Banner Portal
Fake news
PDF

Palavras-chave

Fake news
Dicionários online
Formulação

Como Citar

SERAGLIO, Jucineia; BRESSANIN , Joelma Aparecida. Fake news: uma abordagem discursiva em dicionários online. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. 49, p. 50–79, 2022. DOI: 10.20396/lil.v25i49.8668533. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8668533. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

Neste estudo propomos uma reflexão sobre a discursividade fake news, pensando sua ampla circulação nos dicionários online, objetivando compreender a produção dos sentidos na relação do sujeito lexicógrafo com a língua, com as condições de produção e com uma determinada rede de memória. Para tanto, tomamos a palavra fake news como um fato de linguagem, um acontecimento e, sobretudo, uma materialidade simbólica, uma vez que, discursivamente, o que importa não é o acontecimento em si, o evento empírico, mas sim o acontecimento, enquanto ato histórico, resultado de uma interpretação. Pautamo-nos, então, na teoria da Análise de Discurso de linha francesa com base em Pêcheux (2012; 2014a; 2014b; 2014c) e Orlandi (1998; 2000; 2007; 2013), em um diálogo com a História das Ideias Linguísticas  (AUROUX, 1992; NUNES, 2006 e BARBAI, 2015), que nos propiciam ler os dicionários de um modo particular, enquanto objetos históricos.



https://doi.org/10.20396/lil.v25i49.8668533
PDF

Referências

ADORNO, Guilherme e SILVEIRA, Juliana. Pós-verdade e Fake News: Equívocos do Político na Materialidade Digital. 2017. Disponível em: https://www.discursosead.com.br/_files/ugd/27fcd2_ ab034368d17d4ff 2be1db459ab2305f5.pdf. Acesso em: 20 de outubro de 2020.

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1992.

BARBAI, Marcos Aurélio. “Palavra que pode ferir: o termo bullying em dicionários de língua inglesa e na imprensa do Brasil”. In: Revista Signo y Seña, número 27, 2015, p. 89-106, junio. Facultad de Filosofía y Letras (UBA). Disponível em: http://revistascientificas.filo. uba.ar/index.php/sys/issue/view/276. Acesso em: 10 de outubro de 2020.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37.ed. Revista, ampliada e atualizada conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2009.

COSTA, Greciely Cristina da. “A palavra do ano é uma imagem”. In: Fragmentum. Universidade Santa Maria: Programa de Pós-graduação em Letras, UFMS, n. 48, Jul. – Dez, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/fragmentum/article/view/23308. Acesso em: 20 de fevereiro de 2021.

D'ANCONA, Matthew. Pós-verdade. Tradução Carlos Szlak.1. ed. Barueri: Faro Editorial, 2018.

DELMAZO, Caroline; VALENTE. Jonas C. L. Fake news nas redes sociais online: propagação e reações à desinformação em busca de cliques. Ins: Media & Jornalismo, Lisboa , v. 18, n. 32, p. 155 169, abr. 2018. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2183-54622018000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 19 de outubro de 2020.

DIAS, Cristiane. Análise do Discurso Digital: sujeito, espaço, memória e arquivo. Campinas-SP: Pontes, 2018.

DIAS, Luiz Francisco; BEZERRA, Maria Auxiliadora. “Gramática e Dicionário”. In: Eduardo Guimarães e Mônica Zoppi-Fontana (Orgs.). Introdução às ciências da linguagem: a palavra e a frase. Pontes: Campinas, São Paulo, 2006.

DIAS, Luiz Francisco. “Domínios referenciais na tecnologia dos instrumentos linguísticos digitais”. In: Linguagem, tecnologia e espaço social. Eni Orlandi et.al (Orgs.). Pouso Alegre: Univás, Campinas: RG Editores, 2016.

FERRARI, Polyana. Como sair das bolhas. Fortaleza: Armazém de cultura, 2018.

GUILHAUMOU, Jacques; MALDIDIER, Denize. “Efeitos do arquivo. A análise do discurso no lado da história”. In: ORLANDI, Eni Puccinelli (Org.) [et al.]. Gestos de leitura: da história no discurso. 4. ed. Campinas, SP: Unicamp, 2014, p. 169-19.

MELLO, Patrícia Campos. A Máquina do ódio: notas sobre uma repórter sobre fake news. Companhia das Letras, 2020.

MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da. “Selfie: Formas de individuação do sujeito”. In: Linguagem, tecnologia e espaço social. Eni P. Orlandi et.al (Orgs.). Pouso Alegre: Univás, Campinas: RG Editores, 2016.

NUNES, José Horta. Dicionários no Brasil: análise e história do século XVI ao XIX. Campinas, SP: Pontes Editores, São Paulo, SP: Fapesp, São José do Rio Preto, SP: Faperp, 2006.

NUNES, José Horta. “Dicionários: história, leitura e produção”. In: Revista de Letras, n.1/2, 2010. Disponível em: https://portalrevistas. ucb.br/index.php/RL/issue/view/140. Acesso em: 02 de setembro de 2020.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Lexicografia Discursiva”. In: Alfa – Revista de Linguística São Paulo, vol. 44, 2000, p.97-114.

ORLANDI, Eni Puccinelli. História das ideias linguísticas: construção do saber metalingüístico e constituição da língua nacional. (Org.). Campinas: Pontes, Cáceres: Unemat, 2001.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 4.ed. Campinas: Pontes, 2006.

ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6.ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. (Org.) Campinas, Editora RG, 2010.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 4.ed. Campinas, SP: Pontes Editores., 2012a.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Espaços Linguísticos e seus desafios: convergências e divergências”. In: Revista Rua. n. 18, p. 5-18, 2012b.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 11.ed., Campinas, São Paulo. Pontes, 2013.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Do fato para o acontecimento (da diferença à resistência)”. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. Eu, Tu, Ele: discurso e real da história. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento? Tradução: Eni P. Orlandi. 6.ed., Campinas SP: Pontes Editores, 2012.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi. et al. – Campinas, SP: Editora Unicamp, 2014a.

PÊCHEUX, Michel. “Análise automática do discurso (AAD-69)”. In: GADET Françoise; HALK, Tony (Orgs.); tradução Bethania S. Mariani [et al.]. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Pêcheux, 5.ed. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2014b, p.59-106.

SERAGLIO, Jucineia; ZATTAR, Neuza. “Um estudo enunciativo sobre a formação nominal fake news em textos virtuais e não virtuais”. In: Dias e Dalmaschio (Orgs.), Movimentos do linguístico: forma e sentido em enunciação. Belo Horizonte. Editora FALE/UFMG, 2020, p.282 -293.

SOARES, Maraline Aparecida; NUNES, Silva Regina. Da opacidade da palavra selfie no discurso digital. Rua, Campinas: SP, vol.26, número 1, junho, 2020.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Línguas e Instrumentos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.