De onde vem a língua falada nas canções?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v24i47.8666688

Palavras-chave:

Voz, Enunciação, Canção, Variedade linguística

Resumo

Este artigo propõe elementos para investigar como a voz na canção popular brasileira pode trazer uma modalidade de arquivo da história do português falado. O texto parte do conceito de variantes da língua oral, em diferentes tempos e lugares, que só são acessíveis na canção popular que circula de uma região para outra. O objetivo é contribuir com uma abordagem inovada para a história dos diferentes momentos da língua portuguesa falada no Brasil. Metodologicamente, tomamos a canção popular brasileira como referencial da língua em contínuo movimento. Como resultado, espera-se avançar para uma pesquisa que reúna um produtivo arquivo da língua atestando seus diferentes períodos registrados na voz articulada na linguagem das canções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

BENVENISTE, E. “O aparelho formal da enunciação”. In: Problemas de Linguística Geral II. Campinas: Pontes, [1970] 1989.

BENVENISTE, E. “Da subjetividade na linguagem”. In Problemas de Linguística Geral, I. Campinas: Pontes, [1958] 2005.

DELEUZE, G., “20 de novembro de 1923 - Postulados da linguística”. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. In DELEUZE; G., GUATTARI, F. Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia; tradução de Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. — Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995, p. 11-50.

PRETTI, D. “Mas como devem falar as personagens literárias”, In Revista da Anpoll, no. 3, 1997.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

SOUZA, P. de . De onde vem a língua falada nas canções?. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 24, n. 47, p. 347–363, 2021. DOI: 10.20396/lil.v24i47.8666688. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8666688. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê