Da AAD-69 ao sinalário

leituras da/sobre a análise de discurso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v44i0.8657815

Palavras-chave:

Análise de discurso, Sinalário, Michel Pêcheux.

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar o processo de produção de um instrumento linguístico, que permite a abertura da possibilidade de leituras da/sobre a análise de discurso de base materialista, pela comunidade surda brasileira. Promove-se, inicialmente, um breve repasso histórico acerca da Análise de Discurso (AD), recuperando a produção teórica de Michel Pêcheux. Em um segundo momento, apresentamos nossa escuta analítica e o modo pelo qual tem se dado a produção do Sinalário de AD. Versamos sobre a proposição de três sinais (Ideologia, Posição-sujeito e Michel Pêcheux) para demonstrarmos nosso movimento de análise e posterior formulação dos sinais. Com base em nossa produção, esperamos que que os sujeitos surdos saiam dos processos de reprodução mnemônica e passem a uma reprodução histórica, em que, como sujeitos, se relacionem simbolicamente com os sentidos produzidos sobre a AD.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maraisa Lopes, Universidade Estadual de Campinas

Atualmente, é professora adjunta da Universidade Federal do Piauí e atua junto ao Curso de Licenciatura em Letras-Libras e ao Programa de Pós-Graduação em Letras.

         

Referências

ALTHUSSER, L. (1976). Idéologie et appareils idéologiques d’État. In: Positions. Paris: Éditions Sociales.

AUROUX, S. (1992). A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

AZBEL, L. (2004). How do the deaf read? The paradox of performing a phonemic task without sound. IntelScience Talent Search. Disponível em: http://psych.nyu.edu/pelli/docs/azbel2004intel.pdf. Acesso em 10 de setembro de 2019.

COSTA, G. C. da. (2012). “Denominação: um percurso de sentidos entre espaços e sujeitos”. In: RUA [online]. Campinas, n.18, vol.1.

COURTINE, J. J. (2005). “A estranha memória da Análise do Discurso”. In: INDURSKY, F.; FERREIRA, M. C. L. (Orgs). Michel Pêcheux e a análise de discurso: uma relação de nunca acabar. São Carlos: Claraluz.

GADET, F. et al. (1997). "Apresentação da Conjuntura em Linguística, em Psicanálise e em Informática Aplicada ao estudo dos textos na França, em 1969". In: GADET, F. e HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp.

GUIMARÃES, E.; ORLANDI, E. P. (Orgs.). (1996). Língua e Cidadania: o português no Brasil. Campinas, SP: Pontes.

HASHIGUTI, S. T. (2016). “Corpos e formas (in)visíveis: entre a regularização e a ruptura de sentidos”. In: COSTA, G. C.; CHIARETTI, P. (Orgs.). Arte e Diversidade. Trilogia Travessia da Diversidade. Campinas: Pontes, v. 3, p. 83-96.

HENRY, P. (1997). "Os Fundamentos Teóricos da 'Análise Automática do Discurso' de Michel Pêcheux (1969)". In: GADET, F. e HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp.

HOUAISS, A. (2019). Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Disponível em: https://houaiss.uol.com.br/pub/apps/www/v33/html/index.php#0. Acesso em 11 de setembro de 2019.

LAGAZZI, S. (2011). “A equivocidade na circulação do conhecimento científico”. In: Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 11, n. 3, p. 497-514, set./dez.

LOPES, M. (2018). “A institucionalização do curso de licenciatura em Letras-Libras no Brasil: língua, sujeitos e sentidos”. In: Línguas e instrumentos linguísticos, Campinas, CNPq – Universidade Estadual de Campinas; Editora RG, n.42, jul.dez., p.57-71.

MALDIDIER, D. (2003). (Re)ler Michel Pêcheux Hoje. Campinas, Pontes.

NUNES, J. H. (2006). Dicionários no Brasil: Análise e História. Campinas, SP: Pontes Editores – São Paulo, SP: FAPESP – São José do Rio Preto, SP: FAPERP.

NUNES, J.H. (2008). “Uma articulação da análise de discurso com a história das ideias linguísticas”. In: Letras, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 107–124, jul./dez.

ORLANDI, E. P. (1994). “Discurso, Imaginário Social e Conhecimento”. In: Em Aberto, Brasília, ano 14, n.61, jan./mar.

ORLANDI, E. P. (2005). Discurso e Texto: formulação e circulação dos sentidos. 2.ed. Campinas, SP: Pontes.

ORLANDI, E. P. (2019). “Entrevista com Eni Orlandi”. In: OLIVEIRA, G. A. de; NOGUEIRA, L. (Orgs.). Encontros na análise de discurso: efeitos de sentidos entre continentes. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

ORLANDI, E. P. (Org.). (1998). A Leitura e os Leitores. Campinas, SP: Pontes.

ORLANDI, E. P. (Org.). (2001). História das Ideias Linguísticas: Construção do Saber Metalinguístico e Constituição da Língua Nacional. Campinas, SP: Pontes; Cárceres, MT: UNEMAT Editora.

PÊCHEUX, M. (1995). Semântica e Discurso: uma Crítica à Afirmação do Óbvio. 2.ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP.

PÊCHEUX, M. (1997a). "Análise Automática do Discurso (AAD-69)". In: GADET, F. e HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp.

PÊCHEUX, M. (1997b). “A Análise de Discurso: três épocas (1983)”. In: GADET, F. e HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp.

PÊCHEUX, M. (2002). O Discurso: Estrutura ou Acontecimento. 3.ed. Campinas, SP: Pontes.

PÊCHEUX, M. (2007). “Papel da memória”. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Campinas, SP: Pontes, 2007.

PÊCHEUX, M. (2016). “Abertura do Colóquio”. In: CONEIN, B. et al. Materialidades Discursivas. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

PÊCHEUX, M. et al. (1997). "Apresentação da Análise Automática do Discurso (1982)". In: GADET, F. e HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso. Uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp.

QUADROS, R. M. de; STUMPF, M. R. (Orgs.). (2009). Estudos Surdos IV: série pesquisas. Petrópolis, RJ: Arara Azul.

STUMPF, M. (2005). Aprendizagem de Escrita de Língua de Sinais pelo sistema SignWriting: Línguas de sinais no papel e no computador. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Rio Grande do Sul. Disponível em: http://ged1.capes.gov.br/CapesProcessos/919079ARQ/919079_5.PDF.

Downloads

Publicado

2019-12-09

Como Citar

LOPES, M. Da AAD-69 ao sinalário: leituras da/sobre a análise de discurso . Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, n. 44, p. 222–237, 2019. DOI: 10.20396/lil.v44i0.8657815. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8657815. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê