A forma-cídio e suas articulações morfológicas sob o ponto de vista da enunciação

Autores

  • Thalita Nogueira Dias Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v44i0.8657787

Palavras-chave:

Enunciação, Formas “x-cídio”, Articulações linguísticas.

Resumo

Este artigo desenvolve um estudo semântico da forma -cídio, advindo do latim “cid/um” (ação de quem mata ou o seu resultado). Estudamos as articulações morfológicas “x-cídio” homicídio, infanticídio, suicídio, feminicídio, generocídio, lesbocídio, sincericídio, politicídio, encontradas em sites da web. Analisamos essas construções pela perspectiva dos conceitos teóricos da semântica da enunciação formulados por Dias (2018). Os resultados da análise demonstram que as construções "x-cídio" adquirem relevância como morte provocada, com diferentes direcionamentos de sentidos e motivadas por fatores sociais, jurídicos e políticos, ideologicamente determinados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thalita Nogueira Dias, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Estudos Linguísticos na Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ALMEIDA, M. L. L. de; ANDRADE, K. E; GONÇALVES, C. A. (2010). “Se a macumba é para o bem, então é boacumba: análise morfoprosódica e semântico-cognitiva das substituições sublexicais em português”. In: Revista Linguística, v. 6, n.2, p. 1-16. Rio de Janeiro.

BALLY, C. (1947). Linguistique général et linguistique française. 4. ed. Berne: Éditions A. Francke, 1965.

BENVENISTE, E. (1966). Problemas de linguística geral I. Campinas: Pontes, 1988. BENVENISTE, E. (1974). Problemas de Linguística Geral II. Campinas: Pontes, 1989.

BYBEE, J. (2010). Language, usage and cognition. New York: Cambridge Universety Press.

CARVALHO, M. A. (2018). 2 de cada 3 feminicídios são na casa da vítima. Disponível em: https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20180302-45426-spo-13-mrta13-not/tela/fullscreen . Acesso em: 15/03/19.

CATRACA LIVRE, (2018). Thalita Carauta, a Gorete de ‘Segundo Sol. Disponível em: https://catracalivre.com.br/cidadania/thalitacarauta-a-gorete-de-segundo-sol-se-assume-lesbica/ . Acesso em: 15/03/19.

DIAS, L. F. (2013). “Formações nominais designativas da língua do Brasil: uma abordagem enunciativa”. In: Letras, v. 23, n. 46, p. 11-22. Santa Maria: UFSM.

DIAS, L. F.; SILVA, E. E. R. R. da. (2015 a). “Formas nominais designativas na constituição do perfil feminino: uma abordagem enunciativa”. In: Revista (Con) Textos Linguísticos, v.9, p. 149-161. Vitória: UFES.

DIAS, L. F.; SILVA, E. E. R. R. (2015b). “Sentido e enunciação: a atualidade do conceito de acontecimento na semântica”. In: Estudos da Língua(gem), v.13, p. 229 - 248.Vitória da Conquista: UESB.

DIAS, L. F.; SILVA, E. E. R. R. (2016). “Nomes de cidades de Mato Grosso: uma abordagem enunciativa”. In: KARIM, T. M.; DI RENZO, A. M.; BRESSANIN, J. A.; KARIM, J. M. (orgs.) Atlas dos nomes que dizem histórias das cidades brasileiras: um estudo semântico-enunciativo do Mato Grosso (Fase I). Campinas: Pontes, p. 33-49.

DIAS, L. F.; ZATTAR, N. (2017). “O funcionamento do vocativo: uma abordagem da enunciação”. In: Domínios de lingu@gem, v. 11, n. 4, p. 1136-1151. Uberlândia: UFU.

DIAS, L. F.; ZATTAR, N. (2018). Enunciação e relações linguísticas. Campinas: Pontes, 2018.

DIAS, L. F.; ZATTAR, N. (2018b). “Da composição nominal a formação nominal: forma linguística e enunciação”. In: AGUSTINI, C. RODRIGUÊS, E. (orgs). Uma vida pela linguagem: homenagem a Émile Benveniste. Campinas: Pontes, p. 247-266.

DUCROT, O. (1981). Provar e dizer: linguagem e lógica. São Paulo: Global.

DUCROT, O. (1984). “Enunciação”. In: Enciclopédia Einaudi: linguagemenunciação, v.2, p. 368-393. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda.

FERNANDES, A. Nas redes sociais, reforma da Previdência provoca polêmica. (2019). Disponível em: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,nas-redes-sociaisreforma-da-previdencia-provoca-polemica,70002735115 . Acesso em: 05/04/19.

G1. (2018). Ataque na Catedral: atirador planejava chacina desde 2008 e treinava com a arma em casa. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/campinasregiao/noticia/2018/12/21/ataque-na-catedral-trecho-de-diario-mostraque-atirador-que-matou-5-previa-crime-desde-2008.ghtml. Acesso em: 24/02/19.

GONÇALVES, C. A. (2016). Atuais tendências em formação de palavras. São Paulo: Contexto. GUIMARÃES, E. J. (2005). Semântica do acontecimento. Campinas: Pontes, 2° ed.

O ESTADO DE S. PAULO, (2016). Assassino estuprou sobrinha-neta de Sarney. Disponível em: https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20161124-44963-nac-19-mrta20-not/tela/fullscreen . Acesso em: 15/03/19.

O ESTADO DE S. PAULO, (2018). Professor do PR é denunciado por feminicídio Disponível em: https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20180807-45584-spo-15-mrta15-not/tela/fullscreen . Acesso em: 15/03/19.

O POVO, (2017). Decisão do Supremo pressiona políticos. Disponível em: https://www.opovo.com.br/jornal/politica/2017/03/decisao-dosupremo-pressiona-politicos.html . Acesso em: 05/04/19.

REZENDE, P. (2018). Mãe acusada de matar bebê e esconder corpo por 5 anos tem júri popular marcado, em Goiânia. Disponível em: https://g1.globo.com/go/goias/noticia/mae-acusada-de-matarbebe-e-esconder-corpo-por-5-anos-tem-juri-popular-marcado-emgoiania.ghtml . Acesso em: 24/02/19.

Downloads

Publicado

2019-12-09

Como Citar

DIAS, T. N. A forma-cídio e suas articulações morfológicas sob o ponto de vista da enunciação . Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, n. 44, p. 57–77, 2019. DOI: 10.20396/lil.v44i0.8657787. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8657787. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigo