Fake news

uma abordagem discursiva em dicionários online

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v25i49.8668533

Palavras-chave:

Fake news, Dicionários online, Formulação

Resumo

Neste estudo propomos uma reflexão sobre a discursividade fake news, pensando sua ampla circulação nos dicionários online, objetivando compreender a produção dos sentidos na relação do sujeito lexicógrafo com a língua, com as condições de produção e com uma determinada rede de memória. Para tanto, tomamos a palavra fake news como um fato de linguagem, um acontecimento e, sobretudo, uma materialidade simbólica, uma vez que, discursivamente, o que importa não é o acontecimento em si, o evento empírico, mas sim o acontecimento, enquanto ato histórico, resultado de uma interpretação. Pautamo-nos, então, na teoria da Análise de Discurso de linha francesa com base em Pêcheux (2012; 2014a; 2014b; 2014c) e Orlandi (1998; 2000; 2007; 2013), em um diálogo com a História das Ideias Linguísticas  (AUROUX, 1992; NUNES, 2006 e BARBAI, 2015), que nos propiciam ler os dicionários de um modo particular, enquanto objetos históricos.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jucineia Seraglio, Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutoranda em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) . Professora efetiva da Educação Básica da Rede Estadual/SEDUC-MT.

Joelma Aparecida Bressanin , Universidade do Estado de Mato Grosso

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Professora efetiva do Curso de Letras e do Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso, no campus universitário de Cáceres/MT.

Referências

ADORNO, Guilherme e SILVEIRA, Juliana. Pós-verdade e Fake News: Equívocos do Político na Materialidade Digital. 2017. Disponível em: https://www.discursosead.com.br/_files/ugd/27fcd2_ ab034368d17d4ff 2be1db459ab2305f5.pdf. Acesso em: 20 de outubro de 2020.

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1992.

BARBAI, Marcos Aurélio. “Palavra que pode ferir: o termo bullying em dicionários de língua inglesa e na imprensa do Brasil”. In: Revista Signo y Seña, número 27, 2015, p. 89-106, junio. Facultad de Filosofía y Letras (UBA). Disponível em: http://revistascientificas.filo. uba.ar/index.php/sys/issue/view/276. Acesso em: 10 de outubro de 2020.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37.ed. Revista, ampliada e atualizada conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2009.

COSTA, Greciely Cristina da. “A palavra do ano é uma imagem”. In: Fragmentum. Universidade Santa Maria: Programa de Pós-graduação em Letras, UFMS, n. 48, Jul. – Dez, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/fragmentum/article/view/23308. Acesso em: 20 de fevereiro de 2021.

D'ANCONA, Matthew. Pós-verdade. Tradução Carlos Szlak.1. ed. Barueri: Faro Editorial, 2018.

DELMAZO, Caroline; VALENTE. Jonas C. L. Fake news nas redes sociais online: propagação e reações à desinformação em busca de cliques. Ins: Media & Jornalismo, Lisboa , v. 18, n. 32, p. 155 169, abr. 2018. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2183-54622018000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 19 de outubro de 2020. DOI: https://doi.org/10.14195/2183-5462_32_11

DIAS, Cristiane. Análise do Discurso Digital: sujeito, espaço, memória e arquivo. Campinas-SP: Pontes, 2018.

DIAS, Luiz Francisco; BEZERRA, Maria Auxiliadora. “Gramática e Dicionário”. In: Eduardo Guimarães e Mônica Zoppi-Fontana (Orgs.). Introdução às ciências da linguagem: a palavra e a frase. Pontes: Campinas, São Paulo, 2006.

DIAS, Luiz Francisco. “Domínios referenciais na tecnologia dos instrumentos linguísticos digitais”. In: Linguagem, tecnologia e espaço social. Eni Orlandi et.al (Orgs.). Pouso Alegre: Univás, Campinas: RG Editores, 2016.

FERRARI, Polyana. Como sair das bolhas. Fortaleza: Armazém de cultura, 2018.

GUILHAUMOU, Jacques; MALDIDIER, Denize. “Efeitos do arquivo. A análise do discurso no lado da história”. In: ORLANDI, Eni Puccinelli (Org.) [et al.]. Gestos de leitura: da história no discurso. 4. ed. Campinas, SP: Unicamp, 2014, p. 169-19.

MELLO, Patrícia Campos. A Máquina do ódio: notas sobre uma repórter sobre fake news. Companhia das Letras, 2020.

MOTTA, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da. “Selfie: Formas de individuação do sujeito”. In: Linguagem, tecnologia e espaço social. Eni P. Orlandi et.al (Orgs.). Pouso Alegre: Univás, Campinas: RG Editores, 2016.

NUNES, José Horta. Dicionários no Brasil: análise e história do século XVI ao XIX. Campinas, SP: Pontes Editores, São Paulo, SP: Fapesp, São José do Rio Preto, SP: Faperp, 2006.

NUNES, José Horta. “Dicionários: história, leitura e produção”. In: Revista de Letras, n.1/2, 2010. Disponível em: https://portalrevistas. ucb.br/index.php/RL/issue/view/140. Acesso em: 02 de setembro de 2020.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Lexicografia Discursiva”. In: Alfa – Revista de Linguística São Paulo, vol. 44, 2000, p.97-114.

ORLANDI, Eni Puccinelli. História das ideias linguísticas: construção do saber metalingüístico e constituição da língua nacional. (Org.). Campinas: Pontes, Cáceres: Unemat, 2001.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 4.ed. Campinas: Pontes, 2006.

ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6.ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. (Org.) Campinas, Editora RG, 2010.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 4.ed. Campinas, SP: Pontes Editores., 2012a.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Espaços Linguísticos e seus desafios: convergências e divergências”. In: Revista Rua. n. 18, p. 5-18, 2012b. DOI: https://doi.org/10.20396/rua.v18i2.8638282

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 11.ed., Campinas, São Paulo. Pontes, 2013.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Do fato para o acontecimento (da diferença à resistência)”. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. Eu, Tu, Ele: discurso e real da história. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento? Tradução: Eni P. Orlandi. 6.ed., Campinas SP: Pontes Editores, 2012.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi. et al. – Campinas, SP: Editora Unicamp, 2014a.

PÊCHEUX, Michel. “Análise automática do discurso (AAD-69)”. In: GADET Françoise; HALK, Tony (Orgs.); tradução Bethania S. Mariani [et al.]. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Pêcheux, 5.ed. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2014b, p.59-106.

SERAGLIO, Jucineia; ZATTAR, Neuza. “Um estudo enunciativo sobre a formação nominal fake news em textos virtuais e não virtuais”. In: Dias e Dalmaschio (Orgs.), Movimentos do linguístico: forma e sentido em enunciação. Belo Horizonte. Editora FALE/UFMG, 2020, p.282 -293.

SOARES, Maraline Aparecida; NUNES, Silva Regina. Da opacidade da palavra selfie no discurso digital. Rua, Campinas: SP, vol.26, número 1, junho, 2020.

Downloads

Publicado

2022-07-06

Como Citar

SERAGLIO, J.; BRESSANIN , J. A. . Fake news: uma abordagem discursiva em dicionários online. Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. 49, p. 50–79, 2022. DOI: 10.20396/lil.v25i49.8668533. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8668533. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)