Gestos de autoria na imprensa matogrossense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v0i44.8657786

Palavras-chave:

Autoria, Discurso, Interpretação.

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre o gesto de autoria na imprensa mato-grossense, tomando para a análise um texto publicado em 1918 na revista A Violeta. Filia-se à teoria da Análise de Discurso de linha francesa, buscando compreender como se dá a constituição do sujeito-autor em determinadas condições de produção. Sob esta perspectiva, considera que os sentidos são produzidos numa relação determinada pelo sujeito sempre afetado pela língua e pela história. Ou seja, o lugar do autor é determinado pelo lugar da interpretação. Assim, observa-se o modo como o sujeito-autor, interpelado pela ideologia feminista, denuncia as irregularidades dos governantes, defendendo o aperfeiçoamento da educação e do trabalho remunerado para as mulheres, sobretudo, o direito de votar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leila Castro da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutoranda em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso. 

Joelma Aparecida Bressanin, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Professora efetiva na Universidade do Estado de Mato Grosso.

 

Referências

A VIOLETA - Publicação do Grêmio Literário Júlia Lopes de Almeida. Nº 31. Ano 1918. Disponível em: http://www.academiadeletrasmt.com.br/intensivismo/index.php/revist as. Acesso em 13/05/2016.

COSTA, Lais Souza da. Factos e cousas nas crônicas da revista matogrossense A Violeta. Revista Estação Literária. Londrina, Volume 11, p. 195-208, jul. 2013. http://www.uel.br/pos/letras/EL/vagao/EL11-Art14.pdf - acessado em 18/05/2016.

CRAMPE-CASNABET, Michèle. A mulher no pensamento filosófico do século XVIII. In: História das mulheres no Ocidente. Vol. 3: Do Renascimento à Idade Moderna. Ed. Afrontamento. 1991. p. 369 – 407.

DI RENZO, Ana. “O texto nas práticas linguísticas escolares”. In: MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da; OLIVEIRA, Tânia Pitombo de (Orgs.) Linguagem & História Memória - discursos em movimento. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 25-42.

FONSECA, Cláudia. “Ser mulher, mãe e pobre”. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2015, p. 510-553.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? In: Ditos & Escritos III. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. (Org.) Manoel Barros da Mota. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa - 2.ed. Rio de Janeiro. Forense Universitária. 2009. p. 264 - 298.

LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy. “Análise de Discurso: A materialidade significante na história”. In: MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da; OLIVEIRA, Tânia Pitombo de (Orgs.) Linguagem & História Memória discursos em movimento. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 275-305.

LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy. “Texto e autoria”. In: ORLANDI, Eni P. (Orgs.). Discurso e textualidade. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010, p. 81-103.

GALLO, Solange Leda. Autoria: questão enunciativa ou discursiva? Revista Linguagem em Dis(curso). Vol. 1. N. 2. Jan/Jun. 2001.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica enunciação e sentido. Campinas. SP. Pontes Editoras. 2018.

MITTMANN, Solange (Org.) A autoria na disputa pelos sentidos. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2016.

NADAF, Yasmim Jamil. Estudos literários em livros, jornais e revistas. Cuiabá – MT. Entrelinhas. 2009.

ORLANDI, Eni P. Eu, Tu Ele – Discurso e real da História. Campinas, SP: Pontes. 2017.

ORLANDI, Eni P. “Autoria e interpretação”. In: ORLANDI, Eni P. (Org.). Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 5.ed. Campinas: Unicamp, 2007, p. 63-78.

ORLANDI, Eni P. Linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. In: ORLANDI, Eni P (Org.). Campinas, SP: Pontes. 2009.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas, SP: Pontes, 2003.

ORLANDI, Eni P. Discurso e texto: formulação e circulação de sentido. Campinas, SP: Pontes. 2001a.

ORLANDI, Eni P. “Nem escritor, nem sujeito, apenas autor”. In: ORLANDI, Eni P. (Org.). Discurso e leitura. 6. ed. Campinas: Unicamp, 2001b, p. 75-83.

PAVANI, Cinara Ferreira. Gênero, escritura e identidade em Izabel Allende. In: Organon. Porto Alegre. v. 27. n.53, julho-dezembro, 2012, p. 97-108.

PÊCHEUX, Michel [1975]. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad.: Eni Orlandi Puccinelli. 2. ed. Campinas SP: Editora da Unicamp, 1995.

PÊCHEUX, Michel. [1983]. Discurso: estrutura ou acontecimento? Trad.: Eni Orlandi Puccinelli. Campinas/SP: Editora Pontes, 1991.

PINSKY, Carla Bassanezi. PEDRO, Joana Maria. Igualdade e Especificidade. In: PINSKY, Carla Bassanezi. PEDRO, Joana Maria História da cidadania. Jaime Pinsky, Carla Bassanezi Pinsky. (Orgs.) 6. ed. São Paulo: Contexto, 2016, p. 365-309.

POSSENTI, Sírio. “Nota sobre a questão da autoria”. Matraga. Rio de Janeiro. V. 20, N.32, 2013, p. 239-250.

SILVA, Carla Letuza Moreira. “Interpretação e efeito de autoria sobre o referendo das armas no Brasil”. In: MITTMANN, Solange (Org.) A autoria pela disputa dos sentidos. Porto Alegre: Instituto de Letras/UFRGS, 2016, p. 123-138.

SILVA, Leila Castro. (2013). Violência contra a mulher: sentidos em conflito. Dissertação. Mestrado em Linguística. Cáceres. Universidade do Estado de Mato Grosso.

TRUBILIANO, Carlos Alexandre Barros. JUNIOR, Carlos Martins. A flor do sertão: imagens femininas em A Violeta. Caderno Espaço Feminino, v.18, n.2, Ago./Dez. 2007.

Downloads

Publicado

2019-12-09

Como Citar

SILVA, L. C. da; BRESSANIN, J. A. Gestos de autoria na imprensa matogrossense. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, n. 44, p. 35–56, 2019. DOI: 10.20396/lil.v0i44.8657786. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8657786. Acesso em: 28 out. 2021.

Edição

Seção

Artigo