Relações entre terminação e gênero morfológico em Said Ali

o índice -l no português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/lil.v25i49.8668980

Palavras-chave:

Morfologia, Gênero morfológico, Indexicalidade

Resumo

O presente artigo busca explorar o gênero morfológico na língua portuguesa por meio da investigação da relação existente entre gênero e terminação. Said Ali (1923, p.55-68) contribuiu para essa indagação ao apresentar possíveis índices de gênero para os substantivos; no entanto, para verificar o que é apontado pelo autor, faz-se necessário analisar de forma expandida como o gênero morfológico se manifesta nas diferentes terminações possíveis de substantivos da língua portuguesa. Desse modo, este trabalho se propõe a estudar como substantivos terminados em -l se comportam, considerando a tendência ao gênero morfológico masculino; além de examinar a ocorrência das eventuais exceções, buscando hipóteses que expliquem seu funcionamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Eduardo Viaro, Universidade de São Paulo

Doutor em Filologia Românica pela Universidade de São Paulo. Professor livre-docente da Universidade de São Paulo.

Milena Guirelli Trindade, Universidade de São Paulo

Graduação em andamento em Linguística pela Universidade de São Paulo.

Referências

BARBOZA, J. S. Grammatica philosophica da lingua portugueza. Lisboa: Typografia da Academia das Sciencias. 1822.

BECHARA, E. M. Said Ali e sua contribuição para a filologia portuguesa. Tese de concurso uma cátedra de Língua e Literatura. Rio de Janeiro: Instituto de Educação do Estado da Guanabara. 1962. Disponível em: http://www.filologia.org.br/textos/bechara1962-a.pdf. Acesso em: 28 fev. 2021.

CORBETT, G. G. “Gender, grammatical”. In: Encyclopedia of language & linguistics, p. 749-756, 2006. DOI: https://doi.org/10.1016/B0-08-044854-2/00191-7

COSTA, J. A.; CHOUPINA, C. M. G. M. “A história e as histórias do género em português: percursos diacrónicos, sincrónicos e pedagógicos”. In: Exedra: Revista Científica, n. 6, p.75-86, 2012.

COSTA, T. de A. da. “Dizeres sobre Said Ali”. In: Porto das Letras, v. 6, n. 5, p.173-199, 2020.

GOUVEIA, M. C. de F. e. “A categoria gramatical de género do português antigo ao português actual”. In: RIO-TORTO, G. M.; FIGUEIREDO, O. M.; SILVA, M. de F. H. da. (Orgs.). Estudos em homenagem ao Professor Doutor Mário Vilela. Porto: FLUP, p. 527-544, 2005. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle /10316/13383. Acesso em: 10 set. 2021.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S.; FRANCO, F. M. de M. Minidicionário Houaiss da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Objetiva. 2010.

LACOTIZ, A. Flexão de gênero: estudo historiográfico sobre a genealogia dos conceitos e abordagem semiótica da morfologia no português. Tese. Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2020. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-06042021-145515/pt-br.php. Acesso em: 6 jun. 2021.

LEONI, F. E. Genio da lingua portugueza, ou causas racionaes e philologicas de todas as reformas e derivações da mesma lingua, comprovadas com innumeraveis exemplos extrahidos dos auctores latinos e vulgares. 2. ed. Lisboa: Typografia do Panorama, 1858.

MARGOTTI, F. W.; MARGOTTI, R. de C. M. F. Morfologia do Português. Florianópolis: UFSC, 2011.

MATTOSO CÂMARA JR., J. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

ROCHA, L. C. de A. Caracterização do gênero do substantivo. Cadernos de Pesquisa, n. 19, p.27-36. 1994.

SAID ALI, M. Grammatica secundaria da lingua portugueza. São Paulo: Companhia Melhoramentos de São Paulo, 1923.

SAID ALI, M. Grammatica historica da lingua portugueza. 2. ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos de São Paulo, 1931.

SCHWINDT, L. C. “Exponência de gênero e classe temática em português brasileiro”. In: DELTA, São Paulo, v. 34, n. 2, p.745-768, 2018.

SOUZA E SILVA, M. C. P. de; KOCH, I. V. Linguística aplicada ao português: morfologia. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

VIARO, M. E. “Onde se encontra a morfologia no signo linguístico?”. In: Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 61, p.11-29, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/ view/28109/19115. Acesso em: 02 fev. 2022.

VILLALVA, A. Morfologia do português. Lisboa: Universidade Aberta, 2008.

Downloads

Publicado

2022-07-06

Como Citar

VIARO, M. E.; TRINDADE, M. G. Relações entre terminação e gênero morfológico em Said Ali: o índice -l no português. Línguas e Instrumentos Línguísticos, Campinas, SP, v. 25, n. 49, p. 198–218, 2022. DOI: 10.20396/lil.v25i49.8668980. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8668980. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê