Banner Portal
Entre o nomear e o escutar
PDF

Palavras-chave

Discurso
Depressão
Léxico

Como Citar

BARBAI, Marcos. Entre o nomear e o escutar: a depressão. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 42, n. 42, 2020. DOI: 10.20396/lil.v42i42.8661574. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8661574. Acesso em: 19 abr. 2024.

Resumo

Como pensar, na historicidade da palavra, a discursividade do mal-estar que assola as pessoas em nosso tempo, cujo o nome é depressão? O que podemos escutar quando interrogamos, no funcionamento linguístico ordinário, os discursos e fenômenos de classificação e de revisão das doenças? Essas duas questões me incitam a pensar, como lugar de análise, a palavra depressão, levando em consideração o caráter heurístico, material e subjetivo dessa formulação que se dá em condições de produção e circunstâncias de enunciação específicas, em nossa sociedade.

https://doi.org/10.20396/lil.v42i42.8661574
PDF

Referências

BARBAI, M. A. “Memória, esquecimento, ressentimento: a nomeação nos sistemas políticos”. (Inédito).
FINGERMANN, D.; KHEL, M. R. (2009). “O sujeito, o inconsciente e o tempo: entrevista com Colette Soler”. In: A PESTE: Revista de Psicanálise e Sociedade e Filosofia, v. 1, n. 1.
FOUCAULT, M. (2002). Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). Trad. de ME Galvão. São Paulo: Martins Fontes.
GUILHAUMOU, J.; MALDIDIER, D.; ROBIN, R. (1994). Discours et archive: expérimentations en analyse du discours. Liège: Editions Mardaga.
QUINET, A. (2006). Psicose e laço social. Rio de Janeiro: Zahar.
LACAN, J. (1992). O seminário, livro 17: O avesso da psicanálise, 1969-1970. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. _________. (2008). O Mito Individual do Neurótico. Trad. Claudia Berliner. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. __________. (2008). O seminário, livro 16. De um Outro ao outro. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
ORLANDI, E. P. (1996). Interpretação: autoria leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas: Vozes. ___________. (2010). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas: RG Editora. ___________. (2012). “Sentidos em fuga: Efeitos da polissemia e do silêncio”. In: CARROZZA, G.; SANTOS, M.; SILVA, T. D. Sujeito, Sociedade e Sentido. Campinas: RG, p. 1-15. ___________. (2013). “A palavra dança e o mundo roda: Polícia!”. In:
GUIMARÃES, E. Cidade, Linguagem e Tecnologia: 20 Anos de História. Campinas: Labeurb. p.13-30. Disponível em: http://www.labeurb.unicamp.br/labeurb20anos/index.php ___________. (2014). “Parkour: corpo e espaço reescrevem o sujeito”. In: Línguas e instrumentos linguísticos, n. 34. jul-dez, p. 75-87. Campinas.
ROUDINESCO, E. (2006). A análise e o arquivo. Rio de Janeiro: Zahar.
SOLER, C. (2010). “O corpo falante”. In: Caderno de Stylus, v. 1, p.52-63. Rio de Janeiro: EPFCL. __________. (2013). “A oferta, a demanda e... a resposta”. Caderno de Stylus, n. 26, p. 15-28. Rio de Janeiro: EPFCL.
Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Línguas e Instrumentos Línguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.