Verbos pronominais

uma abordagem enunciativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v24i47.8658539

Palavras-chave:

Verbos pronominais, Semântica da enunciação, Referencial histórico, Pertinência enunciativa

Resumo

Propomos analisar por meio de uma abordagem enunciativa como as formas linguísticas representadas por verbos pronominais, apaixonar-se e arrepender-se, se sustentam na articulação entre o referencial histórico e as pertinências do dizer na atualidade, à luz dos pressupostos teórico-metodológicos da Semântica da Enunciação, desenvolvidos por Eduardo Guimarães (1995, 2005) e Luiz Francisco Dias (2013a, 2013b, 2015a, 2015b, 2018a), no Brasil. Observamos que as ocorrências enunciativas com os verbos pronominais significam por uma memória de sentidos que ganha pertinência na atualidade do dizer e tematizam relações de afetividade entre os interlocutores que podem ou não obter êxito com a reciprocidade de sentimentos, ideais e ações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fatima Graziele de Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Neuza Benedita da Silva Zattar, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Referências

ALENCAR NETO, W. D. As formações nominais em textos sobre racismo e antirracismo: O caso das nominalizações. 2018. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos). Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras, Belo Horizonte, 2018.
ALMEIDA, N. M. Gramática metódica da língua portuguesa. 44. ed. São Paulo: Saraiva, 1999.
AZEREDO, J. C. Fundamentos de gramática do português. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 2000.
BANDEIRA, G. A. F. O apagamento de se nas funções sujeito e objeto: um estudo variacionista com dados do Varsul do Paraná. 2007. 272 f. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.
BAUMAN, Z. A arte da vida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.
BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
BENVENISTE, E. (1966) Problemas de linguística geral I. 5. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2005.
CAMACHO, R. G. Em defesa da categoria de voz média no português. In: DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada. vol.19, n. 1. São Paulo, 2003
CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
DIAS, L. F. Acontecimento enunciativo e formação sintática. In: Línguas e Instrumentos Linguísticos, n. 35, jan./jun., p. 99-138, 2015a.
DIAS, L. F. Enunciação e relações linguísticas. Campinas: SP, Pontes Editores, 2018a.
DIAS, L. F. Formações nominais designativas da língua do Brasil: uma abordagem enunciativa. In: Letras, Santa Maria, n. 46, 2013a.
DIAS, L. F Identificações do Mato Grosso: uma abordagem enunciativa. In: Atlas dos Nomes que dizem histórias das cidades brasileiras: um estudo semântico-enunciativo do Mato Grosso (Fase 2). GUIMARÃES, E. (et al.). (orgs.). Campinas, SP: Pontes Editores, 2018b.
DIAS, L. F.; SILVA, C. D. Os espaços de trabalho com a língua na pesquisa científica e no ensino: as hastags em pauta. In: DI RENZO, A. M; MOTTA, A.L. A. R. (Orgs.). Ciência, Língua e Ensino. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016.
DIAS, L.F. Pertinência enunciativa e sustentação referencial: nos limites do sintático e do semântico. In: Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 9, n. 2. Passo Fundo: RS, 2013b.
DIAS, L.F. Sentido e enunciação: a atualidade do conceito de acontecimentos na semântica. In: Estudos da Lingua(gem), Vitória da Conquista: BA, v. 13, n.1, 2015b.
FERRAZ, L. A. N., SANTOS, J. V., ALMEIDA, J. M. Subjetividade em Heidegger e Benveniste: possíveis aproximações. In: Antares, vol. 8, n. 15, jan/jun, 2016.
GUIMARÃES, E. Os limites do sentido: um estudo histórico e enunciativo da linguagem. Campinas: Pontes, 1995.
GUIMARÃES, E. Semântica do acontecimento: um estudo da designação. 2. ed. Campinas: Pontes, 2005.
HEIDEGGER, M. A caminho da linguagem. Petrópolis: Vozes, 2008.
KAISER, G. A. (1996). A evolução dos pronomes clíticos no Português Europeu em comparação com os pronomes clíticos em outras línguas românicas. In: PADILLA et al. (eds.) Actas del XI Congreso Internacional de la Asociación de Lingüística y Filología de la América Latina.Vol. 3, Las Palmas de Gran Canaria: Universidad de las Palmas de Gran Canaria Servicio de Publicaciones (1999). Disponível em: http://ling.uni-konstanz.de/pages/home/kaiser/files/Kaiser1999_Evolucao.pdf. Acesso em: 15 jan. 2019.
LENHARO, A. C. Descrição léxico-gramatical e funcional dos verbos pronominais do português brasileiro com vistas ao aperfeiçoamento da base de verbos da wordnet brasileira e do alinhamento semântico desta a base de verbos da wordnet norte-americana. 2014. 238 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara, 2014.
LYONS, J. Introdução à linguística teórica. São Paulo: Nacional, 1979.
MACAMBIRA, J. R. Diátese verbal. In: Revista de Letras. Vol.1, nº 1, 1978.
NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora Unesp, 2000.
NEVES, M. H. M. Guia de usos do português: confrontando regras e usos. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2003.
NEVES, M. H. M. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006.
PERINI, M. A. Sintaxe portuguesa: metodologia e funções. São Paulo: Ática, 1989.
ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. 24. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1984.
SAID ALI, M. Gramática secundária e gramática histórica da língua portuguesa. 3. ed., Brasília: Universidade de Brasília, 1964.
SAID ALI, M. Gramática histórica da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1971.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

SOUZA, F. G. de; ZATTAR, N. B. da S. Verbos pronominais: uma abordagem enunciativa. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 24, n. 47, 2021. DOI: 10.20396/lil.v24i47.8658539. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8658539. Acesso em: 22 out. 2021.

Edição

Seção

Artigo