Banner Portal
Gestos de autoria na imprensa matogrossense
PDF

Palavras-chave

Autoria
Discurso
Interpretação.

Como Citar

SILVA, Leila Castro da; BRESSANIN, Joelma Aparecida. Gestos de autoria na imprensa matogrossense. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, n. 44, p. 35–56, 2019. DOI: 10.20396/lil.v0i44.8657786. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8657786. Acesso em: 23 jun. 2024.

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão sobre o gesto de autoria na imprensa mato-grossense, tomando para a análise um texto publicado em 1918 na revista A Violeta. Filia-se à teoria da Análise de Discurso de linha francesa, buscando compreender como se dá a constituição do sujeito-autor em determinadas condições de produção. Sob esta perspectiva, considera que os sentidos são produzidos numa relação determinada pelo sujeito sempre afetado pela língua e pela história. Ou seja, o lugar do autor é determinado pelo lugar da interpretação. Assim, observa-se o modo como o sujeito-autor, interpelado pela ideologia feminista, denuncia as irregularidades dos governantes, defendendo o aperfeiçoamento da educação e do trabalho remunerado para as mulheres, sobretudo, o direito de votar.

https://doi.org/10.20396/lil.v0i44.8657786
PDF

Referências

A VIOLETA - Publicação do Grêmio Literário Júlia Lopes de Almeida. Nº 31. Ano 1918. Disponível em: http://www.academiadeletrasmt.com.br/intensivismo/index.php/revist as. Acesso em 13/05/2016.

COSTA, Lais Souza da. Factos e cousas nas crônicas da revista matogrossense A Violeta. Revista Estação Literária. Londrina, Volume 11, p. 195-208, jul. 2013. http://www.uel.br/pos/letras/EL/vagao/EL11-Art14.pdf - acessado em 18/05/2016.

CRAMPE-CASNABET, Michèle. A mulher no pensamento filosófico do século XVIII. In: História das mulheres no Ocidente. Vol. 3: Do Renascimento à Idade Moderna. Ed. Afrontamento. 1991. p. 369 – 407.

DI RENZO, Ana. “O texto nas práticas linguísticas escolares”. In: MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da; OLIVEIRA, Tânia Pitombo de (Orgs.) Linguagem & História Memória - discursos em movimento. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 25-42.

FONSECA, Cláudia. “Ser mulher, mãe e pobre”. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2015, p. 510-553.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? In: Ditos & Escritos III. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. (Org.) Manoel Barros da Mota. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa - 2.ed. Rio de Janeiro. Forense Universitária. 2009. p. 264 - 298.

LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy. “Análise de Discurso: A materialidade significante na história”. In: MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da; OLIVEIRA, Tânia Pitombo de (Orgs.) Linguagem & História Memória discursos em movimento. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 275-305.

LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy. “Texto e autoria”. In: ORLANDI, Eni P. (Orgs.). Discurso e textualidade. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010, p. 81-103.

GALLO, Solange Leda. Autoria: questão enunciativa ou discursiva? Revista Linguagem em Dis(curso). Vol. 1. N. 2. Jan/Jun. 2001.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica enunciação e sentido. Campinas. SP. Pontes Editoras. 2018.

MITTMANN, Solange (Org.) A autoria na disputa pelos sentidos. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2016.

NADAF, Yasmim Jamil. Estudos literários em livros, jornais e revistas. Cuiabá – MT. Entrelinhas. 2009.

ORLANDI, Eni P. Eu, Tu Ele – Discurso e real da História. Campinas, SP: Pontes. 2017.

ORLANDI, Eni P. “Autoria e interpretação”. In: ORLANDI, Eni P. (Org.). Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 5.ed. Campinas: Unicamp, 2007, p. 63-78.

ORLANDI, Eni P. Linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. In: ORLANDI, Eni P (Org.). Campinas, SP: Pontes. 2009.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas, SP: Pontes, 2003.

ORLANDI, Eni P. Discurso e texto: formulação e circulação de sentido. Campinas, SP: Pontes. 2001a.

ORLANDI, Eni P. “Nem escritor, nem sujeito, apenas autor”. In: ORLANDI, Eni P. (Org.). Discurso e leitura. 6. ed. Campinas: Unicamp, 2001b, p. 75-83.

PAVANI, Cinara Ferreira. Gênero, escritura e identidade em Izabel Allende. In: Organon. Porto Alegre. v. 27. n.53, julho-dezembro, 2012, p. 97-108.

PÊCHEUX, Michel [1975]. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad.: Eni Orlandi Puccinelli. 2. ed. Campinas SP: Editora da Unicamp, 1995.

PÊCHEUX, Michel. [1983]. Discurso: estrutura ou acontecimento? Trad.: Eni Orlandi Puccinelli. Campinas/SP: Editora Pontes, 1991.

PINSKY, Carla Bassanezi. PEDRO, Joana Maria. Igualdade e Especificidade. In: PINSKY, Carla Bassanezi. PEDRO, Joana Maria História da cidadania. Jaime Pinsky, Carla Bassanezi Pinsky. (Orgs.) 6. ed. São Paulo: Contexto, 2016, p. 365-309.

POSSENTI, Sírio. “Nota sobre a questão da autoria”. Matraga. Rio de Janeiro. V. 20, N.32, 2013, p. 239-250.

SILVA, Carla Letuza Moreira. “Interpretação e efeito de autoria sobre o referendo das armas no Brasil”. In: MITTMANN, Solange (Org.) A autoria pela disputa dos sentidos. Porto Alegre: Instituto de Letras/UFRGS, 2016, p. 123-138.

SILVA, Leila Castro. (2013). Violência contra a mulher: sentidos em conflito. Dissertação. Mestrado em Linguística. Cáceres. Universidade do Estado de Mato Grosso.

TRUBILIANO, Carlos Alexandre Barros. JUNIOR, Carlos Martins. A flor do sertão: imagens femininas em A Violeta. Caderno Espaço Feminino, v.18, n.2, Ago./Dez. 2007.

A revista Línguas e Instrumentos Linguísticos utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.