As construções identitárias em narrativas sobre migração no sul do Maranhão

Autores

  • Marta Piovesan Universidade Estadual do Maranhão
  • Caio Mira Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v23i46.8659235

Palavras-chave:

Narrativas, Identidades, Discurso, Processo migratório

Resumo

Partindo da proposição de que narrativas e identidades emergem de contextos sociais e de que a discursividade é uma lente privilegiada para investigar as práticas sociais e experiências pessoais, a presente pesquisa de caráter interpretativo/qualitativo tem como domínio empírico as narrativas de pessoas que vivenciaram um processo de migração recente em Balsas, cidade do Sul do Maranhão. Nesse cenário, o objetivo principal desta pesquisa é analisar como as identidades, especificamente sob o ponto de vista de quem nasceu na região, são construídas linguística e textualmente em um espaço geográfico marcado pelas transformações sociais e econômicas do movimento migratório recente. As análises das narrativas permitiram evidenciar as identidades em um ambiente de transformações rápidas, com uma multiplicidade de indivíduos, onde as construções identitárias não são unificadas, mas estão sempre em transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Piovesan, Universidade Estadual do Maranhão

Doutora em Línguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Atualmente é Professora Assistente da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Caio Mira, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Professor do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Referências

APOTHÉLOZ, D.; REICHLER-BÉGUELIN, M. J. (1995). Construction de la référence et stratégies de désignation. In: BERRENDONNER, A.; REICHLER-BÉGUELIN, M. J. (Org.). Du sintagme nominal aux objets-de-discours. Neuchâtel: Université de Neuchâtel, p. 142-173.

BASTOS, L. C. (2007). Estórias, vida cotidiana e identidade: uma introdução ao estudo da narrativa. In: CALDAS-COULTHARD, C. R.; CABRAL, L. S. (Org.). Desvendando discursos: conceitos básicos. Florianópolis: Ed. UFSC, p. 79-111.

BASTOS, L. C.; SANTOS; W. S. (2013). A entrevista na pesquisa qualitativa: perspectivas em análise da narrativa e da interação. Rio de Janeiro: FAPERJ.

BRUNER, J. (1987). Life as narrative. Social Research, New York, v. 54, n. 1, p. 11-32.

CAVALCANTE, M. M. et al. (2011). Dimensões textuais nas perspectivas sociocognitiva e interacional. In: BENTES, A. C; LEITE, M. Q. Linguística de texto e análise da conversação: panorama das pesquisas no Brasil. São Paulo: Cortez, p. 225-261.

CLARK, H. (1996). Using Language. New York: Cambridge University Press.

DE FINA, A.; GEORGAKOPOULOU, A. (2012). Analyzing narrative: discourse and sociolinguistic perspectives. Cambridge: Cambridge University Press.

GEE, J. P. (2001). Identity as an analytic lens for research in education. Review of Research in Education, Itasca, Ill, v. 25, p. 99-125.

HALL, S. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 6. ed.

HALL, S. (2012). Quem precisa de identidade? In: SILVA, T. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais (Org.). Petrópolis: Vozes, p. 247-264.

JOHNSTONE, B. (2001). Discourse analysis and narrative. In:

JUBRAN, C. C. A. S. (2006). Revisitando a noção de tópico discursivo. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 48, n. 1, p. 33-42.

KOCH, I. G. V. (2008). Como se constroem e reconstroem os objetos de discurso. Revista Investigações, Recife, v. 21, n. 2, p. 99-114.

_______ (2016). O texto e a construção de sentidos. São Paulo: Contexto.

KOCH, I. V. G.; MORATO, M. E.; BENTES, A. C. (2005). Apresentação. In: KOCH, I. V. G.; MORATO, M. E.; BENTES, A. C. (Org.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, p. 8-10.

LABOV, W. (1997) Some further steps in narrative analysis. Journal of Narrative and Life History, Hillsdale [New] Jersey, v. 7, n. 1-4, p. 395–415.

LINDE, C. (1993). Life stories: the creation of coherence. New York: Oxford University Press.

LOPES, L. P. M. (2006). Identidades fragmentadas: a construção discursiva de raça, gênero e sexualidade em sala de aula. Campinas: Mercado de Letras.

LOPES, L. P. M.; BASTOS, L. C. (2002). A experiência identitária na lógica dos fluxos-uma lente para se entender a vida social. In: LOPES, L. P. M.; BASTOS, L. C. (Org.). Para além da identidade: fluxos, movimentos e trânsitos. Belo Horizonte: UFMG, p. 9-23.

MARCUSCHI, L. A. (2003). Análise da conversação. São Paulo: Ática.

__________. (2001). Atos de referenciação na interação face a face. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n. 41, p. 37-54, jul./dez.

MISHLER, E. (1999) Storylines: Craftartists- Narratives of Identity. Cambridge, Mas¬sachusetts and London: Harvard University Press.

MONDADA, L; DUBOIS, D. (2014). Construção de objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, M. M. et al. (Org.). Referenciação. São Paulo: Contexto, p. 17-52.

MONDADA, L. (1997) A entrevista como acontecimento interacional: abordagem linguística e interacional. RUA, [S.l.], v. 3, n. 1, p. 59-86.

OJIMA, R.; FUSCO, W. (2014). Migrações nordestinas no Século 21: um panorama recente. São Paulo: Edgard Blücher.

OLIVEIRA, L. M.; BASTOS, L.C. (2012). Aspectos da dinâmica da narração de histórias por pessoas com afasia. Calidoscópio. São Leopoldo, v.10, n.2, p.194-210.

PENNA, M. (1998). Relatos de migrantes: questionando as noções de perda de identidade e desenraizamento. In: SIGNORINI, I. (Org.). Lingua(gem) e identidade. Campinas: Mercado das Letras, p. 89-111.

PERAZZO, P. F. (2015). Narrativas orais de histórias de vida. Comunicação & Inovação, São Caetano do Sul, SP, v. 16, n. 30, p. 121-131, jan./abr.

SILVA, T. T. (2000). A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, p. 73-102.

Downloads

Publicado

2020-11-03

Como Citar

PIOVESAN, M. .; MIRA, C. As construções identitárias em narrativas sobre migração no sul do Maranhão. Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, v. 23, n. 46, p. 130-151, 2020. DOI: 10.20396/lil.v23i46.8659235. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8659235. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigo