial.

Sperandio, A.M.G.(org.). (2004b). O processo de construção da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis – Repensando a mobilização e a participação social. Volume 3. Campinas: Unicamp.

Sperandio, A. M. G. & Vilarta, R. (orgs.) (2004). Tecendo a Sustentabilidade da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis – Diferentes abordagens da mobilização social (Vol. 4). Campinas: IPES.

Sperandio, A. M. G. & Serrano, M. M. (orgs.) (2006). O Plano Diretor: uma ferramenta para o desenvolvimento das políticas públicas de um município potencialmente saudável (Vol. 1). Campinas: Unicamp & Brasília: OPAS.

Wilding, H., Gould, R., Taylor, J., Sabouraud A., Saraux-Salaun, P., Papathanasopoulou, D., de Blasio, A., Nagy, Z., & Simos, J. (2017). Healthy Cities in Europe: Structured, Unique and Thoughtful. In E. De Leeuw & J. Simos (orgs.). Healthy Cities – The Theory, Policy, and Practice of Value-Based Urban Planning (pp. 241-292). New York: Springer.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
Sá, R. M. P. F. de, Freire, S. M., & Salles, R. S. (2018). Formação para municípios saudáveis: trajetória, experiência e desafios para a Rede Pernambucana de municípios saudáveis. Labor E Engenho, 12(4), 509-518. https://doi.org/10.20396/labore.v12i4.8654147
Seção
Artigos