Banner Portal
O vocabulario geografico brasileiro e a construção da identidade linguistica
PDF

Palavras-chave

Lexico
Gramatização
Linguas indígenas

Como Citar

HONÓRIO-CECI, Maria. O vocabulario geografico brasileiro e a construção da identidade linguistica . Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 6, n. 12, p. 65–75, 2003. DOI: 10.20396/lil.v12i12.8661058. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8661058. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este trabalho tem por objetivo explicitar os processos históricos que determinaram a constituição de um saber lexical no Brasil, tendo em vista as relações enunciativas entre o português e as línguas indígenas. Analisaremos a constituição do lexico na obra de Teodoro Sampaio. O Tupi na geografia Nacional, focalizando as relações intertextuais e interdiscursivas postas em jogo no processo de gramatização brasileira. A historicização destes processos pode favorecer as discussões sobre a construção etica de políticas linguisticas.

https://doi.org/10.20396/lil.v12i12.8661058
PDF

Referências

AUROUX, S. (1992) A revolução tecnológica da gramatização. Campinas, SP: Ed. da Unicamp.

AUTHIER-REVUZ, J. (1998). Palavras Incertas: as não-coincidencias do dizer. Campinas, SP: Ed. da Unicamp.

DICK, M.V.P. do Amaral.(1990). A motivação toponimica e a realidade brasileira. São Paulo, edições arquivo do estado.

FOUCAULT, M. As Palavras e as Coisas. São Paulo, Martins Fontes, 1985.

JUNES, J.H.. (1996) Discursos e Instrumentos linguísticos no Brasil: dos relatos de viajantes aos primeiros dicionários. Tese de doutoramento, IEL, Unicamp.

ORLANDI, Eni P. & BARROS, D.L.P. de. (1999). Historia das ideias Linguistica no Brasil: ética e política das línguas: Projeto de Cooperação Internacional Capes-COFECUB. Unicamp/USP.

ORLANDI, Eni. P. (1996). Interpretação; autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis, RJ: Vozes, 2° Ed, Campinas, SP: Pontes, 2004.

ORLANDI, Eni. P(1990). Terra à vista: discurso do confronto: velho e novo mundo. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Ed. da Unicamp

.

ORLANDI, Eni. P. & GUIMARÃES, E. (1999)"La formation d'un espace de production linguistique. La Grammaire au Bresil". In: Langage, Paris, Larousse.

PECHEUX, M. (1997). O discurso estrutura ou acontecimento, do discurso. Campinae, SP: Ed. da Unicamp.

PECHEUX, M. .(1988). Semantica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, Ed. da Unicamp.

STADEN, H. (1557) "Relação Verídica e Sucinta dos Uzos e Costumes dos Tupinambas". Trad. Tristão de Alencar Araripe. In: Revista do Instituto Historico e Geográfico Brasileiro, n°55, Tomo LV, Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1982.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2003 Línguas e Instrumentos Línguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.