Banner Portal
O clima da época em torno do conceito de discurso na gramática de Port-Royal
PDF

Palavras-chave

Histórias das ideias linguísticas
Gramática de Port-Royal
Discurso
Política linguística

Como Citar

PAIVA, Roberta Soares. O clima da época em torno do conceito de discurso na gramática de Port-Royal: o "bom uso" da língua. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 24, n. 48, p. 304–314, 2021. DOI: 10.20396/lil.v24i48.8666083. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8666083. Acesso em: 13 abr. 2024.

Resumo

Este artigo pretende traçar o clima da época para o conceito de discurso na Gramática de Port-Royal (GPR) quanto ao que se pensava no século XVII sobre o “bom uso” da língua, delimitando a relevância desse texto fundador (COLOMBAT; FOURNIER; PUECH, 2010) no panorama da História das Ideias sobre a Linguagem. Publicada em 1660, a GPR tornou-se famosa por ser considerada um trabalho pioneiro na área da Filosofia da Linguagem. Seus autores pretendiam propor um estudo filosófico e racional da linguagem. A GPR contrastava com a tônica dos estudos linguísticos da época, sintonizados com a preocupação acerca da questão do “bom uso” (bon usage) da língua, compreendido meramente em termos estilísticos. Tal recorte se mostrou necessário devido à generalidade com a qual se investia o conceito de discurso, visto como sinônimo de fala/uso, que deve ser regulado por regras, e influenciou o referencial teórico da Gramática Gerativo-Transformacional de Noam Chomsky.

https://doi.org/10.20396/lil.v24i48.8666083
PDF

Referências

ARNAULD, A.; LANCELOT, C. Gramática de Port-Royal. Trad.: Bruno Fregni Basseto e Henrique Graciano Murachco. São Paulo: Martins Fontes (Clássicos), [1660] 2002.

AUROUX, S. A Revolução Tecnológica da Gramatização. 2. ed. Trad.: Eni Puccinelli Orlandi. Campinas, SP: Ed. da UNICAMP, 2009.

CIZESCKI, F. Entre Chomsky e Port-Royal: uma análise da leitura chomskyana. Work. pap. linguíst., Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 121-131, jan./jun. 2008.

COLOMBAT, B.; FOURNIER, J.M.; PUECH, C. Como se coloca o problema da generalidade. In: ______. Uma História das Ideias Linguísticas. Trad.: de Jacqueline Léon e Marli Quadros Leite. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

DESCARTES, R. Regras para a direção do espírito. Trad.: João Gama. Lisboa: Edições 70, s.d. Disponível em: http://www.revistaliteraria.com.br/DescartesRegras.pdf. Acesso em: 20 jul. 2018.

LAGORIO, C. El valor de lo simbólico en un nuevo clima de época. Anales de la educación común, Buenos Aires, Tercer siglo, año 3, número 6, Educación y lenguajes, jul. 2007.

MOLINA, J. A. Forma lógica e forma gramatical na Lógica e na Gramática de Port-Royal. Notae Philosophicae Scientiae Formalis, v. 3, n. 1-2, p. 70-81, 2014. Disponível em: http://gcfcf.com.br/pt/files/2017/05/6-NPSF-v.3-n.-1-2Molina1.pdf. Acesso em: 16 jun. 2018.

SANTOS, T. S. C. Gramática de Port-Royal – século XVII, 1660. In: ______. Artigo: da Tékhne Grammatiké aos dias de hoje. 108f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. p. 44-49, 2014.

VIEIRA, F. E. A orientação lógico-filosófica nas Gramáticas do Português. In: ______. A Gramática Tradicional: História Crítica. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2018.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Línguas e Instrumentos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.